instagramcustom

Blog Archives:

Meu bebê chegou! O que fazer para auxiliar o seu desenvolvimento?

O primeiro mês de vida do bebê é um turbilhão de novidades! Os pais aos poucos vão aprendendo a lidar com as fraldas, o banho, as cólicas, a amamentação e a nova rotina da casa.

Passada essa etapa, começam novas experiências de interação com o bebê. A partir do 2° mês de vida, o bebê já presta mais atenção no rosto dos pais e o vínculo torna-se cada vez mais intenso.

Muitos pais se perguntam: “Será que meu filho já entende o que eu falo? Devo conversar e brincar com ele?”

Vamos às respostas!

Quando você conversa com seu bebê nessa idade, ele percebe que isso é uma forma de comunicação, mas ainda não compreende o significado do que é dito. Ele observa, ouve e aprende a processar essa informação, e isso é fundamental para auxiliar no desenvolvimento da cognição e da linguagem.

Assim ele vai aprendendo sobre essa forma de interação, para logo responder com uma expressão facial, geralmente o sorriso, que aparece por volta dos 2 meses. Aí os pais se derretem!

E com relação às brincadeiras, sim, nessa idade já deve iniciar algumas atividades direcionadas para estimulação do desenvolvimento.

Nesse momento, é muito importante saber duas coisas:

1) Como brincar? As atividades devem ser adequadas para a etapa do desenvolvimento em que o bebê se encontra, não podemos pular etapas, pois isso acaba prejudicando o curso do desenvolvimento.

2) A quantidade: para não estressar o bebê. “Estressar o bebê? Bebês ficam estressados?” Sim, um excesso de estimulação pode causar desconforto e irritação, sintomas do desgaste físico ou emocional. O ideal é reservar um ou dois momentos do dia para as brincadeiras.

Muitos pais têm dúvidas também a respeito do “BRINCAR”, se ele é mesmo tão importante para o desenvolvimento.

A brincadeira não é uma simples diversão, ela é capaz de gerar diferentes estímulos para aumentar as conexões cerebrais, e dessa forma, torna-se um excelente instrumento para auxiliar o desenvolvimento de forma saudável e prazerosa.

É importante saber que de 0 a 2 anos de vida é quando o cérebro tem maior potencial para se desenvolver. Então temos que aproveitar!

Além disso, hoje a ciência comprova que um ambiente favorável ao crescimento e ao desenvolvimento dos bebês, gera repercussão positiva na vida adulta!

Flávia Cançado

Fisioterapeuta

O tempo que as crianças passam na frente das telas

Recentemente recebi um e-mail do colégio da Júlia que trazia como assunto o tempo que as crianças passam na frente da TV, computador, celular ou videogame. E mais: quais as consequências da exposição excessiva para o cérebro dos nosso pequenos.

Uma coisa é verdade. É praticamente impossível as crianças ficarem imunes à telas e aos monitores. E isso nem sempre é algo negativo: aplicativos, vídeos, programas de TV e games são excelentes para aprimorar a comunicação, construir bagagem intelectual e até no desenvolvimento cognitivo. Sem contar que enquanto elas ficam entretidas com esses recursos, acaba sobrando um tempinho livre para cuidarmos de nós mesmas.

O problema é quando as horas gastas em frente às telas colocam em segundo plano atividades importantes como a leitura, o para-casa, a interação com a família e os amigos e até mesmo o desenvolvimento psicossocial.

Segundo o Dr. Aric Sigman, a exposição excessiva a tablets e smartphones pode causar danos permanentes em cérebros ainda em formação. Para que o cérebro se desenvolva corretamente, a criança precisa receber estímulos do ambiente exterior. Quando ela passa muito tempo em frente a uma tela, ele se atrofia. O resultado é pra lá de negativo: a criança deixa de desenvolver habilidades cruciais para a sua vida como foco, concentração, atenção, comunicação e até as funções cognitivas.

A cada toque na tela são emitidos cores, formas e sons. O cérebro da criança processa isso e produz dopamina-componente, substância associada aos sentimentos de prazer. A exposição contínua é extremamente viciante, seguindo o mesmo padrão dos dependentes em álcool e drogas.

Apesar disso, nada de demonizar a tecnologia. Essas telas também tem seus pontos positivos. Games e aplicativos ajudam na coordenação motora, distraem e até aprimoram as habilidades linguísticas. Só que o seu consumo deve ser moderado. E nós, mamães e papais, somos fundamentais nesse processo.

Eu, por exemplo, procuro proporcionar à Júlia diversos momentos de lazer ao livre. Adoro levá-la a parques, praças, sítios e me divirto junto, ensinando várias brincadeiras da minha infância, infelizmente tão esquecidas hoje em dia.

Ela também tem um tempo para se dedicar apenas às tarefas escolares e outras atividades extra-classe, como o balé. Sem contar nos brinquedos, tintas, lápis de cor e desenhos, super úteis para estimular a criatividade.

Os especialistas também recomendam assistir os programas preferidos dos nossos filhotes junto com eles, aproveitando para conversar sobre o conteúdo que é visto. Além, é claro, de monitorar tudo o que a criançada anda vendo ou acessando.
Outra coisinha super importante é utilizar o horário das refeições como um momento de diálogo e conversa, sem dividir a atenção com o celular.

E, vocês, mamães, como dividem o tempo da garotada entre a tecnologia e outras atividades?

A importância de leitura para a criançada

Incentivar o hábito de leitura é um dos maiores presentes que nós, mamães e papais, podemos dar aos nossos filhos.

Ler é fundamental para o desenvolvimento intelectual da criança, auxilia na aprendizagem escolar, além de ser um passatempo pra lá de agradável, que ajuda a desbravar novos mundos pela imaginação.

Segundo educadores, os alunos que são estimulados a ler desde cedo têm mais habilidade para escrever e interpretar textos. E isso vale para o conteúdo de todas as disciplinas, inclusive a matemática, que também exige bastante interpretação.

A leitura também é essencial para ampliar o conhecimento de mundo e o vocabulário. Quanto mais cedo uma criança aprende novas palavras, mais repertório ela terá, seja em suas conversações ou atividades escolares. Além disso, ela terá mais facilidade na ortografia e desenvolverá sua escrita de forma muito mais completa.

As crianças que lêem muito também são muito mais criativas. Bons livros estimulam a imaginação, o que acaba resultando em novas ideias.

O hábito de ler pode e deve ser incentivado desde cedo, por meio de livros e revistas adequados à faixa etária de nossos pequenos. Já pensou em dar um livro de presente para seu filho e estabelecer horários diários de leitura? Outra coisa ótima é levá-los periodicamente às livrarias e bibliotecas.

E vocês, mamães, como incentivam seus filhos a lerem? Compartilhem comigo!

Blues Pós-Parto: Você sabe o que é?

Começamos, hoje, aqui no Vida Pós Parto, uma parceria incrível com o projeto Eu Saúde, que vai colaborar com textos gestação e maternidade saudável.

O assunto de hoje é o Blues Pós-Parto, um problema emocional que muita gente ainda não conhece.

Segundo especialistas, o nascimento de um filho acarreta em muitas mudanças, principalmente o aparecimento de problemas emocionais nos pais, como a depressão e o blues pós-parto.

A Depressão Pós-Parto é caracterizada por um período de tristeza, fortes alterações do humor e melancolia. O resultado é a falta de apetite, choros constantes, preocupações excessivas e irritabilidade, prejudicando o relacionamento tanto com a criança quanto com o parceiro.

Já o Blues é uma condição benigna que tem início nos primeiros dias após o parto – em torno de 2 a 5 dias. Pode durar alguns dias e até poucas semanas. Sua intensidade é leve, e normalmente não requer uso de medicações. É autolimitada e vai passando aos poucos. Este estado melancólico afeta cerca de 50 a 80% das mulheres, e não deve ser confundido com a Depressão Pós Parto.

As mães não devem ficar inquietas com essas manifestações. O estado melancólico é um problema comum. Se você estiver se sentindo assim, a Rede Mãe sugere que você compartilhe seus sentimentos com um companheiro, amigo, familiares e até profissionais de saúde.

Essa etapa é marcada pelo reconhecimento mútuo entre a mãe e o bebê. A mãe precisa compreender que o bebê é um ser separado dela, definindo o fim da gravidez psíquica.

Esses sentimentos podem ocorrer em homens, mas com uma intensidade menor. Essa depressão puerperal em homens vai ser caracterizada pelos sentimentos de exclusão perante a relação mãe-bebê.

Se você esses sintomas não desapareceram, pelo contrário, ficarem mais intensos e persistirem por muito mais tempo, consulte seu médico. Pode ser que seja uma depressão pós parto, onde 10% das mães são afetadas e que necessitam ser tratadas.

Se ainda tem dúvidas sobre este assunto, acesse o www.eusaude.com.br e fale com os seus profissionais da saúde.

VPP apoia: Mamãe Saudável

Olha que evento legal para as mamães que ficaram em BH nesse feriadão prolongado.

O blog Saia da Inércia e a BePro Treinamento Esportivo estão promovendo neste sábado, o Mamãe Saudável.

O evento pretende ajudar vocês, mamães, a pensarem um pouquinho mais em si mesmas, e por isso, vai proporcionar uma manhã super agradável para que possam se cuidar.

Os professores da BePro montaram uma aula de ginástica funcional usando o carrinho de bebê. Assim, você não precisa ficar longe dos seus filhotes e, eles ainda se divertem. Vale qualquer tipo de carrinho, hein?

O treino funcional é só um dos atrativos do evento. Quem se inscrever ganha caneca, chaveiro e sacola exclusivos do Mamãe Saudável, além de alguns presentes dos patrocinadores e parceiros.

Para a diversão da criançada, tem os monitores da Planeta Imaginário e aula de coordenação motora com os professores da Bodytech. Pode levar o maridão e acompanhantes para darem suporte e aproveitam tudo o que foi preparado com tanto carinho para esse dia especial.

Para relaxar, tem massagem corporal e facial.

Uma das preocupações dos organizadores é não deixar ninguém com fome. O kit tem biscoito funcional e também dá direito a uma salada de fruta. Ainda vai ter degustação de salada no pote, degustação de energético e de café, além de sanduíche para todo mundo.

Ainda não acabou: vai ter sorteio de brindes para as crianças e as mamães. Já imaginou ganhar uma máquina de café? Um mês grátis de aulas de tênis? Um miniday spa para relaxar? Roupas para incentivar a malhar? E tem mais!

Mamãe Saudável 

Data: 18 de junho, às 8h
Horário: a entrega dos kits começa às 8h e o treino funcional às 8h30.
Local: Fly Sports, Av. Rua Jornalista Djalma Andrade, 160, Belvedere, BH/MG.
Ingressos:  R$ 50,00 + taxa (R$5,00), venda pelo Sympla

Ação social bônus: para retribuir todo esse carinho, os organizadores pedem que cada mamãe leve roupas e/ou brinquedos novos ou usados para doação. Eles serão entregues aos Vingadores do Bem, uma iniciativa de super-heróis que vão distribuir as doações para quem precisa.

 

Abandone tudo que é tóxico. E isso não tem a ver só com a alimentação!

Existe um método radical e eficaz para acabar de vez com a desorganização.

A tática defendida por Marie Kondo, consultora e especialista em arrumação, é bem simples: você tira todas as coisas do lugar, coloca no chão, analisa e decide o que será descartado. O principal critério é responder: “Isso me deixa contente? Me traz alegria?”

Tática bem parecida, inclusive, quando começamos uma dieta e nos desafiamos a eliminar todos os alimentos processados que fazem mal ao nosso corpo e saúde.

Essa estratégia não vale só para a organização de espaços e alimentação, mas para todas as esferas da nossa vida: agenda, trabalho, relacionamentos, metas.

De tempos em tempos, você pode refletir sobre cada um desses pilares, procurando identificar quais situações te incomodam e quais te deixam realizadas. Depois, é só se livrar daquilo que te faz mal, e se afastar de quem não te faz feliz.

Objetos são mais fáceis de descartar, mas e as pessoas? Bom, neste caso é um pouco mais difícil, sobretudo, no ambiente de trabalho. Lembre-se, entretanto, que você não é obrigada a conviver com pessoas tóxicas, que sugam sua energia.

Se você é chefe ou dona do seu próprio empreendimento, não hesite em demiti-las. Agora, se você é funcionária, vale uma conversa no caso das atitudes estarem comprometendo o desempenho da equipe e do trabalho. Você também pode se proteger, afastando-se dessas pessoas. O mínimo de interações nessas horas é a garantia do sucesso.

Caso alguém te irrite, tente ignorar. Escolha aquelas batalhas que realmente valem a pena, e irão resultar em algo bom. Essa tática pode ser aplicada em outros tipos de relacionamentos, como o familiar, por exemplo.

Mantenha-se por perto de pessoas otimistas. Construa uma rede de amigos, colegas e contatos positivos, em que vocês se apoiem em todas as situações.

Sua felicidade e seu bem-estar são preciosos demais para você se deixar contaminar por pessoas negativas.

Descubra sua real vocação profissional

Você ainda não se sentiu realizada em sua vida profissional? Seu trabalho não anda te dando muito tesão? Pensa em mudar de carreira, mas não sabe muito bem qual caminho seguir?

Lembre-se: não há nada de errado em querer mudar os rumos da sua vida profissional. Se isso vai te deixar mais realizada, é o que importa. É muito mais reconfortante se arrepender por ter feito algo do que nunca ter tentado.

Eu mesma sou prova disso. Larguei um emprego de anos para me dedicar ao que me dá mais prazer: ser Life Coach para ajudar várias mamães a resgatarem sua autoestima pós parto. Não digo que é fácil ser empreendedora, mas certamente me faz muito melhor do que insistir em algo que não estava me deixando tão motivada mais.

Se você ainda não descobriu qual a sua vocação, saiba que ela tem que ter a ver com você. Não se trata de escolher algo só porque é tendência no mercado ou mais rentável, mas que você goste de executar.

O importante é ser fiel às suas capacidades e interesses e ter vontade de aprender sempre. Sim, existe um mundo além dos cursos de graduação, pós e MBA. A identidade e as possibilidades são muito maiores do que as dimensões da sala de aula. Já experimentou fazer um coach?

Reconheça suas prioridades com a nova carreira, e reflita sobre o que é ser bem-sucedida para você. Depois disso, é hora de colocar a mão na massa e começar a seguir o caminho que escolheu para si.

Aproveite esse momento de questionamentos e parta pra luta em busca dos seus sonhos. As coisas só começam a acontecer quando a gente fecha portas de velhos lugares, para tentar abrir outras mais promissoras.

O que a maternidade me ensinou?

Ao escrever a mensagem para o Dia das Mães, acabei refletindo sobre o quanto a maternidade mudou a minha vida.

Não sei vocês, mas depois que me tornei mãe, tudo virou de ponta a cabeça: novos planos e preocupações e uma rotina muito mais corrida.

Com o tempo, tudo entrou nos eixos e acabei entendendo que nascemos uma nova mulher no dia do parto. Depois, engatinhamos e crescemos juntas com nossos filhotes até alcançar à maturidade.

Pensando nisso, resolvi compartilhar com vocês o que a maternidade – essa experiência recheada de descobertas e aventuras incríveis – me ensinou.

Minhas prioridades mudaram
Como ser a melhor a melhor mãe para a Júlia? O que eu deveria fazer para que ela tivesse uma boa educação e uma vida saudável? Muito mais que educar, eu precisava ser a principal referência para a minha filha. Eu deveria viver tudo aquilo que transmitisse pra ela enquanto mãe. Foi assim que coloquei uma vida leve e saudável como prioridade.

Sou menos egoísta
A maternidade me fez enxergar o mundo com outros olhos. Deixei de pensar somente em mim mesma. Aprendi a dividir, a esperar e a até ser um pouco mais paciente.

Aproveito melhor o meu tempo
Apesar do desgaste, ser mãe pode nos ajudar a otimizar o tempo. Os compromissos acabam fazendo com que a gente planeje melhor a rotina diária e dê mais valor aos momentos de lazer e descontração, sobretudo, se compartilhados em família.

Fiquei mais forte
Ter um filho pode trazer um sentimento de insegurança no início. Com o tempo, entretanto, a gente acaba se adaptando ao papel de mãe e a confiar mais em nós mesmas. Em alguns momentos, inclusive, tiramos força de onde nem sabemos, superando nossos próprios limites.

Conheci o que é empatia
Depois de ter um filho, a gente começa a entender que as coisas nem sempre acontecem do jeito que a gente idealiza. Com isso, acabamos compreendendo melhor o que acontece à nossa volta.
Assim, passei a entender as outras mães e a respeitá-las mesmo que elas não compartilhem da mesma forma de educar que eu. Só uma mãe tem o poder de saber o que é melhor para seu filho.

Amo incondicionalmente
O sentimento que a gente experimenta com o nascimento de um filho é algo avassalador, difícil de mensurar ou explicar. Educar é difícil, exige dedicação e paciência. Muitas vezes a gente erra, mesmo tentando acertar. O stress é grande, mas um sorriso simples, gratuito quando menos esperamos faz com que a gente releve tudo e entenda o que é um amor infinito.

Você feliz com seu corpo

Quem nunca se sentiu insatisfeita com o corpo, cabelo ou rosto? Garanto para você que já teve momentos que até as musas fitness, como a Bella Falconi ou a Gabriela Pugliesi, se olharam no espelho e não gostaram do que viram.

Felizmente existem algumas estratégias – comprovados cientificamente inclusive – para a gente melhorar a nossa aceitação, e até apreciar aqueles detalhes que nos fazem únicas nesse mundo.

Você tira um tempinho para se olhar, sentir e ouvir seu corpo? Parar por cinco minutos, respirar e inspirar é uma maneira super eficaz e gostosa de entrar em contato consigo mesma.

Outra técnica ótima é passar hidratante em frente ao espelho, observando cada detalhe do corpo. O contato sensorial aliado ao visual nos ajuda a aceitar melhor nossas formas. E quando isso acontece, fica até mais prazeroso lidar com os pontos negativos.

Por falar em espelho, você pode aproveitar o momento para brincar na frente dele. Não há nada de errado em fazer poses e caras e bocas para você mesma. Pode até parecer bobagem, mas inconscientemente, esse truque ajuda a aumentar a autoconfiança.

Claro: cuidar da aparência é super importante. Fica muito difícil se sentir bem com o cabelo feio e a unha estragada, certo? A vaidade reflete a nossa autoestima e o jeito que a gente se relaciona com o mundo. Cuide-se.

Fique perto de pessoas seguras e positivas, que esbanjam alegria por onde passam. Elas acabam nos contagiando também.

Ao invés de focar naquilo que você não gosta, inverta o jogo. Concentre-se nos pontos positivos e no que tem de melhor. Cada pessoa é diferente e bonita à sua maneira. Olhe-se com carinho e respeite a sua particularidade.

Lembre-se: não adianta tentar incorporar uma alimentação saudável e praticar atividade física, se você não se ama.

Empreendedorismo materno: dicas para quem trabalha em casa

Quem me conhece, sabe que há quase um ano deixei o trabalho em um escritório para me dedicar ao empreendedorismo.

Sem dúvidas, empreender e tocar um negócio próprio tem muitos benefícios: posso fazer meus próprios horários, fico livre do trânsito em horários de pico e ainda curto minha filhota por mais tempo.

Para garantir a produtividade, tive que fazer algumas adaptações no meu dia-a-dia e na minha casa e criar uma rotina que se alinhasse à essa nova realidade.

É claro que não bater ponto traz mais flexibilidade, mas se a gente não fica atenta pode acabar procrastinando ou estendendo mais do que deveria. Sobre a procrastinação eu já falei aqui no blog.

Quem vai escolher o turno é você. Há quem prefira o dia, outras têm um desempenho melhor à noite. Esse é um dos principais benefícios de não trabalhar fora, inclusive.

Defina qual o seu horário de maior produtividade e planeje seu dia: horas dedicadas ao trabalho, a você e à sua família e ao lazer. E, sim, é importante ter horário fixo para acordar, trocar de roupa e almoçar.

Estar em casa é diferente de estar disponível o tempo todo. Negocie com quem compartilha o mesmo espaço com você. Explique a eles que está trabalhando e precisa ficar focada, mas que depois dará toda atenção do mundo a eles.

As reuniões e tarefas que exigem mais concentração, por exemplo, eu prefiro marcar quando a Júlia está na escola. Já as funções mais simples, como responder e-mails, posso fazer enquanto ela está brincando sozinha ou dando uma soneca.

Outra coisa super importante é delimitar o seu espaço de trabalho: um ambiente tranquilo, arejado e bem iluminado onde seus objetos de trabalho fiquem organizados. Se você não pode ter um escritório, monte uma mesa ou escrivaninha exclusivamente para trabalhar.

Circular e ser vista é fundamental para quem é empreendedora individual. Marque encontros e reuniões com seus parceiros, sobretudo, em locais públicos e que também sejam utilizados por outros empreendedores.

E, sim, participe de palestras, workshops e outros eventos que ampliem seu conhecimento. Oportunidade ótima para expandir suas conexões e até fazer marketing pessoal.

Por fim, conte com a ajuda de um contador para cuidar de toda a parte financeira da sua empresa. Assim, você fica com mais tempo disponível para fazer seu negócio crescer.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta