instagramcustom

Blog Archives:

Crianças x atividade física: como conciliar?

Voltar à rotina de atividade física com a criançada não é tarefa fácil. Com foco e um bom planejamento, tudo dá certo!

Júlia retomou as atividades escolares e físicas esse mês. Na Bodytech, inclusive, tem o programa Superkids, no qual ela está fazendo três aulas  – Ballet, Circo e Natação – e mais o inglês lúdico, com o parceiro Greenwich, uma vez na semana.

A novidade para nós, mamães, é que agora a unidade da Bodytech, na Savassi, tem um espaço kids onde as crianças maiores de três anos podem ficar com um dos instrutores da academia enquanto a gente treina ou nos intervalos das aulas infantis. Júlia faz ballet e depois inglês e se diverte no espaço kids entre as atividades. Já eu aproveito para treinar, tomar banho e sair pronta para os meus compromissos profissionais.

As mamães que entram no trabalho desde cedo, também têm a opção de deixar a criança por lá. Caso ela já tenha idade para ficar sozinha, é claro.

Vale lembrar que nada disso funciona se não tivermos planejamento. Pararmos 30 minutinhos no dia anterior e preparar a agenda, contar com imprevistos, separar lanches, uniformes, e conversar com a criança para que tudo saia bem.

Quem não tem babá, uma rede de apoio ou academia com infraestrutura infantil também consegue conciliar treinos e os cuidados com a criançada. É só escolher uma academia com uma mensalidade que caiba no seu orçamento. Certamente deve ter uma mesinha para que seu filho possa fazer o Para-Casa ou usar o tablet enquanto você treina. Ou até opções de aulas infantis para matriculá-la, e assim incentivar a prática esportiva desde cedo.

Com um bom diálogo familiar e planejamento as coisas se encaixam melhor.

Treine com prazer!

Praticar esportes por obrigação é definitivamente muito chato. Sem contar que as chances de você desistir dos treinos logo no primeiro mês são gigantescas.

Também sei que pegar gosto pela atividade física pode ser difícil. Afinal de contas, exercício dói. E, às vezes, ficar no sofá é bem mais prazeroso do que gastar energia levantando peso e fazendo força. Quando você persiste, entretanto, acaba descobrindo o bem danado que umas gotinhas de suor podem fazer pela sua autoestima, saúde e disposição.

Por isso, hoje quero compartilhar com vocês algumas estratégias para transformar a atividade física em um hábito gostoso e indispensável na sua rotina.

Marque o horário do treino como se fosse um compromisso de trabalho. O meu é sempre pela manhã, logo quando acordo. Assim já começo o dia pronta para encarar o que vier pela frente.

Tudo fica muito mais prazeroso quando a gente escolhe algo que curte fazer. Não adianta nada levantar peso, sendo que você acha musculação entediante. Felizmente, são inúmeros os esportes disponíveis: natação, corrida, funcional, dança, crossfit, patins… Em meio à tanta coisa, você vai achar algo que curte muito fazer.

Escolher uma academia agradável, com bons profissionais e bem equipada, também é fundamental na hora de manter a motivação sempre em alta. Eu, por exemplo, amo a Bodytech e o clima do lugar. Sem contar que os profissionais são todos excelentes, criando programas específicos para as minhas necessidades.

Uma outra dica é aquecer seu treino com uma boa trilha sonora. A música faz com que nossas emoções respondam de um jeito bem mais favorável ao exercício. O resultado do seu esforço vai valer a pena. Com o tempo, você vai se sentir muito mais disposta.

As aulas fitness que estarão com tudo em 2018

Assim como na moda, no design e na decoração, o universo fitness também tem suas trends.

De olho nas apostas para o ano que vem, o Colégio Americano de Medicina Esportiva publicou o Top Worlwide Fitnesse Trends. A pesquisa, super esperada no meio, indica quais serão as 20 tendências do mercado fitness para 2018. As aulas coletivas e o HIIT ainda encabeçam a lista.

Existem, entretanto, outras modalidades e programas que estão em alta nas academias do mundo inteiro e, certamente, vão conquistar ainda mais espaço. Os resultados? Nossos treinos vão ficar ainda mais prazerosos.

  1. HIIT – Treino Intervalo de Alta Intensidade
  2. Aulas Coletivas
  3. Wearable technology: dispositivos que podem ser ‘vestidos’ e ajudam a monitorar desempenho.
  4. Body weigh training – Treinamento com Peso Corporal
  5. Strenght training – Treinamento de Força
  6. Educated certified
  7. Yoga
  8. Personal training
  9. Programas fitness para idosos
  10. Funcional
  11. Exercise and weight loss – Exercício para Perda de Peso
  12. Exercise and weight gain – Exercício para Ganho de Peso
  13. Personal training de grupo
  14. Atividades ao ar livre
  15. Flexibility and mobility rollers – Flexibilidade e Mobilidade
  16. Licensure for fitness professionals – Licenciamento para Profissionais Fitness
  17. Circuito
  18. Wellness coaching – Bem-Estar Coaching
  19. Core Training – Treinamento Básico
  20. Sport Specific Training – Treinamento Especial para o Esporte

Para quem quer investir em alguns desses programas ou modalidades, a minha dica é a Bodytech. Acompanhar as novas tendências e garantir a melhor experiência para nós, alunos, sempre esteve no DNA da academia.

Para 2018, o HIIT, novas aulas coletivas, o uso de wearables e os treinos de força e com o peso corporal estão entre as novidades da rede.

A importância do personal trainer

Seja para conquistar o corpo dos sonhos, evoluir nos treinos ou aumentar a força e a massa muscular, o profissional de educação física é um dos personagens fundamentais.

Detalhe: a orientação de um personal trainer não vale apenas para os treinos de musculação, mas também para as corridas e o pedal ao ar livre. Afinal de contas, todas essas atividades exigem esforço por parte da musculatura e articulações.

O acompanhamento de um profissional pode trazer resultados muito melhores e mais rápido. Listei os principais.

Mais segurança e menos lesão

É o professor de educação física quem vai indicar os exercícios e a intensidade adequados aos seus objetivos e condicionamento. Além, é claro, de corrigir as falhas de postura durante a execução das atividades. Com isso, as articulações e a musculatura não sofrem esforços excessivos e as chances de você se lesionar são ainda menores.

Melhora do desempenho e condicionamento

Um bom educador físico cria uma rotina de treinos com atividades que vão ajudar a melhorar sua força e funções cardiovasculares e respiratórias. Esse desenvolvimento é essencial, pois um pulmão e coração fortes influenciam diretamente nos seus resultados.

Adequação à meta desejada por você

Só o personal trainer é capaz de indicar os exercícios mais adequados para conquistar o corpo dos sonhos. Lembre-se: o que vale para sua melhor amiga, pode não ser o mais adequado pra você. Cada corpo, uma sentença.

Muito mais motivação

Quando o assunto é motivação, o educador físico colabora em dois aspectos. O primeiro é a capacidade de elaborar treinos diversificados para evitar a monotonia e a desmotivação. O outro diz respeito ao apoio psicológico. Quem nunca deixou de correr alguns metros a mais ou completar uma série na academia por falta de um empurrãozinho incentivador? O incentivo verbal é fundamental para mostrar que você capaz de superar seus limites.

Seus resultados serão concretos

Com a orientação de um profissional, você vai evoluir continuamente. É ele quem vai criar uma periodização dos treinos para você atingir sua metas ou traçar outras, ainda mais ousadas.

A supervisão de um educador físico é tão importante quanto se exercitar regularmente.

E mais: engana-se quem pensa que isso só vale se tiver um personal trainer. Se você quer começar a se exercitar, mas está sem grana para investir em um atendimento individualizado, lembre-se que as academias contam com instrutores qualificados, oferecendo cada vez menos fichas padrão.

Estou sem personal no momento, mas digo que estou bastante satisfeita com o atendimento que tenho tido na Bodytech.

Por isso, escolha a dedo onde vai malhar e não hesite em pedir ajuda e discutir com o instrutor sobre seus objetivos, metas e em caso de qualquer dorzinha ou incômodo, hein?

No mais, é só investir em uma alimentação recheada de comida de verdade e ter – muita – força de vontade e disciplina.

O ciclo menstrual e a atividade física

Para cada fase do ciclo menstrual, um tipo e uma intensidade de atividade física específicos.

Que nós, mulheres, passamos por alterações hormonais durante todo o mês não é novidade pra ninguém. Sobretudo, naqueles dias em que os hormônios da TPM estão em alta no nosso organismo.

A novidade é que existem maneiras de tirar proveito de cada fase do ciclo, deixando os treinos ainda mais eficientes. E sim: você pode aproveitar para dar uma variada nas modalidades, e não cair no tédio.

Nos primeiros dias, aqueles que correspondem ao período da menstruação, tendemos a ficar menos dispostas. A recomendação nessas horas é não exagerar. A atividade física deve ser moderada. Se fizer algo que curta fazer, melhor ainda. Assim, você relaxa e afasta a tensão menstrual pra bem longe. Segredo: pratique o esporte que mais ama.

A partir do sexto dia, o nível do estrogênio – hormônio produzido e liberado pelo ovário – começa a aumentar gradualmente. O pico é atingido no 14º dia, que é quando ovulamos. Esse período é super favorável para ganhar massa magra. Aproveite a energia para treinar forte, dando o melhor que puder de si mesma.

Já na segunda metade do ciclo, a tendência é perder gordura. O famoso cardio, ou aeróbico, é a pedida perfeita, sobretudo se você quiser perder algumas gordurinhas acumuladas. Em tempos de calor, fica a dica de investir nos treinos na piscina.

Aprenda a gostar do chocolate amargo

Já sugeri diversas vezes no blog, o chocolate amargo ou invés das versões ao leite, recheadas de muito açúcar. Vale lembrar, inclusive, que o chocolate é super amigo de uma alimentação saudável: previne contra várias doenças, faz bem para o coração, cérebro e memória, e ainda proporciona uma sensação incrível de bem estar.

Quanto mais puro, melhor! É aí que vem o problema. Pode ser um pouco difícil adaptar o paladar ao sabor mais amargo das versões com mais de 70% de cacau. Tudo é questão de treino, hábito, costume. Felizmente.

Acostumados a comer chocolate com mais de 80% de açúcar, somos resistentes ao real gosto dos alimentos. Um café sem açúcar é forte demais, um chocolate com menos açúcar e mais cacau, amargo demais. Assim, é natural que a gente leve um tempinho para gostar de um chocolate 85% cacau.

Comigo foi assim. Mas garanto: tudo é questão de treino. E claro, estar aberta a novas experiências.

Você pode começar pelas barras 60%, 70% e ir subindo de nível, até chegar ao 100% cacau. O segredo é não morder. É chupar, degustar, saborear. É deixar que o chocolate solte o sabor aos poucos. Ao mastigar, as chances de você gostar são bem menores.

Experimente! Garanto que, em breve, você vai amar muito. E melhor: vai poder comer sem culpa e, de quebra, ainda vai aproveitar muito mais os benefícios que essa delícia traz para a saúde.

Exercitar faz bem para a autoestima

Praticar atividade física dá uma turbinada na autoestima e faz com que nos amemos mais. E isso não tem a ver só com um corpo mais firme, magro e bem formado.

30 minutos de exercícios moderados por dia podem alterar o jeito que olhamos nosso corpo. Quem prova isso é um estudo feito pela revista Psychology of Sport and Exercise que dividiu mulheres insatisfeitas com a autoimagem.

Um grupo malhou, enquanto o outro leu um livro. Quem suou se viu mais forte e magra.

É que ao fazer algo por nós, mesmas, sobretudo, que exige esforço físico, faz com que tenhamos uma sensação de capacidade. Isso acaba refletindo na nossa autoestima e amor-próprio.

Já reparou como você sente melhor tanto física quanto emocionalmente quando malha? Então, agora você já sabe que tudo faz sentido.

Se não estiver muito no clima de suar a camisa, vai aí mais um estímulo: nós, mulheres, temos muito mais resistência à atividade física que os homens.

Em uma pesquisa realizada pela Universidade British Columbia Okanagan, no Canadá, pesquisadores da Escola de Ciências da Saúde e do Exercício sugeriram que as mulheres ficam bem menos cansadas depois do treino que homens com idade e condicionamento semelhantes. A avaliação consistia em flexionar o pé contra um conjunto de sensores rápido e repetidas vezes. Os homens foram mais rápidos e potentes, mas também cansaram de repetir a execução dos movimentos antes das mulheres.

E aí, que tal calçar o tênis e ir movimentar o corpo na sua atividade física preferida?

Diga sim às hortaliças da estação

Nada mais gostoso que uma alimentação limpa, recheada de comida de verdade: legumes, verduras e frutas variadas. Na hora das compras, entretanto, é importante priorizar as hortaliças da estação.

Elas são mais saborosas

As hortaliças, como qualquer outro vegetal, se desenvolvem em diferentes épocas do ano porque têm características específicas que variam de acordo com o clima. As verduras e frutas da estação conservam melhor suas qualidades: são mais aromáticas e bem mais gostosas.

O valor nutricional é melhor

A quantidade de nutrientes varia de forma significativa com o calendário. Como algumas frutas e hortaliças se adaptam melhor a determinado clima ou estação, é natural que elas conservem melhor seu valor nutricional do que aquelas consumidas fora de época.

Você garante uma alimentação mais limpa e segura

Pode ter certeza: o uso de agrotóxicos, pesticidas e outros compostos químicos é muito maior quando se produz fora de época.

Não respeitar a sazonalidade é desrespeitar o meio ambiente

É extremamente prejudicial para o meio ambiente produzir hortaliças fora de época. A atividade é muito mais agressiva para o solo. Sem contar que o uso excessivo de compostos químicos pode contaminar não só os alimentos, mas os lençóis freáticos da região.

Seu bolso agradece

Como a produção de frutas em sua época de safra demanda menos interferências, é natural que o valor final seja bem mais barato. Ótimo para dar uma economizada.

As hortaliças de setembro

Sabendo de todos os benefícios de consumir as frutas, legumes e verduras da época, se liga na safra deliciosa do mês de setembro.

Legumes: abóbora paulista, batata doce, berinjela, cará, chuchu, inhame, jiló, mandioca, cenoura e rabanete.

Verduras: almeirão, beterraba, brócolis, couve-flor, espinafre e hortelã.

Frutas: abacate, acelora, banana, caju, goiaba, kiwi, lichia e tangerina.

A genética influencia nos resultados da atividade física?

Que atire no chão a primeira anilha, quem nunca se sentiu frustrada por não atingir determinado tipo de corpo por causa da genética. Como posso mudar meu corpo se minha genética não favorece?

Sim, os fatores genéticos podem influenciar os resultados. A boa notícia é que não existe genética boa ou ruim. E mais: nós podem alterar a estrutura do DNA. Portanto, nada de desistir de uma vida mais saudável, porque “minha genética não favorece”.

Os fatores genéticos são expressos de duas formas: as características genotípicas, que são as internas, relacionados ao nosso DNA, e as fenotípicas, ligadas ao meio em que estamos. E é nessa segunda forma que se encontra o segredo para melhorar aquilo que não gostamos fisicamente, e que é o resultado da tal da genética.

Vários estudos sugerem que, como o fenótipo varia de acordo com o meio que estamos expostas, fatores externos podem alterar a estrutura do DNA.

Não se acomode no padrão. Não é porque você vive em constante guerra com a balança, tem os braços grossos demais ou as pernas muito finas, que não dá para mudar sua estrutura. É só oferecer estímulos para isso.

Bons hábitos, como a prática regular de atividade física, alimentação equilibrada, redução dos vícios e descanso são a chave para a melhoria da nossa estrutura física e, sobretudo, de uma vida mais leve, saudável e feliz.

Seja para emagrecer ou ganhar massa magra, procure os profissionais da Nutrição e Educação Física para te ajudar nessa.

Lembre-se que o programa de Coaching desenvolvido pelo Vida Pós Parto vai te apoiar nesse processo, fazendo com que você se conheça melhor e elimine tudo aquilo que impede a sua evolução.

Descubra novas experiências no supermercado

Você odeia supermercado e costuma fazer as compras às pressas só para ficar livre dessa tarefa rápido? Ou então, você até curte, mas considera uma missão quase impossível resistir aos doces e outras comidinhas deliciosas, mas que não são bem-vindas no dia-a-dia?

A dica é transformar o passeio com o carrinho em uma oportunidade de se abrir para novas experiências. Já pensou em quantas descobertas deliciosas você pode estar perdendo por fazer as compras de forma tão mecânica?

Uma estratégia ótima para deixar o momento bem mais empolgante é usar algumas técnicas do Mindfulness – aquela método criado para reduzir o stress por meio de nos concentramos apenas naquilo que estamos fazendo no momento.

Como isso pode ser aplicado no supermercado? Ao entrar, você deve parar, respirar e olhar para todo o ambiente e depois para você mesma. Volte a atenção para o que está à sua volta, e observe tudo atentamente durante um minuto.

Assim, você foge do piloto automático e mantém foco total apenas nas compras que vai fazer. Muito mais relaxada, você vai olhar atentamente as prateleiras, de forma a descobrir novas cores, sabores e produtos incríveis para criar receitas saudáveis e super gostosas.

O mais legal de tudo é que você pode usar essa técnica em diversas outras situações do cotidiano, inclusive no seu trabalho na hora de realizar tarefas rotineiras.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta