instagramcustom

Blog Archives:

Como tratar o intestino preso nas crianças?

Hoje o Vida Pós Parto abre espaço para a Nutricionista Infantil Letícia Oliveira falar de um assunto que interessa – e preocupa – a todas nós mamães: o intestino preso da criançada.

Vamos começar este assunto entendendo que cada organismo funciona de um jeito e também que o intestino é o cérebro do nosso corpo. Se não funciona bem pode trazer deficiências nutricionais, alergias, intolerâncias e até doenças.

O reloginho tem muitas maneiras de funcionar. Há crianças que evacuam toda noite, ou toda manhã, ou até mesmo depois de alguma refeição. Essa rotina é ótima para nosso corpo. A frequência depende da ingestão de água, de fibras, do nível de atividade física que essa criança pratica, e claro, do organismo dela.

O importante é observar se a criança está evacuando menos que de costume, se as fezes são duras e secas, se vêm acompanhadas por traços de sangue (no papel higiênico também), se sente dores na barriga e se elas melhoram após evacuar. Não é normal ficar mais de quatro dias sem evacuar e ter dificuldades em eliminar as fezes.

A alimentação é a principal aliada do bom funcionamento do intestino, associada a atividade física regular.

Como melhorar o intestino da criança?

  • Ofereça uma alimentação balanceada e equilibrada.
  • Aposte em: mamão, ameixa preta, laranja, manga, feijão, brócolis, ervilha, cenoura, abóbora, milho verde, semente de gergelim, azeite de oliva, aveia e linhaça.
  • Evite o alto consumo de doces e alimentos industrializados que são pobres em fibras, cheios de açúcar e gorduras que atrapalham no trânsito intestinal e na colonização da microbiota .
  • Melhore o consumo de água e líquidos. Auxiliam na hidratação das fezes que “saem” com mais facilidade.
  • Incentive seu filho a correr e brincar. Atividade física é muito importante para irrigação sanguínea em todo corpo, inclusive para o intestino.
  • Lembre-se: cada criança tem sua particularidade. Observe sempre seu filho.

Um pouquinho mais sobre a Letícia Oliveira

Experiência e especialização em atendimento nutricional de bebês e crianças, oferecendo sempre uma solução respeitosa para uma alimentação saudável, atraente e acessível. É proprietária da Nutriniños.

A importância da higiene bucal

O Vida Pós Parto abre espaço para os especialistas da Clínica Rodrigo Almada contar sobre a importância da higiene bucal na criançada desde cedo.

Os hábitos de higiene bucal devem começar cedo. Escova, creme e fio dental devem fazer parte da rotina das crianças, em especial após as principais refeições e a noite, antes de dormir.

A escolha das escovas deve ser feita com critérios, optando pelas de cerdas macias, cabeça pequena e cabo de fácil empunhadura.

A troca deve ser de 2 em 2 meses ou se as cerdas estiverem danificadas. A quantidade de creme dental na escova deve ser colocada por um adulto.

Lembre-se: não é a quantidade de pasta que define uma boa escovação, e sim uma técnica satisfatória para remoção da placa bacteriana.

A supervisão da higiene dos dentes é super importante, e a realização da mesma por um adulto até a idade de 8 anos da criança pelo menos 1 vez ao dia é fundamental.

E vocês, mamães, têm cuidado da escovação da criançada? Uma dica ótima é ensiná-los a escovar os dentes corretamente brincando.

Texto escrito por Clínica Rodrigo Almada – Ortodontia e Estética Facial

Natação: uma atividade que faz a diferença pra criançada

Uma criança que sabe nadar promove liberdade e segurança para nós, mamães e papais. Em tempos de férias, quando o principal destino de muitas famílias é a praia, então, nem se fala!

Além de se sentir muito mais à vontade dentro da água, o pequeno que pratica Natação desenvolve técnicas de segurança para ajudá-lo numa emergência dentro da água.

Para isso, a aprendizagem deve ser contínua e assídua, com aulas adequadas à idade da criança e focadas em desenvolver as habilidades motoras necessárias para nadar.

Além dos vários benefícios para a saúde e sociabilidade, o fato de Júlia e eu frequentarmos clube e viajarmos sempre para a praia foi um dos motivos que me fizeram matriculá-la na Natação desde cedo. As aulas na Gota D’Água, inclusive, têm contribuído bastante para o seu desenvolvimento.

Lembre-se, entretanto, que não existe nenhum método capaz de evitar que seu filho se afogue. Todo cuidado é pouco, e a vigilância deve ser constante.

Abaixo uma listinha com as recomendações gerais pra criançada curtir com segurança.

  • Matricule seu filho em uma escolinha de natação a partir dos 2 anos de idade.
  • Um minuto de desatenção pode ser fatal. Fique de olho no seu pequeno perto de rios, praias e piscinas.
  • Dê preferência as águas mais rasas.
  • Se comer, espere pelo menos 2h para entrar na água novamente.
  • Não superestime sua capacidade de nadar e muito menos a da criançada.
  • Na praia, procure a orientação do salva-vidas sobre o local mais seguro para nadar.
  • Coloque a pulseira de identificação na criança e não entre se o mar estiver muito agitado.
  • Se for em cachoeira, lago ou represa, cuidado com a vegetação e água muito fria

Agora, é só partir pra diversão. Curta muito suas férias.

Ensine a criançada comer de um jeito mais saudável

Comecei a semana compartilhando algumas dicas super simples para você se alimentar de um jeito mais saudável.

E a criançada? O processo de educação alimentar para os pequenos costuma ser bastante complexo. Se nós, mamães, não seguimos uma rotina saudável, fica mais difícil ainda. Aliás, esse é o principal segredo nessas horas: fazer aquilo que você ensina. Afinal de contas, somos o modelo a ser seguido pelos nosso filhos, que absorvem tudo igual esponjinhas.

Abaixo separei algumas dicas oriundas da minha própria experiência como mãe de uma criança de 5 anos que nem sempre quer comer de verdade.

  1. As refeições devem ser prazerosas. Crie pratos divertidos, coloridos e com carinhas. Se seu filhote não quiser comer uma maçã, por exemplo, deixe que ele brinque com a fruta. Explore a sua criatividade e incentive a criança a explorar a dela. Isso vai acabar sendo positivo até para outras esferas da vida dela.
  2. Não deixe ela trocar uma refeição por um salgado. Seja firme. Do contrário, ela pode ficar ainda mais restritiva, sabendo que depois de várias carinhas tristes e algumas birras, vai acabar sendo atendida.
  3. Mas também não proíba nada! A criança pode comer escondido. Pior: compulsivamente. Você não tem os momentos das escapadas? Então! Estabeleça dias e horários para seu pequeno comer a guloseima preferida dele.
  4. Que tal levá-la para a cozinha junto com você? Lidar com os alimentos faz com que a gente se sinta atraídos por eles. Deixe a criançada separá-los, batê-los, amassá-los. Uma boa dica é começar pelos pratos que elas mais curtem, como bolos e tortinhas. E sim: cuidado com as facas e as panelas no forno e no fogão. Essas funções podem ficar com você.
  5. Leve a criançada à feira, supermercado, hortifrutis… Assim, elas podem conhecer e se interessarem ainda mais pelos alimentos. Quanto mais variado o cardápio, melhor.
  6. Nada de comer os mesmos alimentos todo dia. Se você já fica enjoada, imagina só as crianças que adoram descobertas. Conquiste-as com novidades. Sua saúde e a dela agradecem. E sim: a rotina fica muito mais gostosa.

A importância da autonomia para a criançada

Aproveito o Dia das Crianças para falar sobre a importância de incentivarmos a independência das crianças desde cedo.

Certamente, você quer que seu filhote seja um adulto independente, autoconfiante e feliz. Qual a sua postura quando ele não consegue realizar determinada atividade por conta própria?

Que atire a primeira pedra a mamãe que nunca acabou resolvendo problemas para seu pequeno. É super normal, já que não queremos vê-los sofrer. O problema é que a gente pode acabar tirando da criança a oportunidade de aprender.

Segundo especialistas, quando isso acontece a superproteção se sobressai em relação à autonomia, gerando consequências a curto e a longo prazo. As crianças podem se tornar mais inseguras, além de terem dificuldades para desenvolver importantes habilidades, que vão desde a organizar suas próprias coisas a serem mais tolerantes com a frustração.

Por mais que a nossa interferência seja necessária em alguns momentos, um voto de confiança pode fazer uma diferença gigante na autoestima e autoconfiança da garotada. Ao invés de responder ou agir por eles, o ideal é encorajá-los. Sabe aquele olhar que ilustra o “você consegue, não desista”?Ele é essencial para que os pequenos se sintam seguros e capazes de assumir responsabilidades.

Isso não tem a ver com deixá-los fazer sempre o que querem, mas, sim, oferecer opções para que façam pequenas escolhas. Sempre, é claro, apresentando as consequências e levando em conta a maturidade da criança.

Alguns hábitos que os especialistas recomendam a gente evitar:

  • Realizar atividades que eles conseguem fazer sozinhos, como comer ou trocar de roupa;
  • Dizer que ele é incapaz ou fez algo mal feito;
  • Conversar diretamente com a escola, antes de orientá-lo a resolver problemas com os colegas;
  • Fazer as tarefas por ele, ao invés de oferecer suporte e permitir que persista até conseguir;
  • Responder pela criança quando um adulto lhe dirigir a palavra;
  • Encobrir fracassos e evitar que assuma as consequências.

Tenho certeza que, com seu apoio, seu filhote vai conseguir resolver todos os problemas e se tornar um adulto bem mais seguro e feliz.

Vem aí uma semana de muita diversão em BH

Começa hoje a semana da criança! E BH está cheia de eventos que vão fazer a alegria da garotada. Reuni abaixo alguns dos mais legais para vocês, mamães e papais, se planejarem.

Show Mari e Celi estão na cidade

As cantoras Marina Machado e Celinha Braga fazem um espetáculo repleto de músicas da memória afetiva dos brasileiros. As letras trazem histórias e imagens que nos remetem a tempos passados, e pinceladas de temas atuais que envolvem os pequenos e encantam os mais velhos. Um evento delicioso para a família toda!

Onde? Teatro Sesi Minas
Quando? 14.10, sábado, às 17h30
Quanto? Ingressos à venda pelo site do Sesi Minas

Festival Estação Kids

Os clássicos das histórias infantis invadiram o Shopping Estação neste mês de outubro. Desde o último fim de semana, o mall está levando espetáculos tradicionais a preços populares ao palco do Estação Cultural.

Dá só uma olhada na agenda imperdível!

Rei Leão
Quando? 12 e 21/10, às 16h
Quanto? Antecipado R$ 17 – Na hora R$ 40 (inteira) e R$20 (meia)

Os Saltimbancos
Quando? 14 e 15/10, 16h
Quanto? Antecipado R$17,00 – Na hora R$40,00 (inteira) e R$20,00 (meia)

Chapeuzinho Vermelho
Quando? 22/10, 16h
Quanto? R$ 20 (inteira) e R$10 (meia)

A Bela e a Fera
Quando? 28 e 29/10, 16h
Quanto? antecipado R$ 17 – Na hora R$ 40 (inteira) e R$ 20 (meia)

Endereço: Estação Shopping BH (Av. Cristiano Machado, 11833 – Venda Nova)

Gigantes do Mar – Piscina de Bolinhas

Já o Pátio Savassi está surpreendendo a criançada com um mar gigante de bolinhas. O espaço é todo inspirado no fundo do mar. Tem figuras de piratas, sereias, conchas e peixes. E mais: um escorregador inflável de 4 metros de altura.

Onde? Pátio Savassi, piso L3 (Av. do Contorno, 6061)
Quando? De 2ª a 6ª, 14h às 22h; sábado, 10h às 22h; domingos e feriados, 12h às 20h 9até domingo, dia 15.10)
Quanto? R$ 25 para 30 minutos.

Trampolim Parque

Até o dia 24 de outubro, o Itaú Power Shopping recebe um parque para a criançada se divertir pra valer. A estrutura conta com camas elásticas gigantes, piscina de espuma, espaço para jogos de queimada com bolinhas super macias, cestas de basquete e lutas de cotonete. Uma delícia só!

Onde? Itaú Power Shopping (Av. David Sarnof, 5.160, Cidade Industrial)
Quando? Diariamente (até o dia 24.10), de 11h às 22h
Quanto? R$ 20 para 15 minutos. O minuto adicional custa R$1. Grupos de 5 pessoas ganham bônus de 5 minutos extras na compra dos ingressos.

Voando nas Nuvens, no BH Shopping

O BH Shopping se transformou num pedacinho do céu para receber os pequenos. Crianças de 4 até 12 anos podem participar gratuitamente de oficinas lúdicas que estimulam a criatividade brincando com um sonho comum a todas elas: voar.

Confira as diversas atrações:

Espaço Multissensorial

Com duas opções de simulação, a criança poderá escolher se quer sobrevoar uma linda cidade ou experimentar a sensação do balão em movimento. É preciso que elas estejam acompanhadas por um responsável maior de 18 anos. Todos os dias, no Piso BH.

Espaço de Fotos

A paisagem que simula o voo de balão poderá ser registrada no espaço de fotos para que pais e filhos possam ter o momento eternizado e divulgado nas redes sociais. Todos os dias, no Piso Mariana.

Oficina de Luminária Nuvem

Para estimular ainda mais a criatividade os participantes poderão fazer uma linda luminária em formato de nuvem. Terças, quintas e sábados, no Piso Mariana.

Oficina de Mobile

Balões montados com materiais fáceis de manipular como bolas de isopor, rede protetora de frutas e forminhas de cupcake serão transformados em um móbile mágico. Segundas, quartas, sextas e domingos, no Piso Mariana.

Onde? BH Shopping
Quando? 4 a 15 de outubro, de 14h às 20h
Mais informações: bhshopping.com.br/diadascrianças2017

A importância de leitura para a criançada

Incentivar o hábito de leitura é um dos maiores presentes que nós, mamães e papais, podemos dar aos nossos filhos.

Ler é fundamental para o desenvolvimento intelectual da criança, auxilia na aprendizagem escolar, além de ser um passatempo pra lá de agradável, que ajuda a desbravar novos mundos pela imaginação.

Segundo educadores, os alunos que são estimulados a ler desde cedo têm mais habilidade para escrever e interpretar textos. E isso vale para o conteúdo de todas as disciplinas, inclusive a matemática, que também exige bastante interpretação.

A leitura também é essencial para ampliar o conhecimento de mundo e o vocabulário. Quanto mais cedo uma criança aprende novas palavras, mais repertório ela terá, seja em suas conversações ou atividades escolares. Além disso, ela terá mais facilidade na ortografia e desenvolverá sua escrita de forma muito mais completa.

As crianças que lêem muito também são muito mais criativas. Bons livros estimulam a imaginação, o que acaba resultando em novas ideias.

O hábito de ler pode e deve ser incentivado desde cedo, por meio de livros e revistas adequados à faixa etária de nossos pequenos. Já pensou em dar um livro de presente para seu filho e estabelecer horários diários de leitura? Outra coisa ótima é levá-los periodicamente às livrarias e bibliotecas.

E vocês, mamães, como incentivam seus filhos a lerem? Compartilhem comigo!

Como lidar com a agressividade das crianças?

De repente a sua criança super fofa e bem educada começa a bater, morder, chutar e adotar outros comportamentos agressivos! Tudo isso porque algo a contrariou. Não importa o motivo, essa situação pode ser bastante assustadora.

Nós, mamães, ficamos angustiadas. Será que a educação que estamos dando para os nossos filhotes está errada? Como lidar com tanto ódio?

O primeiro passo é entender que o comportamento agressivo não é culpa nossa. Não existe influência dos pais ou da escola na personalidade dos nossos filhos. Eles são o que são independente da gente. Pais agressivos podem dar origem a crianças super calmas e tranquilas. E vice-versa.

Antes de tudo, por que as crianças podem ser agressivas?

Quando bebês, a agressividade não é nada mais que o jeito que elas encontram para lidar com a frustração. Quando suas vontades não são atendidas, surge um sentimento de decepção muito forte com o qual não conseguem lidar. Por isso, eles acabam usando a força física.

A boa notícia é que, com o tempo e a educação que a criança recebe, ela tende a lidar com a raiva de um jeito mais aceito pela sociedade.

A notícia não tão boa é que depois dos dois anos, aparecem outros fatores que levam à agressividade. A personalidade, separações, doenças e o próprio desejo de contrariar uma ordem podem gerar um comportamento mais raivoso.

Em outros casos, a agressividade pode ser influenciado pela família. A criança pode imitar o comportamento hostil dos adultos que a cercam.

Outro descuido é a falta de limites. Se você satisfaz todas as vontades do seu pequeno, quando disser um não, pode ocasionar um comportamento mais violento.

Então, como lidar com a agressividade dos nossos filhos?

É preciso ter paciência! Estamos lidando com crianças, com emoções primitivas e seres que mal entendem seus sentimentos e suas ações. É nosso papel ajudá-las a lidar com tudo isso.

Pode ser difícil não se irritar, mas lembre-se: nada de reprimir com violência. A repressão pode até ter um resultado imediato, mas amedronta a criança. Por um tempo ela não vai repetir o erro, mas também não vai evoluir e nem aprender.

Conversar calmamente exige uma enorme força de vontade, é verdade. Mas quem disse que educar uma pessoa seria algo fácil?

Nada de criminalizar ou excluir seu filhote. Antes de exigir uma mudança de postura, tente deixar que o pequeno se sinta seguro e confortável. Incentive-o a se expressar, a dizer porque fez aquilo. Depois, explique que as atitudes agressivas não são legais e não vão resolver os problemas.

Se a causa da agressividade for pela repetição daquilo que a criança vê em casa, é hora de vocês, pais, mudarem o comportamento.

Se depois de tudo a criança ainda continuar reproduzindo comportamentos violentos, talvez seja hora de procurar a ajuda de psicólogo.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta