instagramcustom

Blog Archives:

Férias: novas descobertas para a criançada

As férias acabaram, mas o período foi de muita descoberta para a Júlia. Até dormir pela primeira vez na casa de uma amiguinha da escola ela dormiu!

Confesso que fiquei um pouco insegura. Sempre fica aquela medinho na primeira vez, né? Será que ela ficaria bem? Será que se cansaria? Como conhecia as pessoas que moravam na casa e sabia que tudo podia correr bem e em segurança, acabei ficando mais tranquila.

Por ter me divorciado quando Júlia tinha apenas 1 ano e 10 meses, ela acabou se acostumando a dormir na casa de parentes próximos. Principalmente dos avós. Vale lembrar que nesse período sempre contei muito com o apoio da minha família. Isso tudo acabou deixando ela mais tranquila e confiante de que eu estaria à disposição caso precisasse de mim.

Por falar na relação entre pais e filhos, entendo que a liberdade vem depois da confiança. E que somos colocadas à prova todo o tempo por nossos filhos e pelas diversas situações que enfrentamos. O importante é gerar empatia com eles e parar de dizer “não“ sem pensar. Sobretudo pelo fato de achar que o “não” vai dar segurança e proteção.

Foi positivo saber que ela curtiu. A cada experiência, uma descoberta!

E você mamãe, como agiria se fosse na sua casa?

Minha agenda é meu chefe!

Recentemente falei aqui no blog sobre uma sensação super comum na maioria das pessoas. Estamos sempre ocupados, e ainda assim não conseguimos cumprir todos os nossos compromissos. Falta tempo até para o lazer, para curtir a família, os filhos e amigos.

Hoje, compartilho com vocês algumas dicas para otimizar o tempo. Depois de bater muito a cabeça, aprendi que a agenda foi feita para ser cumprida. Assim, ao fim do dia, teremos certeza que está tudo bem e que as outras tarefas serão cumpridas na sequência. O que não vale nunca é procrastinar. Se tal compromisso só fica em pensamento, a chance de esquecermos dele é gigantesca! Tudo que é escrito gera muito mais compromisso e visualização da ação concluída.

À medida que nossa vida muda, nossos hábitos precisam ser modificados também. Só assim pra conseguir comportar todas as tarefas na agenda durante as 24 horas do dia.

Um hábito que mudei depois que Júlia nasceu foi deixar de ver TV à noite. Comecei a ficar mais tempo com ela, fazê-la dormir, preparar minhas refeições do dia seguinte, trabalhar (porque rendo mais à noite em certas coisas), checar as redes sociais, notícias ou ler umas páginas do livro. Às vezes até treinar à noite era uma opção. Juro! As novelas me ocupavam muito tempo! E só fui perceber isso depois que me tornei mãe.

Tem um exercício que adoro dar para minhas clientes de coaching: escrever o que fazem e o que gostariam de fazer em determinado horário. Muitas percebem que não substituem a tarefa, porque o piloto automático e a zona de conforto já se instalaram. Muita coisa pode ser mudada com médio ou pouco esforço. Basta enxergar o que aquela atividade está trazendo de perdas ou ganhos.

São várias dicas para uma agenda produtiva e eficaz. Se quiser saber mais envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão.

Antes de reclamar, aponte o dedo pra você

Temos o péssimo hábito de reclamar, não é mesmo? Reclamos do vizinho, do colega de trabalho, do marido (ou namorada), da professora da escola, da pós-graduação, de não termos o corpo perfeito ou de faltar força de vontade para ir à academia.

Muitas vezes reclamamos sem nem pensar, mas pelo simples fato de repetir padrões que nos foram ensinados.

Você já parou para pensar que o problema talvez esteja com você mesma? Se as coisas não andam rendendo conforme gostaria, pode ser por falta de auto responsabilidade e determinação.

A proposta que faço hoje para vocês é diferente: a análise inversa. Antes de transferir a culpa das suas frustrações para pessoas ou situações, que tal observar o seu comportamento?

Em um relacionamento amoroso, por exemplo, quando foi a última vez que parou para escutar o seu parceiro de verdade? Há quanto tempo vocês não saem para jantar ou curtir um programa a dois prazeroso? O mesmo vale para o trabalho. Se você anda reclamando que não conquista mais espaço em seu emprego, talvez seja porque já não execute suas tarefas com tanto tesão mais.

O mesmo vale pra ter um corpo mais bonito ou saudável. Se vive caindo nas tentações gastronômicas, pode ser por excesso de autossabotagem: “Hoje eu comi pra descontar minha raiva, TPM ou pra comemorar uma conquista. Amanhã volto com força total.”

O desafio de hoje é tomar consciência das suas ações. O dedo tem que virar para você mesma, antes mesmo de reclamar do outro. E aí: o que você tem feito para mudar antes de reclamar?

O Coaching te ajuda nessa. Agende uma sessão. [contato@vidaposparto.com ou envie direct com suas perguntas]

Você tem fé? Não estou falando de religião!

Não mesmo. Religião não é para todo mundo, mas fé eu creio que sim.

Todo mundo tem fé em alguma coisa. Fé em fechar seus negócios e bater a meta no final do mês. Fé em arrumar um emprego. Em ver seu amor feliz. Seu filho passsar de ano. Fé em engravidar. Fé em ter paz nos encontros familiares. Fé em Buda, Jesus ou até em ser ateu.

Fé é acreditar. Acreditar é sobrevivência. Se não acreditamos não abrimos os olhos pela manhã e não damos o primeiro passo. Acreditar em você mesmo. Essa sim é a fé primordial, é acreditar que você, é capaz.

Acreditar no outro também é uma coisa maravilhosa. Afinal não fazemos muita coisa sozinhos, ou sem o apoio, que seja emocional, de alguém que confiamos ou amamos. Bom ter fé, não é?

Por que o coaching para mães?

Vivemos um bilhão de novas experiências quando nos tornamos mães. A maternidade exige uma mudança de rotina, que muitas vezes, coloca o nosso lado de mulher e profissional em segundo plano. Como conciliar maternidade e vida profissional? Como resgatar a autoestima?

Comigo não foi diferente. Minha vida virou de ponta a cabeça, senti todas essas angústias e fiz todos esses questionamentos. Como educar minha filha sendo o melhor exemplo para ela? Como cuidar de mim mesma? Foi aí que decidi mudar, ou seria uma pessoa infeliz, deixando a desejar como mãe e mulher.

Desde, então, compartilhar minha experiência e apoiar outras mulheres se tornou um propósito. Formei em Life Coach para ajudar mães que anseiam por mudanças, resgate da autoestima e melhor planejamento de vida. Pra mim, uma das coisas mais prazerosas que existem é acompanhar a evolução de cada uma delas dia após dia.

Apesar da palavra Coaching estar banalizada demais, ainda assim gosto de usá-la. O Coaching é o apoio que as mães insatisfeitas em algum pilar de sua vida precisam para sair da zona de conforto. Ele é a injeção de ânimo para elas se redescobrirem e fazerem novas escolhas.

O Vida Pós Parto apoia a mãe no resgate da autoestima porque entende que ele é uma alavanca para tudo. Quando nos sentimos bem e confiantes das nossas escolhas tudo acontece de maneira leve e positiva: seja alcançar o corpo dos sonhos, fazer uma transição de carreira, ter mais qualidade nos relacionamentos ou organização e disciplina com a agenda pessoal e familiar. Vamos juntas? Agende uma consulta. [contato@vidaposparto.com ou envie direct com suas perguntas].

Aproveite o feriado do meio da semana

Um feriado descompromissado, em plena quarta-feira, pode parecer pouco proveitoso. Impossível de emendar e dar uma esticadinha a mais nos dias de descanso, ele ainda acaba quebrando o ritmo já engatado da semana.

Pensemos por uma perspectiva mais positiva. E se a gente encarar o dia de hoje como um presente? 24 horas “a mais de vida”, um dia inteirinho para fazermos aquilo que tanto amamos, ficarmos próximas das pessoas mais queridas ou mesmo tocar aquele projeto pessoal parado há muito por falta de tempo.

Esqueça que a rotina volta com força total amanhã, afaste o tédio e faça o tempo de descanso valer a pena. Aproveite o mundo lá fora. Ou mesmo dentro de sua casa, cuidando de você mesma e deixando a autoestima nas alturas.

Eu, por exemplo, vou aproveitar o dia para ficar grudadinha na Júlia, sobretudo depois 10 dias viajando longe dela. Vou ao parque, curtir atividades ao ar livre e quem sabe até fazer um piquenique.

As possibilidades são múltiplas. Felizmente. Dá para colocar a leitura em dia. Hábito pra lá de prazeroso, ler ainda ajuda a dar ótimos insights para a vida profissional e pessoal. Eu amo!

Você também está liberada para fazer a maratona de sua série favorita, ou passear no shopping. Além de fazer umas comprinhas, se você tem criança em casa, pode levá-la para curtir a decoração de Natal. No BH Shopping, por exemplo, acontece hoje o evento de chegada do Papai Noel.

Que tal um jantar com seus amigos? A combinação bebida, comida e boa conversa distrai a mente.

São várias opções de lazer para você relaxar e retomar a semana com força total. Quer uma notícia boa? Depois de amanhã já é sexta.

6 dicas para dormir melhor: você livre da insônia

Você deita, mas não consegue relaxar e muito menos dormir. Depois de horas entre um cochilo e outro, descobre que já se passaram horas e nada daquele sono reparador dos deuses aparecer.

A insônia é uma realidade de quatro a dez brasileiros segundo o Instituto Brasileiro do Sono. Pra nós, mulheres, então, pior ainda: sofremos duas vezes mais que os homens. As causas são as mais variadas: preocupações do dia-a-dia, stress e alimentação ruim.

Felizmente existem algumas dicas para você relaxar, e o sono bater gostoso.

1. A organização do quarto é essencial

A desorganização do quarto é uma das principais inimigas do nosso sono. Quando você chega em casa depois de um dia cheio de trabalho e encontra tudo organizado não dá uma sensação de aconchego? Pois é! Reserve uns minutinhos do seu dia para arrumar a cama e guardar as roupas no armário. Outra dica ótima é manter a decoração do quarto com objetos em tons claros e neutros.

2. A regra é clara: o celular fica longe da cama

Eu sei que é um vício difícil de abrir mão. Também sei que tenho que me policiar bastante pra evitar dar aquela olhadinha básica no celular antes de dormir. Só que a luz do aparelho atrapalha a produção da melatonina, o hormônio do sono. Esqueça o velho hábito de responder os contatos, e bons sonhos!

3. Anote suas tarefas na agenda

Que tal parar de matutar todos os compromissos do dia seguinte na hora de dormir? Tenha uma agenda para anotar todas as suas tarefas. Assim, você afasta a ansiedade pra bem longe.

4. Cuidado com a alimentação

Priorize refeições leves no jantar, como salada de folhas verdes e um frango ou peixe. O café, chocolate e outros alimentos estimulantes devem ser cortados antes de ir pra cama. Uma dica ótima nessas horas é tomar um chá de camomila.

5. Respeite seu corpo

Forçar o sono deixa a gente ainda mais estressada. Quem sofre de insônia deve dormir apenas quando estiver cansada. Leia um livro, medite, ouça uma música ou procure algo que a deixe relaxada a ponto de querer ir correndo para baixo do edredon.

6. Pratique atividade física

Reservar uma horinha do dia para exercitar não faz bem só para o nosso corpo e saúde, não. Praticar um esporte reduz a ansiedade e relaxa a mente. O resultado: muito mais tranquilidade na hora de dormir.

Pais que se cuidam fazem a família mais feliz

38% dos papais e mamães dizem que quando estão bem consigo mesmos a família tende a ficar muito mais feliz também. O dado é de uma pesquisa realizada pelo Facebook IQ, em que especialistas analisaram dados, no Face e no Instagram, de 8.300 pais com idade entre 25 e 65 anos, de vários lugares do mundo, entre eles o Brasil.

Depois de ver esse dado, fiquei pensando sobre a importância das atividades que nos dão prazer, mesmo que elas impliquem em ficar um tempinho longe de nossos filhos.

Quantas vezes vivemos aquele dilema de que temos que nos dedicar exclusivamente aos pequenos? Aliás, aquele velho discurso que as crianças devem ser sempre prioridade ainda é muito latente. Quem nunca se sentiu culpada por deixar o filhote com a vovó, ou babá, para jantar no fim de semana? Ou o inverso: foi chamada de egoísta por preferir ir ao cinema na sexta do que curtir a garotada?

Penso que devemos esquecer essas duas palavras: culpa e egoísmo. Quando nos colocamos em primeiro lugar, estamos cuidando de nós mesmas. Estamos nos amando, nos sentindo bem e, certamente, teremos muito mais disposição para cuidar do próximo.

Reservar um momento do dia para fazer algo que nos dê prazer também traz benefícios para a saúde, tanto fisicamente quanto emocionalmente. Praticar atividade física pela manhã, por exemplo, é algo que faz uma enorme diferença no resto do meu dia.

E sim: da mesma forma que seu filhote quer brincar sozinho, você precisa e tem todo direito do mundo de se dedicar aos seus outros papéis: mulher, trabalhadora, esposa. O segredo é se planejar, e deixar a criança ciente que esses momentos são de individualidade são necessários.

Coloque-se em primeiro lugar. E isso não vale só quando o assunto é maternidade, mas em qualquer outra esfera da sua vida. Sendo uma pessoa melhor, mais plena e feliz, você certamente executará seus outros papéis de um jeito muito mais prazeroso.

Ter um propósito vale muito mais que o dinheiro quando o assunto é trabalho

Recentemente, a BBC publicou uma matéria – simplesmente sensacional – em que trazia alguns exemplos de empresas que colocaram a felicidade dos funcionários em primeiro plano. É isso mesmo que você leu: muito mais que o lucro, a prioridade é garantir o bem-estar dos empregados.

Isso tudo tem uma justificativa: pessoas felizes são muito mais produtivas. Ou seja, muito mais que idealismo, os sorrisos no ambiente corporativo acabam fazendo bem para o rendimento da companhia.

A relação é comprovada, inclusive, com pesquisas no assunto. Um estudo de 2014, por exemplo, sugere que pessoas mais felizes são entre 7% e 12% mais produtivas no trabalho.

Por outro lado, uma pesquisa britânica realizada no ano passado convidou várias pessoas a classificarem a sensação de bem estar em diferentes atividades ao longo do dia. Entre 39 opções, a que proporcionava maior satisfação era “fazer amor”, seguida de “ir ao teatro ou um show”. Trabalho pago apareceu em penúltimo lugar. Pasmem: uma posição acima de ficar doente de cama.

É por isso que as pessoas, cada vez mais, mudam de emprego. Elas não se sentem felizes em seus trabalhos. E isso tudo por não terem um propósito. Foi exatamente isso o que me motivou a seguir uma carreira independente. O meu antigo trabalho não me deixava feliz. Além disso, eu sentia que tinha muito mais a oferecer ao compartilhar a minha história e, assim, ajudar as outras mamães a organizarem suas vidas após o parto, em busca de uma vida muito mais plena.

O contexto em que vivemos também tem alterado a nossa relação com o trabalho. O aumento da expectativa de vida, somado à uma idade de aposentadoria mais tardia têm motivado as pessoas a fazerem algo que realmente dê impacto.

O objetivo é fazer a diferença na sociedade e deixá-la muito mais sustentável. As pessoas querem que o mundo seja um lugar melhor. Nesse sentido, o salário é bem menos importante do que a felicidade. E ser feliz no trabalho envolve aprender coisas novas, ter autonomia e, sobretudo, transformar a vida das pessoas.

O bem-estar é fundamental. Assim como você tem que procurar a atividade física que te dê mais prazer, ficar ao lado de pessoas que te motivem, o trabalho também tem que ser algo que você curta fazer.

Está em dúvidas sobre qual caminho seguir? Tem medo de arriscar fazendo aquilo que tanto ama? O programa de Coaching do Vida Pós Parto vai te apoiar nesse processo, fazendo com que você se conheça melhor e elimine tudo aquilo que impede a sua evolução.

Dê um up na autoestima

Uma boa autoestima muda o jeito que enxergamos o mundo e lidamos com nossos problemas. Ela é fundamental na nossa vida, uma vez que fornece autoconfiança para tomar decisões e, sobretudo, não ter medo de arriscar.

Em baixa, ela acaba interferindo em todos os pilares da nossa vida: relação com o corpo, vida sexual, trabalho e família.

A boa notícia é que alguns truques podem ajudar a dar um up na autoestima.

Uma boa autoestima começa quando você não se cobra muito!

Ninguém é perfeito, todo mundo comete falhas e nem sempre você vai agir do jeito que gostaria, ou as coisas vão sair da forma esperada. Seja generosa consigo mesma e aceite que errar faz parte da vida. Ninguém está imune às falhas. E mais: você vai continuar errando. A boa notícia é que você pode aprender com elas.

Você pode valorizar o que tem de bom

Ao invés de se auto-depreciar, você pode enfatizar suas qualidades. Não está satisfeita com algo no corpo, no cabelo ou na pele? Adote hábitos mais saudáveis, comece a mexer o corpo ou aprenda a se maquiar. Essa última atitude, aliás, pode ser o segredo para realçar aquilo que tem de mais bonito no rosto, seja os olhos, a boca ou o nariz. O resultado: muito mais auto-confiança para encarar o mundo lá fora.

Encare os problemas

Fugir daquilo que amedronta não ajuda em nada, muito pelo contrário, só atrapalha. Você vai aprender a lidar com as adversidades quando começar a aprender a encará-las.

Trabalhe o autoconhecimento

Analise sua vida, buscando identificar suas qualidades e defeitos. Responda para si mesma se vive do jeito que gostaria, se o seu trabalho e relacionamento estão trazendo felicidade e satisfação. Só assim você consegue identificar o que merece atenção e precisa ser mudado. Responsabilizar-se por suas escolhas é uma etapa importante para atingir o amadurecimento e se sentir mais autoconfiante.

Tem alguma dica para dar um up na autoestima? Compartilhe comigo! Vamos trocar experiências.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta