instagramcustom

Blog Archives:

Sobre o papel de ser mãe

Fiz um post desabafo na semana passada, em que dizia que não somos obrigadas a fazer e dar conta de tudo. Indo um pouquinho mais além, ressaltei a importância de fazermos aquilo que julgamos fazer bem pra gente em primeiro lugar.

Prosseguindo o assunto, hoje gostaria de falar para quem acabou de se tornar mamãe e ainda está com várias dúvidas sobre como assumir mais esse papel.

Quando engravidamos, criamos mil de expectativas. Ficamos ansiosas e apreensivas: temos que ser a mãe e a esposa perfeita, cuidar da casa, ter sucesso profissional e ainda estarmos sempre lindas.

Como já disse, não dá para fazer tudo ao mesmo tempo. O primeiro passo é aceitar e não entrar em pânico. Racionalize cada uma das atividades.

Enquanto as crianças ainda são pequenas, talvez elas precisem mais de você do que o trabalho. O sucesso profissional pode esperar um pouco. Enquanto isso, planeje o que quer fazer depois que elas crescerem.

Não se culpe! Tente fazer o que está ao seu alcance. Nem sempre fazer tudo é o melhor. Deixe a ansiedade de lado e não descuide nunca de você. Cuidar da saúde e do corpo deixa a autoestima mais alta e a gente fica muito mais disposta pra encarar todas essas tarefas!

Caso precise de uma apoio nesta fase da vida, saiba que o Coaching para Mães vai ajudá-la. Vamos juntas nessa! Envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão.

Apaixone-se pelo seu dia-a-dia

Do que adianta decidir emagrecer, ir à nutricionista e sair com um plano alimentar na mão se você não gosta dele? As chances de jogar tudo para o alto são gigantescas!

O mesmo acontece no trabalho. Não adianta nada cumprir todas as tarefas sem paixão e pedir um aumento no final do mês. A resposta obviamente vai ser não.

Se tivermos paixão as coisas mudam! Toda pessoa apaixonada vive melhor, trabalha melhor, se relaciona melhor e ganha melhor. Quem é apaixonada pelo seu dia-a-dia dorme melhor, acorda melhor e certamente é mais bem-humorada.

Os resultados são provenientes dos processos, de cada passo. Se não forem realizados com paixão e tesão não terão resultados satisfatórios. Um exemplo disso é emagrecer e manter a boa forma conquistada com saúde por um período duradouro. Se você não se apaixona pelo que faz, como se alimentar de forma saudável, possivelmente seus dias fiéis ao plano da nutricionista estarão fadados ao fracasso.

Todo pé tem seu sapato, todo gosto tem seu bolo, toda panela tem sua tampa. Temos que procurar até achar algo que nos faça feliz na nossa rotina. O nosso dia-a-dia é a nossa vida! Não fique esperando o dia em que vai ganhar na loteria ou perder 20Kg para ser feliz. Esse dia não existe. Só vai existir se o processo for feito com paixão e você parar de xingar as segundas-feiras e sentir angústia aos domingos.

Caso precise de um incentivo o Coaching pode ajudá-la. Vamos juntas nessa! Envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão.

Quem disse que temos que fazer e dar conta de tudo?

Ser a melhor mãe do mundo? Ter sucesso profissional? A companheira mais paciente? A amiga mais prestativa? A mulher perfeita! Tantos papéis, tantas cobranças. E a paciência? Vai ficando escassa.

Difícil se cobrar em ser nota 10 em tudo, e ainda ter paciência! Mas quer saber de uma coisa? Quem disse que temos que ser perfeitas em tudo? E mais: que temos que fazer tudo.

O que você quer de fato? O que te faz bem? Fazer as coisas por obrigação, ou simplesmente para agradecer os outros é péssimo! Isso mina nosso foco e energia para aquilo que realmente era importante pra gente. E sim: acaba com nossa paciência.

O que você quer fazer de verdade? Aproveite o fim de semana para refletir e relaxar. Curta com quem você mais ama, fazendo aquilo que mais gosta!

Autorresponsabilidade não é fazer tudo sozinha

Falei semana passada sobre autorresponsabilidade e que “somos nós temos que fazer e ninguém mais”.

A mensagem que quis passar foi de que as nossas escolhas somos nós quem deveríamos fazer e ter coragem de assumi-las. É sobre ser protagonista da própria vida e ter capacidade de colocar as nossas escolhas em prática.

É verdade que depois que a gente faz nossas escolhas pode ser difícil assumir e colocar tudo em prática. A capacidade de realização não é pra todo mundo.

Não estou falando que temos que sair fazendo tudo sozinhas. É por isso que precisamos de apoio, de algum profissional que nos incentive a dar o primeiro passo e enxergar propósito no que decidimos fazer. De ter uma equipe para nos estimular a realizar nossos objetivos profissionais. Os nossos amigos e a nossa família também são fundamentais nesse processo, sobretudo nas questões pessoais.

O processo de coaching você é incentivado a planejar a realização de cada um dos seus desejos. Geramos clareza de como fazer acontecer , no plano de ação que você vai desenhar para dar o primeiro até o último passo.

Não sabe quais são seus sonhos? Pois então, a mentoria ainda nos ajuda a pensar, sonhar e até escolher o que queremos da nossa vida. Está precisando de um empurrãozinho para se descobrir ou tocar seus desejos? Vamos juntas nessa! Envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão comigo.

A tal da autorresponsabilidade

Falei outro dia sobre o quanto temos o péssimo hábito de reclamar. E como se não bastasse, encontrar culpados pelas coisas ruins que acontecem conosco. Essa atitude pode até ser automática.

A grande verdade, entretanto, é que somos, nós, as principais responsáveis por tudo o que acontece, tanto de positivo quanto negativo. São as nossas escolhas que direcionam nossos caminhos. Não existe destino, acaso ou fatalidade.

Não adianta buscar explicações para as coisas que acontecem, enquanto tudo que acontece é uma resposta às nossas atitudes ou omissões.

Nada de achar isso tudo assustador. Na real, saber que tudo está em nossas mãos é altamente empoderador.

Se estamos em uma situação ruim, fomos nós que nos colocamos nela. Melhor: temos força e potencial para sair dela. E se queremos muito a realização de algo, está em nossas mãos fazer acontecer. É só abrir mão da preguiça e ir à luta.

Nada está fora do nosso controle. Somos nós quem ditamos as regras, escolhemos os rumos e mudamos a direção quando necessário. A gente sabe exatamente o que fazer caso nossas ações não estejam nos levando para onde gostaríamos de ir.

Só nós temos que fazer acontecer e ninguém mais. Encorajador isso, certo?

Minha agenda é meu chefe!

Recentemente falei aqui no blog sobre uma sensação super comum na maioria das pessoas. Estamos sempre ocupados, e ainda assim não conseguimos cumprir todos os nossos compromissos. Falta tempo até para o lazer, para curtir a família, os filhos e amigos.

Hoje, compartilho com vocês algumas dicas para otimizar o tempo. Depois de bater muito a cabeça, aprendi que a agenda foi feita para ser cumprida. Assim, ao fim do dia, teremos certeza que está tudo bem e que as outras tarefas serão cumpridas na sequência. O que não vale nunca é procrastinar. Se tal compromisso só fica em pensamento, a chance de esquecermos dele é gigantesca! Tudo que é escrito gera muito mais compromisso e visualização da ação concluída.

À medida que nossa vida muda, nossos hábitos precisam ser modificados também. Só assim pra conseguir comportar todas as tarefas na agenda durante as 24 horas do dia.

Um hábito que mudei depois que Júlia nasceu foi deixar de ver TV à noite. Comecei a ficar mais tempo com ela, fazê-la dormir, preparar minhas refeições do dia seguinte, trabalhar (porque rendo mais à noite em certas coisas), checar as redes sociais, notícias ou ler umas páginas do livro. Às vezes até treinar à noite era uma opção. Juro! As novelas me ocupavam muito tempo! E só fui perceber isso depois que me tornei mãe.

Tem um exercício que adoro dar para minhas clientes de coaching: escrever o que fazem e o que gostariam de fazer em determinado horário. Muitas percebem que não substituem a tarefa, porque o piloto automático e a zona de conforto já se instalaram. Muita coisa pode ser mudada com médio ou pouco esforço. Basta enxergar o que aquela atividade está trazendo de perdas ou ganhos.

São várias dicas para uma agenda produtiva e eficaz. Se quiser saber mais envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão.

Coaching de Mães para Mães

Quando a sessão de Coaching é para um coach do mesmo segmento de mães?

Eu achei o máximo poder apoiar uma mãe que quer seguir apoiando outras mães assim como eu.

A maioria das mamães que me procuram querem resgatar a autoestima perdida após o parto. A maternidade pode acarretar na falta de cuidado consigo mesma devido à dedicação ao filho, novas preocupações e várias outras tarefas na rotina.

Aquela mulher que tinha tempo para si mesma e para o companheiro, ia ao salão nos intervalos do trabalho e saía com as amigas à noite, agora se divide em mil e usa seus horários livres na agenda para cuidar do filho. Com amor e prazer, é claro, mas muitas vezes, ela se sente angustiada por não entender e adaptar tão rápido às mudanças que a vida pede.

O Coaching para Mães apoia essa mulher que deseja alcançar o que deseja, mas não consegue, que procrastina por não ter energia ou por dúvida do que realmente deseja após tantas mudanças em sua vida.

Atender a Karine que apoia mães no casamento após a maternidade foi enriquecedor. Saber que não somos professoras de vida nem sabemos mais que ninguém. Muito pelo contrário, aprendemos umas com as outras e nos apoiamos na caminhada da vida.

E o coach veio para questionar, para dar aquela chacoalhada nas coisas e apontar o que não está nos fazendo bem. Pensar e repensar no que pode ser feito e ter coragem para mudar. Ação muita ação para o que talvez esteja parado ou para aquilo que nem sabemos que podia ser feito, porque estamos imersas nas eternas e costumeiras justificativas que damos à vida.

Tem poder quem age. Um grão por dia. No final teremos uma semana, um mês, um ano cheio de realizações e pontos finais.

Antes de reclamar, aponte o dedo pra você

Temos o péssimo hábito de reclamar, não é mesmo? Reclamos do vizinho, do colega de trabalho, do marido (ou namorada), da professora da escola, da pós-graduação, de não termos o corpo perfeito ou de faltar força de vontade para ir à academia.

Muitas vezes reclamamos sem nem pensar, mas pelo simples fato de repetir padrões que nos foram ensinados.

Você já parou para pensar que o problema talvez esteja com você mesma? Se as coisas não andam rendendo conforme gostaria, pode ser por falta de auto responsabilidade e determinação.

A proposta que faço hoje para vocês é diferente: a análise inversa. Antes de transferir a culpa das suas frustrações para pessoas ou situações, que tal observar o seu comportamento?

Em um relacionamento amoroso, por exemplo, quando foi a última vez que parou para escutar o seu parceiro de verdade? Há quanto tempo vocês não saem para jantar ou curtir um programa a dois prazeroso? O mesmo vale para o trabalho. Se você anda reclamando que não conquista mais espaço em seu emprego, talvez seja porque já não execute suas tarefas com tanto tesão mais.

O mesmo vale pra ter um corpo mais bonito ou saudável. Se vive caindo nas tentações gastronômicas, pode ser por excesso de autossabotagem: “Hoje eu comi pra descontar minha raiva, TPM ou pra comemorar uma conquista. Amanhã volto com força total.”

O desafio de hoje é tomar consciência das suas ações. O dedo tem que virar para você mesma, antes mesmo de reclamar do outro. E aí: o que você tem feito para mudar antes de reclamar?

O Coaching te ajuda nessa. Agende uma sessão. [contato@vidaposparto.com ou envie direct com suas perguntas]

Socorro! Não consigo cumprir a agenda

E agora? A maioria das pessoas que conheço vivem ocupadas, correndo para sair de casa, não sentam nem para tomar café com a família. Estão sempre sem tempo para almoçar com calma, vivem digitando, não se olham nos olhos no trabalho… Em casa, mal têm tempo de ficar no sofá e ver um filme inteiro.

Vivem a ansiedade de segunda-feira, aguardando ansiosamente o final de semana, prometendo que terão mais tempo de qualidade. Chega o domingo à noite e é a mesma reclamação de sempre: o tempo foi curto!

Será que as 24 horas estão passando mais depressa mesmo ou somos nós que não estamos administrando bem o nosso tempo? E quando aparece uma brecha no dia para por a perna pra cima, achamos que o ócio é perda de tempo, nos sentimos culpados e arrumamos logo algo para fazer da lista interminável de afazeres.

No processo de Coaching aprendemos a fazer a agenda. Para que ela funcione e seja útil, temos que identificar as tarefas que são delegáveis e aprender a delegar – outro ponto super importante no Coaching.

Delegar é algo que aprendemos e começa com a prática de dizer “não” aquilo que não queremos, mas fazemos por achar que devemos ou porque um outro alguém espera isso da gente. Depois de entender as tarefas delegáveis, identificamos as importantes, as urgentes e as desnecessárias, que podem ser excluídas de vez da nossa rotina, mas que o piloto automático não deixa.

A parte mais importante desse processo todo é visualizar a nossa agenda de um jeito criativo. Colorir de cores diferentes cada papel que exercemos na nossa rotina: mãe, mulher, esposa, filha, profissional. Depois de completa, é só deixar 3 blocos de 30 minutos para atrasos e surpresas que aparecerem ao longo do dia.

São várias dicas para uma agenda produtiva e eficaz. Se quiser saber mais envie um email para [contato@vidaposparto.com] e agende sua sessão.

O que a leva a fazer o que você faz e não o que você quer?

Retomo hoje o último tema que trouxe aqui no blog sobre Coaching: o Piloto Automático. O botãozinho que nos deixa na inércia, impedindo a realização de nossos desejos.

O piloto automático é %$#@&*! No mode ON, ele faz com que a nossa mente gaste energia com coisas que já nos acostumamos a fazer, e nem percebemos mais ao executá-las. É mecânico, automático mesmo.

Sabe aquela hora que você chega em casa e seu dedo já vai direto no botão da TV? Você entra, faz tudo com ela ligada e nem presta muita atenção no que está fazendo. Quando senta no sofá come sem ver, conversa sem olhar para o outro… Parece até que o canal não pode mudar porque você já se acostumou demais para querer mudar pra outro.

No trabalho, você faz tudo igual todo dia, sem muito questionar ou pensar em novas alternativas que poderiam enriquecer ainda mais sua vida profissional. E depois de tudo isso, ainda reclama que não faz nada como gostaria, que não tempo de curtir os filhos e os amigos. Você chega em casa e, quando vê, já é hora de dormir.

Enfim, são inúmeras as situações em que fazemos tudo por obrigação, sem nem se dar conta de como tem sido feito. E pior: sem sentirmos muito prazer em nada. Aposto que muita gente identificou cenas como essas na vida atual ou no passado. Todo mundo já passou por isso!

Lembre-se: nessa vida passageira, nós somos os agentes transformadores da mudança. Nada melhor do que um novo ano, com 365 novas chances, pra tentar fazer diferente: ser uma mãe melhor, cuidar mais de si, levar uma vida mais saudável, curtir bons momentos reais com quem você mais ama. Boa notícia: Tudo depende só de nós mesmas.

O processo de Coaching me ajudou muito a sair dessa inércia. Foi ele o gatilho para que eu me arriscasse a fazer tudo diferente: largar o emprego de anos e ir em busca da realização dos meus desejos. Inclusive o de motivar outras pessoas a desligarem o piloto automático também. Foi o Coaching que me ajudou a criar um novo plano de ação – e por que não, de vida? Agende uma consulta. [contato@vidaposparto.com ou envie direct com suas perguntas]

E se você entrasse em casa sem ligar a TV, o que você faria?

  • Site desenvolvido por Agência Vetta