instagramcustom

Blog Archives:

Qual a importância de escolher alimentos orgânicos?

Alimento orgânico, é qualquer produto animal ou vegetal obtido sem a utilização de produtos químicos que favoreçam o seu crescimento de forma não natural.

A grande vantagem disso, além da produção de alimentos mais ricos em nutrientes, saudáveis e naturais, é a preservação do solo, do meio ambiente, da agricultura sustentável e familiar. Os agrotóxicos fazem com que os alimentos tenham baixo valor nutricional e podem causar doenças, além de poluir a água, o ar, a terra, flora e fauna.

A agricultura orgânica restaura a biodiversidade, protege a qualidade da água, e os animais que se abastecem dela, evita erosão do solo, protege futuras gerações de contaminações químicas, economiza energia, ajuda pequenos agricultores a sustentar suas famílias.

Solos ricos e balanceados com adubos naturais produzem alimentos com maior valor nutritivo e muito mais saborosos. Possuem menor teor de água na sua composição, quando comparados com os alimentos convencionais por isso os nutrientes ficam mais concentrados. Normalmente são colhidos poucos dias antes do consumo, os insumos chegam na sua mesa bem mais fresquinhos e com características naturais dos alimentos que crescem no seu devido tempo e local. Não é sensacional respeitar o tempo das coisas?! Isso permite o fortalecimento da nossa saúde, bem como os mecanismos de defesa dos nosso organismo.

O comércio de alimentos orgânicos tem crescido e é possível escolher na prateleira de supermercados, em feirinhas e até pedir em casa através de sites e empresas que fazem esse trabalho delivery, costuma ter um preço um pouquinho mais alto do que os convencionais pois exigem mais tempo e cuidado no cultivo.

Você também pode optar por ter uma hortinha em casa, é uma experiência maravilhosa a criança tem contato com a natureza, conhece de onde vem o alimento e consequentemente tem mais prazer em consumir os tais “verdinhos” principalmente.

“Estamos legando às futuras gerações a esperança de uma vida justa e harmoniosa neste planeta. Consumindo orgânicos, desenvolvemos nosso papel de agentes de transformação social e ambiental, praticando um exercício de cidadania” (fonte: ministério da agricultura).

Importante lembrar que mesmo o produto orgânico precisa ser higienizado, pois etapas como a água que rega, contato com a terra, manuseio humano e transporte podem causar contaminação.

Vale pensar também que industrializados orgânicos podem ter sal, gorduras ruins e outros elementos que não são saudáveis na sua composição. Tipo: pode ser orgânico e frito, né? Ai não faz tão bem assim! Fiquem ligados aos rótulos e selos de regulamentação.

Consuma alimentos naturais e caseiros na sua rotina e dos seus filhos! Deixe as embalagens para dias esporádicos, nunca para o dia a dia.

Matéria escrita por Letícia Oliveira, nutricionista infantil.

Instagram @nutrininos

site www.nutrininos.com.br

A importância da higiene bucal

O Vida Pós Parto abre espaço para os especialistas da Clínica Rodrigo Almada contar sobre a importância da higiene bucal na criançada desde cedo.

Os hábitos de higiene bucal devem começar cedo. Escova, creme e fio dental devem fazer parte da rotina das crianças, em especial após as principais refeições e a noite, antes de dormir.

A escolha das escovas deve ser feita com critérios, optando pelas de cerdas macias, cabeça pequena e cabo de fácil empunhadura.

A troca deve ser de 2 em 2 meses ou se as cerdas estiverem danificadas. A quantidade de creme dental na escova deve ser colocada por um adulto.

Lembre-se: não é a quantidade de pasta que define uma boa escovação, e sim uma técnica satisfatória para remoção da placa bacteriana.

A supervisão da higiene dos dentes é super importante, e a realização da mesma por um adulto até a idade de 8 anos da criança pelo menos 1 vez ao dia é fundamental.

E vocês, mamães, têm cuidado da escovação da criançada? Uma dica ótima é ensiná-los a escovar os dentes corretamente brincando.

Texto escrito por Clínica Rodrigo Almada – Ortodontia e Estética Facial

5 dúvidas sobre o Botox

Quem me conhece sabe que sou uma entusiasta do Botox. Sempre que posso – obedecendo a periodicidade correta de aplicação, é claro – recorro a esse tratamento para prevenir as indesejáveis rugas.

Sei que muita gente tem vontade de aplicar Botox, mas acaba adiando o desejo por medo ou por se achar muito nova para o tratamento.

Para quebrar o tabu sobre o assunto, convidei a Dra. Cristiane Câmara Alves, da Clínica Pampulha, para esclarecer as principais dúvidas sobre o Botox, ou Toxina Botulínica tipo A.

1. A toxina botulínica tipo A (botox) vicia?

Não existe nenhuma evidência científica de que a aplicação da toxina botulínica cause vício. O importante é adequar a dose, a diluição e o tempo certo de reaplicação.

2- O botox pode ser utilizada para aumentar os lábios?

Não. O que usamos para aumentar o volume dos lábios é o preenchimento com ácido hialurônico.

3 – Os cremes anti-rugas oferecem resultados similares ao tratamento com a toxina botulínica? Não existe nenhum creme com toxina botulínica em sua formulação. Os cremes agem superficialmente na pele, melhorando a hidratação e atenuando as rugas finas. Já a toxina atua no músculo responsável pela formação das rugas de expressão.

4 – O botox pode substituir uma cirurgia plástica? Não. A toxina botulínica pode postergar ou complementar a cirurgia plástica. A toxina atenua as rugas de expressão, e pode prevenir o surgimento de novas rugas pela reeducação da mímica facial.

5- Existe uma idade mínima para fazer este tipo de procedimento? Não. O importante é ter a indicação adequada para o tratamento. O botox é indicado em alguns casos em crianças com doenças neurológicas.

Por Dra. Cristiane Câmara Alves CRMMG 50504

Se você ainda está em dúvidas, compartilho o “antes e o depois” da última aplicação de Botox que fiz. O procedimento foi realizado no mês passado. Convecidas agora que é maravilhoso?

Como saber se o bebê está com alergia ou intolerância?

Alergia e intolerância são muitas vezes confundidas como o mesmo problema de saúde, mas são duas situações clínicas diferentes.

É verdade que, por vezes, podem ser caracterizadas por sintomas parecidos mas essas doenças variam de acordo com o mecanismo de ação. E é esse o tema do post do pessoal do Eu Saúde hoje no blog: é alergia ou intolerância o que meu bebê tem?

Alergia

Neste caso, o bebê é sensível a uma proteína de um determinado alimento (por exemplo, a proteína do leite de vaca), fazendo com que o organismo produza anticorpos. Mesmo em pequenas quantidades.

As reações acontecem até 1 hora após ingestão do alimento, causando os seguintes sintomas:

  • Urticária: um dos primeiros sinais que podem aparecer, manchinhas vermelhas na pele do bebê.
  • Dificuldade em respirar e tosse
  • Lábios e língua inchados
  • Alterações a nível gastrointestinal: são menos frequentes e podem consistir em náuseas, vômitos, diarreias ou constipação.

Intolerância

A intolerância alimentar causa um efeito indesejável provocado pela ingestão de um alimento, mas que não envolve os anticorpos. As crianças podem ingerir uma pequena quantidade do alimento, pois os sintomas só acontecem em grandes quantidades.

Se caracteriza por sintomas que vão afetar o sistema digestivo:

  • Dor de barriga
  • Aumento do volume da barriga
  • Gases
  • Diarreia
  • Vômitos

O que fazer?

Os pais das crianças que percebam que seu filho está sofrendo de alguma dessas reações depois da ingestão de algum alimento específico devem levá-la ao seu pediatra e, posteriormente, ao médico especialista em alergia e imunologia clínica. A boa notícia é que a maioria é reconhecida e pode ser tratada precocemente.

No especialista, será efetuada uma avaliação clínica bastante pormenorizada, bem como, das suas manifestações físicas para ter certeza do diagnóstico. Esse deve ser feito com muito cuidado e rigor, pois ao diagnosticar alergia ou intolerância, a criança vai ter que parar de comer certos alimentos.

A maioria das crianças, com o passar dos anos, deixa de apresentar sintomas de alergia. Ainda assim, elas devem ser avaliadas periodicamente. É importante evitar as dietas restritivas sem necessidade, pois poderão causar deficiências nutricionais.

Empodere-se na luta contra o câncer de mama

Você sabia que se prevenir contra o câncer de mama tem tudo a ver com empoderamento? É isso o que prega a campanha do Outubro Rosa deste ano.

Com o mote #PacientesnoControle – Atitude que exige coragem, o objetivo é mostrar pro mundo todo que nós, mulheres, somos muito maiores que o câncer de mama.

Para aquelas que – infelizmente – descobriram ter a doença, a campanha incentiva a enfrentá-la de forma ativa, exigindo sempre o melhor tratamento e, sobretudo, lutando por seus direitos.

Para todas as outras, é não ter vergonha de realizar o exame de toque. E mais: fazer a mamografia com a periodicidade indicada pelo ginecologista, mesmo se ainda não tiver chegado aos 40 anos.

Vale lembrar, inclusive, que segundo pesquisa do Inca realizada em 2016, 66,2% das descobertas do câncer de mama ocorrem pelas próprias pacientes. E o índice de cura é de 95% quando descoberta precocemente.

É claro que o Vida Pós Parto apoia a campanha. Se você não sabe muito bem como fazer o autoexame, aí vão algumas dicas de como fazê-lo.

1º Fique de pé em frente ao espelho e observe a cor e o contorno dos seus seios com atenção.
2º Levante os braços e veja se, com o movimento, acontecem algumas alterações.
3º A mão direita deve apalpar a esquerda e vice-versa. Faça movimentos circulares, apertando levemente com a ponta dos dedos.
4º Depois, apalpe as axilas e busque por nódulos. Dolorosos ou não, se encontrá-los, você deve procurar por atendimento médico.
5º Comprima os mamilos da base à ponta. Secreções merecem avaliação médica.

Dica bônus do #VPP: pratique atividade física! Sim, segundo um estudo do Instituto Gustave Roussy, na França, exercitar com frequência diminui a probabilidade de ter câncer de mama. Mais: ainda se sobrepõe a diversos fatores de risco, como a obesidade, por exemplo.

Que o Outubro Rosa sirva de incentivo para você assumir o controle sobre sua vida e incorporar cada vez mais hábitos saudáveis. A gente fica muito mais forte quando chama a responsabilidade pra si, evitando problemas futuros.

7 atitudes para que a atividade física seja realmente eficaz

O lema No Pain, No Gain não devia ser levado tão ao pé da letra. É claro que exercitar – seja em treinos aeróbicos ou de musculação – exige uma boa dose de esforço misturada com outra de muita dedicação. Nem sempre sair acabada da academia, entretanto, é o suficiente.

Atingir os resultados esperados – corpo mais esbelto, músculos, fortalecimento da saúde – com a atividade física envolve vários outros fatores. Muita gente passa horas na academia e custa a ver grandes progressos, mesmo com muito empenho. Talvez por não se ligarem nessas outras variáveis, que incluem uma alimentação saudável e descanso.

Felizmente, vários desses fatores dependem de nós mesmas. Quer ver só?

Dormir é gostoso e faz bem
O sono repõe nossa energia física e mental. É durante esse processo que o corpo se nutre para repor as células perdidas. Quando a gente não dorme direito podem ocorrer problemas de cognição, modificações na pressão sanguínea, aumento da gordura corporal, comprometimento na liberação hormonal, e até o metabolismo fica mais lento.

Os dias off devem ser ativos
Um dia de descanso na academia não significa ficar deitada no sofá entupindo de guloseimas. É claro que você pode aproveitar para descansar e comer aquele doce que tanto ama. Mas tire um tempinho para se movimentar também, seja levando seu cachorro pra passear, brincando com a criançada ou fazendo uma deliciosa caminhada pelo parque.

Coma comida de verdade
Sei que a rotina agitada pede lanches rápidos, e que cortar todos os industrializados é tarefa quase impossível. Dê preferência às frutas, hortaliças e carnes in natura sempre que possível. Quando for consumir algo direto da embalagem, confira a lista de ingredientes. Quanto menor ela for e menos itens com nomes estranhos tiver, melhor para a saúde.

De olho nas porções
Coma pequenas quantidades e só até se sentir saciada. Mantenha intervalos de 3h em 3h entre uma refeição e outra, ou coma apenas quando tiver fome.

Equilíbrio é tudo!
É muito melhor você permitir aquele chocolate ou doce que tanto ama ocasionalmente do que se privar sempre. Lembre-se que o radicalismo pode levar à compulsão, colocando tudo a perder. Se você se restringe demais, pode acabar exagerando mais que o recomendado quando se permitir a um deslize.

Divirta-se!
Escolher uma atividade física que você realmente curta fazer ajuda a te manter motivada e ainda dá aquela acelerada nos resultados. Você vai sentir vontade de ir às aulas, colocar mais energia nos movimentos e não vai desistir tão fácil.

Você tem que sair da academia melhor do que quando chegou
Um dos principais indicadores de que seu esforço está valendo a pena é se sentir revigorada após o treino em vez de sem pique ou cheia de dores. É super normal notar uma sensibilidade nos músculos, mas nada além disso. Pelo contrário: deve sobrar endorfina e energia para encarar o resto dia.

Como lidar com quem sabota sua dieta?

Se você está passando por um processo de mudança de hábitos, certamente já deve ter ouvido comentários pouco produtivos como “Você vai comer só isso?”, “Que mal faz comer este docinho?” ou até pouco encorajadores “Que bobagem ficar abrindo mão do que é gostoso só pra ficar magra!”.

Consciente ou inconscientemente, é comum nossos amigos ou familiares interferirem de um jeito negativo em nossa luta por uma vida mais saudável. Eu mesma passei por isso quando decidi mudar meus hábitos após a gravidez. As pessoas não estão acostumadas com mudanças radicais e, infelizmente, por não terem decidido a adotar novos hábitos, acabam minimizando todos os nossos esforços.

Nessas horas é que precisamos de toda a determinação e foco do mundo para não cairmos nas ciladas de nosso convívio social. A melhor forma de acabar com esses comentários nos círculos mais próximos é falar de um jeito assertivo: “Essa é uma decisão minha e que tem trazido bons resultados para todos os pilares da minha vida.”

Se a insistência for muito grande, você pode até dizer que não julga ninguém por suas escolhas alimentares e, portanto, não gostaria de ser criticada também.

Contar como os novos hábitos têm feito bem para a sua saúde ou o quanto você anda mais disposta também é uma ótima estratégia. Truque esse que ainda ajuda você a se auto-afirmar que está no caminho certo.

No caso de encontros ou reuniões envolvendo comida, você pode dizer que vai optar pela escolha mais saudável sem problema algum. Mas a pessoa pode se sentir à vontade para comer aquilo que quiser. E, principalmente, que você está muito feliz com suas escolhas.

Quando for impossível recusar algo que alguém oferecer, o jeito é comer, mas em porções menores.

Agora, se você estiver super afim de comer aquela guloseima também não há problema nenhum. Não vai ser um dia de deslize que vai colocar tudo a perder, sobretudo, se você estiver focada nessa nova vida. Coma sem culpa!

Está passando por uma mudança alimentar? Compartilhe comigo quais as suas estratégias para não incorporar comentários negativos.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta