instagramcustom

Blog Archives:

O melhor ovo de Páscoa para as crianças

Ao leite, branco, amargo, recheado… São várias as opções de ovos de Páscoa no mercado! Uma mais deliciosa e tentadora que a outra tanto pra gente quanto pra criançada.

Precisamos ficar de olho qualidade do chocolate e no consumo, sobretudo, para os pequenos. Segundo especialistas, a moderação é importante para evitar os efeitos negativos do açúcar e gordura, como a cárie, obesidade e colesterol.

Felizmente alguns truques nos ajudam a levar para casa um ovo de qualidade, saudável e muito mais saboroso.

Tipo de chocolate

O ovo feito com chocolate meio amargo é o que traz mais benefícios. Ele é feito com mais cacau do que açúcar. Só que seu sabor mais forte pode não fazer muito sucesso entre a criançada. Então, aposte nos ovos com grande quantidade de leite, ricos em cálcio, e livres de açúcar e conservantes.

Consumo

Outra dica infalível é estabelecer porções e horários para comer o ovo com seu filhote. Nada de comer tudo de uma vez!

O excesso de chocolate pode causar diarreia e vômito e deixar a criança muito ansiosa.

Agora, se você quiser se aventurar na cozinha, convide a criançada pra fazer junto com você um ovo caseiro. Pode ser muito prazeroso criar uma receita do jeitinho que vocês mais gostam. Que tal?

VPP Entrevista: Ana Paula Garcia, do Mãe na Hora Certa

Hoje eu bati um papo com a Ana Paula Garcia, no Vida Pós Parto na CDL FM 102.9. Ela é Coach para gestantes e idealizadora do Mãe na Hora Certa. Pra quem perdeu a entrevista, segue na íntegra. Vale super a pena conferir.

Letícia Melo: Você idealizou o Mãe na Hora Certa após uma experiência de vida sua na maternidade?

Ana Paula Garcia: O Mãe na Hora Certa é um projeto de Planejamento Financeiro, Pessoal e Profissional para as tentantes e gestantes. Eu idealizei este projeto depois do nascimento dos meus filhos, pois entendi que nos preparamos para os nove meses de gestação e não para as mudanças que chegam com o nascimento dos nossos filhos.

Letícia Melo: Eu posso dizer que o projeto também é um gerador de conteúdo para as mães além do serviço de Coaching? Conta pra gente como funciona e quais os serviços do Mãe na Hora Certa.

Ana Paula Garcia: Sim, mantenho as redes sociais do Mãe na Hora Certa com conteúdos diferenciados sobre como se planejar para a chegada do bebê. Desenvolvi o Coach para Gestantes e Tentantes para orientar as futuras mamães a se planejarem para as mudanças que vão ocorrer na sua rotina com a chegada do seu filho. E a novidade deste ano é o Personal New Mom, um passo a passo de como organizar a casa da futura mamãe para receber seu bebê.

Letícia Melo: E o coaching para as gestantes apoia a mãe em quais etapas da maternidade?

Ana Paula Garcia: O processo de coaching permite apoiar a futura mamãe em todas as etapas: antes, durante e depois da gestação. Vamos atuar a partir do momento que a mamãe me procurar, depende da fase que ela estiver vivenciando. Quanto antes iniciarmos o processo mais tempo essa mãe terá para se planejar.

Letícia Melo: Se você pudesse dar uma única dica para as Mães, qual seria?

Ana Paula Garcia: Futuras mamães não deixem para tomar suas decisões pessoais, financeiras e profissionais no período da sua licença maternidade, este é um momento conturbado de emoções a flor da pele que podem influenciar negativamente suas escolhas. Façam seu planejamento materno além dos 9 meses da sua gestação, afinal filho é para a vida toda! Ana, obrigada por compartilhar seu conhecimento e projeto conosco. Para quem quiser saber mais, é só acessar o Mãe na Hora Certa no Facebook ou Instagram.

Animais de estimação para a criançada

Seu filhote tem ou já pediu um animalzinho de estimação? A dupla criança e pet pode ser uma parceria de sucesso.

Um dos benefícios mais conhecidos dessa dobradinha, certamente, é o companheirismo. O pequeno que convive com animais desde cedo desenvolve melhor a capacidade de se relacionar afetivamente. É que essa interação estimula a sensibilidade e os sentimentos de solidariedade, generosidade, afeto e, principalmente, o respeito.

Cuidar de um bichinho, segundo especialistas, também faz com que a criança seja mais responsável e tenha autonomia.

Os benefícios não param por aí. Com essa relação, o pequeno descobre temas naturais da vida, como o nascimento, a procriação e a morte. A criança aprende, assim, a lidar com a perda e a morte.

E, sim, os animais despertam a consciência ecológica e auxiliam na prática de atividade física, por meio de brincadeiras e passeios.

Apesar da relação positiva, é importante lembrar que os pais esperem a criança desenvolver melhor a habilidade motora para adotar um pet. A casa e a rotina também devem estar preparadas e organizadas para receber esse novo membro da família.

Júlia e eu tivemos uma experiência um pouquinho triste com animais de estimação. Tivemos uma Schnauzer chamada Flô. Ela faleceu aos três anos, quando Júlia completaria 1 ano de vida.

Eu era muito apegada a minha cachorrinha. Durante os 9 meses da gestação, ela me acompanhou de pertinho, deitava muito no meu barrigão de grávida. Depois do nascimento da Júlia, a Flô entrou em depressão, e e eu sofri muito por isso.

Cachorros são muito especiais e têm uma empatia enorme com quem eles escolhem como “donos”. Hoje a Flô está na lembrança da Júlia por meio das fotos. E, claro, como toda criança, ela também me pede um animalzinho de estimação. Na real, estou em dúvida se compro ou adoto, mas confesso que gostaria muito de ter uma novamente! Acho sensacional e são as únicas criaturas desse mundo que recebem a gente na porta de casa todo dia como se fosse a primeira vez. Amo!

Ler é fundamental

Seja no kindle, tablet, note, celular ou nos charmosos livros de papel, a leitura é fundamental em nossa vida. Muito mais que um hábito pra lá de prazeroso, com ela nos tornamos pessoas muito melhores.

Isso tudo porque ler traz benefícios em diversas esferas de nossa vida. Aprendemos a nos expressar melhor. Para quem fala em público, ela ajuda a desenvolver a oratória. Além, é claro, de melhorar nosso repertório de palavras. Digo isso por experiência própria.

Ler também nos deixa mais inspiradas. Os livros nos libertam de padrões, ideias pré-concebidas, abrindo nossa cabeça para um mundo novo.

A leitura nos tira da zona de conforto. Principalmente quando o livro aborda um assunto ou perspectiva diferente daqueles que estamos habituados. Eles nos fazem refletir, oferecem novas ideias, que nos despertam para novos pontos de vista.

O resultado disso é um autodesenvolvimento contínuo e maior qualidade nos relacionamentos interpessoais.

Se você está precisando de algumas dicas, compartilho abaixo uma listinha com alguns livros que li nos últimos meses e têm me inspirado bastante.

  • Empreendendo felicidade (Pedro Salomão)
  • Osho, o livro das mulheres
  • Osho, vivendo perigosamente
  • O poder do agora (Eckhart Toll)
  • Autorresponsabilidade (Paulo Vieira)
  • Autoestima do seu filho ( Dorothy Corkille)

VPP Entrevista: Julyana Mendes, do Mãe de Sete

A Julyana Mendes, do Mãe de Sete, foi convidada especial da primeira edição do #VPP Apresenta. Aproveitei para entrevistá-la no Vida Pós Parto na CDL FM 102.9. O bate-papo foi ao ar hoje. E a entrevista está disponível na íntegra para quem perdeu ou quer conferir de novo.

A Julyana Mendes é de Brasília, palestrante, influenciadora digital e mãe de sete filhos!

Letícia Melo: O que te motivou a criar o projeto Mãe de Sete?

Julyana Mendes: O Mãe de Sete nasceu quando a Bia, minha sétima filha, tinha seis meses. O projeto nasceu dessa oportunidade de trocar experiência e aprender. Eu pensei que eu poderia aprender muito com elas também. É um projeto que nasceu com essa missão de aprender e de compartilhar muito da minha experiência também.

Letícia Melo: Nas suas redes sociais, você falou recentemente sobre desnudar-se. Sobre falar na real para os seus filhos o que te incomoda profundamente. Como é o diálogo em casa com sete filhos e sete idades completamente diferentes?

Julyana Mendes: Eu acho que essa coisa da idade diferente é minha maior demanda. É a minha maior dificuldade! Mas desnudar-se que eu falei é a o auto-conhecer. É você precisar passar para os seus filhos que você não é perfeita, que você falha e erra. Que você conhece seus limites. Então se você passa isso pra eles… Você passa isso de acordo com a idade de cada um, com a demanda da vida de cada um. Mas é sempre dizer: “Olha, isso aqui eu não consigo fazer. Isso aqui eu errei, eu exagerei”. Isso que é muito importante: não passe a perfeição, porque eles não serão assim. Isso frustra, né?

Letícia Melo: Aproveitando que estamos no mês de março, mês da mulher, qual recado você deixa para nós, mulheres? Porque antes de sermos mamães, somos mulheres!

Julyana Mendes: Exatamente! Começa por aí, né? A família começa pelo marido e pela esposa. Não com o pai e mãe necessariamente. Eu falo que sou o exemplo para minhas quatro filhas não como mãe, mas como mulher. Eu quero que elas me olhem dessa maneira: de uma mulher que se cuida, que se ama, que tem seu tempo, que estuda, que tem amigas. A gente não é só mãe e não podemos esquecer esse lado. Até por que, quando eu casei com meu marido, eu casei com seis filhos. Eu já tinha seis filhos! Quando ele me olhou, ele não viu uma mãe, ele viu a mulher que está carregando tudo isso. Fortaleça a sua mulher, que ela te carrega no colo quando a mãe precisa.

Monte as regras com seu filho

De acordo com a Mariana Lacerda, Educadora Parental em Disciplina Positiva, envolver a criança na criação da regra de casa é mais eficaz do que simplesmente dizer “não pode”.

Pensa bem, você gostaria de ser proibida de fazer algo sem ter muita explicação? Com a criançada funciona do mesmo jeito. Você acaba limitando o pequeno até mesmo a se desenvolver. O resultado pode ser um adulto cheio de complexos no futuro.

Segundo ela, a autonomia é o segredo da educação. E conceder autonomia ao seu filho tem tudo a ver com respeito. A respeitar sua capacidade, seu potencial e até mesmo as descobertas nesse mundo incrível, repleto de possibilidades.

É muito mais produtivo ficar do lado da criança, apoiando-a sem fazer por ela o que ela já consegue ou deseja fazer sozinha, do que fazer pra ela. É muito mais gostoso quando o relacionamento materno é embasado na parceria, em criar regras juntos. Enfim: você está colaborando com o crescimento da criança enquanto pessoa quando acompanha o seu desenvolvimento sem se intrometer.

Que tal seguirmos o que a Mariana fala sobre o assunto e passar a confiar no seu pequeno? Ele tem potencial. Afinal, “a criança que se desenvolve com autonomia também desenvolve seu senso de autoconfiança”.

Para saber mais sobre Disciplina Positiva, participe do #VPPApresenta, no dia 10 de março, no Boulevard Plaza Hotel. A Mariana Lacerda será uma das palestrantes. Aguardamos vocês!

Preservar o meio ambiente também é coisa de criança

Despertar a consciência ecológica na criançada desde cedo, é fundamental para que tenhamos um futuro sustentável. É claro que nós, mamães e papais, somos peças fundamentais nesse processo. Afinal de contas, uma boa educação começa em casa, certo? De forma complementar, vem a escola.

Ensinar aos nossos filhotes a separar os lixos, a não desperdiçar e consumir de forma consciente são algumas das iniciativas que estão em nossas mãos para ajudá-los a construir um entendimento, desde cedo, sobre as temáticas ambientais. O mais legal é que tudo pode ser feito brincando.

Confira abaixo algumas dicas que busquei de especialistas lendo sobre o assunto:

Reciclagem

Coloque seu filhote no comando da coleta do lixo reciclável. Deixe que elas separem esses itens dos orgânicos. Uma coisa super lúdica que pode ser feita é aproveitar as caixas para construir novos objetos: casinhas, bonecas, árvores. Além de reciclar, você ainda está incentivando a criatividade da criança.

Games ecológicos

Existem diversos joguinhos online que despertam a criança para a importância de cuidar do meio ambiente. Incentive-a a jogá-los nos momentos de lazer. Outra atividade interessante é criar um quiz para testar e ensinar novos conhecimentos de sustentabilidade ao seu filhote.

Espalhe bilhetinhos

Coloque bilhetinhos, por escrito, em locais estratégicos lembrando da importância de cuidar do meio ambiente. No espelho do banheiro, você pode escrever pedindo para fechar a torneira enquanto eles escovam os dentes. Na lixeira, para separar os orgânicos dos recicláveis.

Doe um brinquedo e faça outra criança feliz

Periodicamente, sente com a criança para organizar o armário. Separe brinquedos e roupas que ela não usa mais, e explique que os mesmos podem ser aproveitados e fazer a alegria de outras crianças. Combata o desperdício Quando a criança pedir algo para comer, ressalte a importância de juntos analisar o tamanho da fome, a quantidade de comida que será servida. O objetivo é que seu filho coma para se sentir satisfeito, evitando, assim, desperdícios. Afinal de contas, tem muita gente passando fome no mundo.

Lancheira Saudável

A Letícia Oliveira, Nutricionista Infantil e fundadora da Nutrininos, escreve hoje sobre as opções mais saudáveis de lanches para seu filho levar para a escola.

“Acabaram as férias e agora vem a grande dúvida: o que colocar na lancheira do meu filho?

Precisamos pensar em lanches saudáveis, que darão energia para os pequenos, tenham boa duração na lancheira, sejam atrativos e variados. Haja imaginação! Já sabemos que biscoitos recheados, sucos industrializados, refrigerante, chips e salgadinhos industrializados são péssimas opções para a rotina das crianças por serem calorias vazias, ou seja, são muito calóricos, cheios de açúcares e conservantes e não carregam quase nenhum nutriente.

É importante ofertamos um pouco de cada grupo alimentar para garantirmos um melhor valor nutricional, com nutrientes e energia para a criança.

No grupo das proteínas podemos oferecer leite, queijo branco, iogurte natural, ovo e até um franguinho desfiado no recheio de um sanduíche.

No grupo dos carboidratos podemos oferecer os pães integrais, bolos e biscoitinhos caseiros. Aqui também pode entrar o milho cozido, a pipoca, palitos de legumes, mandioca, cuscuz.

No grupo das gorduras podemos oferecer as castanhas e nozes. Para beber, a água mineral é a melhor opção, a água de coco e os sucos naturais ou integrais também podem ser boas alternativas.

O horário que a criança estuda, a rotina da escola e a idade da criança também irão fazer diferença, por exemplo, se a criança estuda na parte da manhã e almoça em casa, opte por lanchinhos mais rápidos e que não “encham” tanto a criança para não perder o apetite do almoço: fatia de queijo uma fruta e duas castanhas sem sal). Já as crianças que estudam na parte da tarde, é importante ter um lanche mais reforçado: pão, queijo e fruta.

Algumas dicas:

  • Prefira enviar as frutas inteiras pra não ficarem pretas e pouco atrativas;
  • Quando for mandar frutas picadinhas prefira as que não oxidam com facilidade (manga, melancia, morango, uva, goiaba);
  • Você pode enviar frutas desidratadas – damasco, uva passa, maçã, banana, figo – e mande muita água neste dia;
  • Prefira os sucos naturais, ou faça polpas de suco natural em casa mixando duas ou três frutas ou uma hortaliça (exemplo: maracujá com maçã e couve);
  • Prepare receitinhas de bolos e pães caseiros uma vez por mês e congele, assim fica prático para o dia a dia. Você só precisa assar diariamente. Use forminhas divertidas para variar a apresentação. Acrescente nutrientes as massas, pode ser através do purê de um legume, aveia, linhaça, castanhas;
  • O tipo da lancheira também pode influenciar no tempo que o alimento vai se manter quente ou frio. As lancheiras térmicas são as melhores opções, e algumas vêm com compartimento para gelo e garrafinha. Os potinhos para colocar os alimentos são indicados os de plásticos BPA Free. Já as garrafinhas, vale optar pelas térmicas ou as de plástico que também devem ser BPA Free.
  • Envolva a criança no preparo do lanche e na organização da lancheira. A higienização da lancheira deve ser feita diariamente para evitar o crescimento bacteriano e que os resíduos do lanchinho causem mau cheiro.”

VPP Entrevista: Clarissa Yakiara

O Vida Pós Parto na CDL FM 102.9 conversa na próxima terça, dia 27 de fevereiro, com a Clarissa Yakiara, psicóloga e idealizadora da Bee Family.

VPP: Conta para os nossos ouvintes o que é a Bee Family.

Clarissa: A Bee Family é uma “escola” para pais e mães de crianças de 0 a 7 anos, que desejam se tornar um exemplo digno de ser imitado por seus filhos! Um espaço acolhedor para aqueles pais e mães que sentem que educar um ser só é possível a partir de um processo honesto e profundo de autoeducação.

VPP: Quais os maiores dilemas das mães em relação à criação dos filhos, que hoje é o que mais se discute no grupo, e como você abraça esse tema?

Clarissa: Os dilemas são bem variados e envolvem a maioria dos desafios que nós pais e mães de crianças pequenas vivenciamos hoje em dia! Desde como dar limites e organizar a rotina com as crianças, questões de alimentação, sono, escolha e adaptação na escola, a questões pessoais, tais como mudanças na vida conjugal, profissional e familiar depois da chegada dos filhos, sobrecarga que sentimos, a busca do equilíbrio, rede de apoio… Enfim, abordamos os mais diversos temas que fazem do universo materno, paterno e familiar!

VPP: Assisti uma palestra sua onde você fala de como trabalhar em casa com as crianças e achei interessante quando mencionou que eles precisam de entender que o que fazemos tem início, meio e fim. Conta pra gente mais sobre essa dica para as mamães e papais que trabalham home office por exemplo. Realidade que é cada vez mais comum.

Clarissa: Na verdade, o que disse é que é importante que as crianças consigam perceber os processos completos no dia-a-dia familiar, em especial quando estes pais trabalham em casa. Ela precisa ver que as atividades que fazemos em nosso dia-a-dia tem início meio e fim. Por exemplo, se vou fazer uma sopa, eu primeiro separo os alimentos, depois descasco, lavo, pico, cozinho para somente depois servir esta comida para a família. Neste caso, a criança pode visualizar todas as etapas do processo – dependendo de sua idade pode até apoiar – diferente de quando o adulto está sentado na frente do computador e a criança não percebe o processo das atividades que estão acontecendo ali. Acompanhar este FAZER que tem início, meio e fim dos adultos, inspira um brincar mais concentrado e criativo da criança, permitindo que o adulto possa ter mais tempo livre para trabalhar e se concentrar em suas atividades.

VPP: Uma das maiores dificuldades que eu ouço as mamães discutirem hoje na educação dos filhos é colocar limite e ser mais ouvida pelos filhos. Qual dica você daria pra gente?

Clarissa: Quando falo de limites as duas palavras que me vem em mente são disposição e conexão. Quanto mais disponíveis estivermos para observarmos nossos filhos e conectados para nutri-los emocionalmente, sinto que saberemos exatamente como conduzir e guiar as crianças em cada situação, ou seja, apresentar os limites e as fronteiras que cada pai e mãe vai escolher para sua família!

VPP: Você gravou um vídeo sobre como educar o filho em 4 passos. Pode falar um pouco dos 4 passos pra gente?

Clarissa: O primeiro passo é observar a criança, principalmente as questões e comportamentos que nos incomodam. A partir daí, vou para o segundo passo que é a auto observação, ou seja, vou observar a mim mesmo(a) afim de buscar a correspondência do que estou percebendo em meu filho dentro de mim. Assim que começo a encontrar essas questões em mim vou começar um processo de redesenho do meu comportamento (3º passo) e logo buscar maneiras criativas para conduzir meu filho neste processo de mudança também (4º passo). Parece simples, mas é um processo que requer muita coragem, humildade e vontade de se tornar mesmo um exemplo digno de ser imitado pelos pequenos.

VPP: Como foi pra você mudar de país e adaptar a família em uma outra cultura? Por que você fez essa escolha?

Clarissa: Era algo que estávamos planejando há mais de 2 anos. Já conhecáamos bem a cidade e éramos apaixonados por Pucon. Tínhamos alguns amigos que já viviam lá, o que facilitou bem o processo! Estávamos em busca de uma vida mais tranquila, numa cidade pequena e que tivesse uma escola orientada pela Pedagogia Waldorf. O mais difícil foi adaptar ao clima. Pucon é uma cidade que tem as estações bem definidas e marcadas: no inverno faz muito frio. Além disso, lá chove em média de 7 a 9 meses por ano. Esse está sendo o maior desafio.

Pra quem quiser saber mais, aproveite a estadia da Clarissa no Brasil. Ela será uma das palestrantes no evento do Mom is Cool e Na pracinha, dia 28 de fevereiro, próxima quarta. Saiba mais em: acesse bit.ly/entrenos1

Como organizar a festa de aniversário do seu filho?

A Viviani Werneck, do IdeaAZ 4 You, realizadora de festas personalizadas, compartilhou conosco algumas dicas ótimas para você organizar a festa de aniversário do seu filho.

“Acredito que toda alegria deve ser festejada. A descoberta de que o seu bebê vai chegar, os primeiros 365 dias da vida do seu maior presente (um filho) e todos os próximos dias da vida dele, a formatura ou as demais comemorações da sua família significam muito e são verdadeiras conquistas. Por isso celebre sempre!”

Se você é mãe, e assim como eu também ama festejar, vou te dar umas dicas para organizar a festa do seu pequeno:

1. Planeje a festa com antecedência, pois assim ficará mais fácil organizar todos os detalhes;

2. Monte um cronograma e siga o seu planejamento;

3. Crie uma planilha com os gastos estimados para o seu evento;

4. Se você for montar a decoração, teste antes. Para isso, vale usar até a sua mesa de jantar;

5. Conte a história que você deseja na sua decoração, abuse dos elementos e complementos;

6. Defina a paleta de cores da sua festa;

7. Não abra mão das flores e dos balões, pois eles trazem alegria;

8. Mergulhe na inspiração!

Pesquise muito sobre o tema, assista o filme (se este for um tema clássico) e crie a sua festa. Realmente o processo construtivo e a organização de uma festa demandam muita de dedicação e comprometimento, mas o resultado final é muito prazeroso e estimulante. Comece e você não vai para mais!

  • Site desenvolvido por Agência Vetta