instagramcustom

Blog Archives:

Alimentação da criançada

Você costuma dar bala, bombom, chiclete, docinhos ou qualquer outra guloseima quando seu pequeno está chateado? Sem querer, você pode estar criando um problemão no futuro.
Sei o quanto dói quando a criançada está triste. E mais: também sei o quanto pode ser tentador oferecer o doce preferido dos nossos pequenos nessas horas. Só que precisamos ser fortes nessas horas. Segundo especialistas, crianças alimentadas com guloseimas têm muito mais chance de desenvolver distúrbios alimentares no futuro.
E sabe o que é pior? Quando nós, mamães, descontamos nossas emoções na comida, também passamos esse comportamento para nossos filhos. Lembre-se que nossos pequenos são como esponjinhas, imitando tudo o que a gente faz.
O melhor é ensinar os pequenos a aprenderem a lidar com as situações adversas da vida desde cedo. Um colo, um beijo ou um caloroso abraço pode ser muito mais saudável nessas horas.
O diálogo também é essencial. Ele ajuda a entender o que aconteceu e possibilita esclarecer à criança que momentos de tristeza e irritação são comuns em nossa vida. É preciso tentar ajudá-las a lidar com a situação. Estaremos, assim, criando seres humanos fortes, com autonomia para enfrentar as adversidades da vida.

Como ter hábitos alimentares mais saudáveis sem muito esforço?

O fim de semana está chegando! Além de curtir bons momentos e relaxar livre das preocupações da semana, a gente quer comer. Depois de uma semana alimentando de forma equilibrada, queremos saborear. Deliciar com tudo aquilo que acreditamos que não podemos comer de segunda a sexta.

O que proponho é algo diferente: e se você começar a ter a mesma alimentação de segunda a segunda sendo saudável, e ao mesmo tempo, feliz? Aposto que você pensou que isso era impossível, certo? Talvez porque isso não faça parte das suas crenças. Afinal de contas, estamos acostumados a ouvir de nossa família e amigos: “De segunda a sexta eu não posso me dar o prazer de comer isso.” Quando chega sábado e domingo, entretanto, está liberado jacar como se não houvesse amanhã. Como se isso não acabasse jogando por terra todo o esforço da semana.

Por outro lado, você pode não ter transformado a alimentação saudável em um hábito. Para transformar em hábito, aliás, é preciso repetição e reformulação de nossas crenças.

A boa notícia é que você pode começar a fazer diferente! Pra iniciar esse processo de reprogramação de crenças, o mais importante é você sentir, ouvir e se comunicar como se já estivesse vivendo a semana de segunda a segunda. Sem que o fim de semana fosse a luz no fim do túnel ou a melhor parte, mas que todos os sete dias fossem prazerosos e importantes no processo.

Veja bem: não estou dizendo que é errado comer um doce ou uma massa. Muito pelo contrário! As exceções são deliciosas, fazem parte da vida e ainda justificam a regra. Quando a gente insere hábitos mais saudáveis em nossa rotina, comer um brigadeiro na segunda se transforma em algo normal. E livre de culpa! É só um brigadeiro em todas as 35 outras refeições semanais. Deu vontade? Você a satisfez. Pronto! É equilíbrio!

Por outro lado, comer uma salada com um grelhado suculento no domingo também se transforma em algo natural, sem esforço de evitar tentações. Mas algo extremamente prazeroso!

Viva um dia de cada vez com a crença de que ser saudável é ter consciência do que alimenta sua alma e suas emoções. E mais: que nutrir seu corpo é melhor que satisfazer compulsões.

Ps.: Pra quem está iniciando o processo, separei uma receitinha deliciosa de tira-gosto saudável para se deliciar com seu drink preferido neste fim de semana lindo que está começando amanhã: Espetinho de Muçarela de Búfala e Tomatinho Cereja!

De volta à rotina

Depois de mais de 20 dias nos EUA, acabo de chegar de viagem. É hora de voltar à rotina: meus atendimentos de coaching, treinos e alimentação. O mais legal de tudo é que nada disso pra mim é um martírio (exceto a saudade de deixar pra trás quem a gente ama, né?).

Incorporar uma alimentação saudável e com exceções devidamente planejadas é, certamente, um dos maiores segredos.

Durante as férias, vivi como uma moradora de Fort Worth sem deixar de lado meus hábitos. É óbvio que desencanei e dei minhas escapulidas: comi doces, chocolates, bebi cerveja, vinho e outros drinks. Isso é natural, faz parte da vida. E claro: é bem saboroso!

Jamais larguei mão, entretanto, daquilo que me faz bem e feliz: atividades físicas e comida de verdade. Aprendi a amar a minha rotina alimentar. Posso levar uma parte dela a qualquer lugar que for, e curto muito voltar a ela integralmente. Isso porque tudo é muito simples, saudável, sem restrições e muito prazerosa. Do contrário, as chances de voltar ao foco depois de tantos dias de férias, seriam quase nulas. Impossível mesmo!

Quando mudei meus hábitos, descobri o quanto preparar comida de verdade pode ser saboroso. Misturar cores, gostos e aromas diferentes é ótimo exercício de criatividade. Além disso, é uma das melhores coisas que posso fazer para minha mente e saúde. Detesto a sensação de desconforto de comer mal, de ver meu corpo inchado e inflamado pelo excesso de industrializados.

Um outro detalhe super importante de ter incorporado um estilo de vida saudável e entender a importância de tudo isso é que agora não preciso passar dias tomando sucos detox, jejuando ou qualquer outra estratégia extremista, que ia acabar colocando minha saúde em risco. E mais: me deixando compulsiva depois!

Exagerei um pouquinho? É só dar uma dedicada maior aos treinos e reduzir as exceções.

Alimentação Saudável nos EUA

Engana-se quem pensa que é impossível comer saudável nos Estados Unidos. Apesar de ser um país com alto número de obesos, nem só de hambúrguer vive o americano. Dá pra se alimentar bem e barato por lá.

Prova disso é que, durante os 20 dias em que estive lá – praticamente vivendo como uma nativa – consegui seguir minha rotina alimentar com bastante facilidade. O principal segredo para manter o foco é preparar a própria comida em casa. Não estou dizendo, é claro, para você ficar escrava da cozinha e deixar de aproveitar a gastronomia local. Mas para quem fica muitos dias, cozinhar pode ser uma bela estratégia para não se jogar nas junkie foods e até poupar uma graninha.

Se você tiver fogão, tudo fica mais fácil. Caso contrário, não é nem de longe um obstáculo. É só comprar frutas, verduras, iogurtes, cereais, saladas prontas e até ovo cozido (algo super comum nos Estados Unidos). Apesar de frutas e verduras orgânicas serem um pouco mais caros que os industrializados, os preços ainda são bem mais vantajosos que no Brasil.

Detalhe: as porções são exageradas. E geralmente pão integral e iogurte têm muito mais proteína do que os nossos produtos.

Os Estados Unidos também oferecem vários mercados saudáveis. O mais famoso deles é o Whole Foods, que é o ideal para comprar verduras, legumes, frutas e produtos mais específicos. O preço é um pouco mais caro. Portanto, para itens mais básicos, prefira o bom e velho supermercado próximo de casa.

Quem quiser manter o foco quando almoçar ou jantar fora, é só fazer as escolhas certas. Uma boa notícia é que todos os restaurantes contam com opções saudáveis, com saladas e menu light ou healthy.

Sair da linha de vez em quando é gostoso, e necessário. Não é um Hambúrguer suculento que vai colocar toda a dieta a perder. Então, aproveite a culinária sim. Com equilíbrio, tudo pode!

Peixe Crocante

Depois de mudar meus hábitos e incorporar uma alimentação mais saudável, passei a gostar muito de cozinhar. Nada mais prazeroso do que fazer nossa própria comida, e ter controle da qualidade e quantidade de óleo e tempero. Um verdadeiro presente para o nosso corpo e saúde, além de uma possibilidade imensa de explorarmos nossa criatividade.

Se você quiser aproveitar o feriado para aventurar na cozinha, compartilho uma receita super deliciosa para um almoço especial: Peixe Crocante!

Você vai precisar de:

2 filés de tilápia
Alho, cebola, limão e alecrim a gosto

Como fazer?

Tempere o peixe com o alho, cebola, limão e alecrim e leve ao forno por 20 minutos. Para acompanhar, a dica é a farofa de sementes: chia, gergelim, linhaça e semente de girassol.

Dica bônus: Uma taça de um bom vinho branco ou rosé cai muito bem com o prato e o calor.

Quibe de frango saudável para a criançada

Aproveitando que o mês de outubro é inteiramente dedicado à garotada, compartilho com vocês uma receita de lanche que seu filhote vai amar: Quibe de Frango Saudável.

Você vai precisar de:

1Kg de peito de frango;
1 cebola;
2 dentes de alho;
1 abobrinha ralada;
1 xícara de chá de folhas de hortelã;
½ colher de café de pimenta síria;
1 colher de sopa de quinoa ou aveia em flocos;
Mostarda em pó ou semente

Como fazer?

Passe o frango pelo processador até ficar moído. Reserve em uma vasilha grande. Depois, coloque a cebola, o alho e os outros temperos em um processador e ligue rapidamente (não pode virar pasta, hein?). Rale a abobrinha. Misture tudo com a quinoa, ou com a aveia, até ficar homogêneo. Coloque em um pirex com PAM e asse a 180º por meia hora.

Como todas as receitas que ensino aqui, super fácil de fazer. E, claro, saudável. Dá para a criança levar na merenda da escola, nas festinhas e ainda compartilhar com os coleguinhas.

Diga sim às hortaliças da estação

Nada mais gostoso que uma alimentação limpa, recheada de comida de verdade: legumes, verduras e frutas variadas. Na hora das compras, entretanto, é importante priorizar as hortaliças da estação.

Elas são mais saborosas

As hortaliças, como qualquer outro vegetal, se desenvolvem em diferentes épocas do ano porque têm características específicas que variam de acordo com o clima. As verduras e frutas da estação conservam melhor suas qualidades: são mais aromáticas e bem mais gostosas.

O valor nutricional é melhor

A quantidade de nutrientes varia de forma significativa com o calendário. Como algumas frutas e hortaliças se adaptam melhor a determinado clima ou estação, é natural que elas conservem melhor seu valor nutricional do que aquelas consumidas fora de época.

Você garante uma alimentação mais limpa e segura

Pode ter certeza: o uso de agrotóxicos, pesticidas e outros compostos químicos é muito maior quando se produz fora de época.

Não respeitar a sazonalidade é desrespeitar o meio ambiente

É extremamente prejudicial para o meio ambiente produzir hortaliças fora de época. A atividade é muito mais agressiva para o solo. Sem contar que o uso excessivo de compostos químicos pode contaminar não só os alimentos, mas os lençóis freáticos da região.

Seu bolso agradece

Como a produção de frutas em sua época de safra demanda menos interferências, é natural que o valor final seja bem mais barato. Ótimo para dar uma economizada.

As hortaliças de setembro

Sabendo de todos os benefícios de consumir as frutas, legumes e verduras da época, se liga na safra deliciosa do mês de setembro.

Legumes: abóbora paulista, batata doce, berinjela, cará, chuchu, inhame, jiló, mandioca, cenoura e rabanete.

Verduras: almeirão, beterraba, brócolis, couve-flor, espinafre e hortelã.

Frutas: abacate, acelora, banana, caju, goiaba, kiwi, lichia e tangerina.

Descubra novas experiências no supermercado

Você odeia supermercado e costuma fazer as compras às pressas só para ficar livre dessa tarefa rápido? Ou então, você até curte, mas considera uma missão quase impossível resistir aos doces e outras comidinhas deliciosas, mas que não são bem-vindas no dia-a-dia?

A dica é transformar o passeio com o carrinho em uma oportunidade de se abrir para novas experiências. Já pensou em quantas descobertas deliciosas você pode estar perdendo por fazer as compras de forma tão mecânica?

Uma estratégia ótima para deixar o momento bem mais empolgante é usar algumas técnicas do Mindfulness – aquela método criado para reduzir o stress por meio de nos concentramos apenas naquilo que estamos fazendo no momento.

Como isso pode ser aplicado no supermercado? Ao entrar, você deve parar, respirar e olhar para todo o ambiente e depois para você mesma. Volte a atenção para o que está à sua volta, e observe tudo atentamente durante um minuto.

Assim, você foge do piloto automático e mantém foco total apenas nas compras que vai fazer. Muito mais relaxada, você vai olhar atentamente as prateleiras, de forma a descobrir novas cores, sabores e produtos incríveis para criar receitas saudáveis e super gostosas.

O mais legal de tudo é que você pode usar essa técnica em diversas outras situações do cotidiano, inclusive no seu trabalho na hora de realizar tarefas rotineiras.

Alimentação saudável para evitar a compulsão por doces

Que o açúcar em excesso faz super mal à nossa saúde e à boa forma, a gente já está careca de saber. Que por causa disso, é preciso evitar o seu consumo, também. Mesmo sendo extremamente difícil. Triste realidade. Afinal, é inegável a sensação de prazer depois de comer aquela sobremesa preferida, não é mesmo?

A boa notícia para quem, assim como eu é ‘tarada’ por doce, é que dá para driblar a vontade incontrolável com uma alimentação saudável, sobretudo, naquelas horas super críticas, como depois do almoço ou jantar.

Na lista dos alimentos que combatem a compulsão estão os grãos integrais, queijos, a banana, o ovo, o espinafre e até a pimenta-vermelha (ótimo termogênico, para quem quer dar uma turbinada no metabolismo). Para a sobremesa, você pode comer uma porção de frutas secas com castanhas ou um iogurte desnatado com frutas vermelhas, como o morango, a amora e a framboesa.

O bom funcionamento do nosso intestino também ajuda muito nessas horas. É que a alteração da flora intestinal atrapalha a formação das substâncias químicas responsáveis pela fome e saciedade. Está sofrendo com a constipação? A dica dos nutricionistas é investir em cereais integrais, mel, chia, linhaça e peixes ricos em ômega 3, como a sardinha e o salmão.

Como já cansei de falar por aqui, não sou adepta do radicalismo e muito menos da privação. Um doce ocasionalmente não vai colocar tudo a perder se você segue uma alimentação saudável na maior parte do tempo.

Agora, se a vontade sempre bate forte, a dica é comer um quadradinho de chocolate 70% cacau após o almoço. Além de ser rico em antioxidantes, ele ainda libera uma substância precursora da serotonina, envolvida diretamente na sensação de bem-estar

Dica bônus: ao liberar endorfina, o exercício físico também produz a mesma sensação de prazer de quando comemos um comer doce. Escolha sua atividade preferida e movimente o corpo. É uma bela desculpa para acumular créditos, e comer sem culpa aquela sua sobremesa preferida no fim de semana.

De olho no jantar: deixe a refeição mais saudável

É comum cairmos em algumas ciladas no jantar. Que atire o primeiro prato quem nunca se recompensou com um doce ou uma massa gordinha depois de um dia cheio de trabalho.

Ocasionalmente, não existe nenhum problema em comer uma barrinha de chocolate ou sair com uma amiga no fim do dia para comer um japa, por exemplo. Equilíbrio é tudo.

Para que essas exceções sejam vividas sem culpa, é preciso manter uma alimentação saudável na maior parte do tempo, incluindo o jantar, é claro. E isso não vale só para ter um corpo mais magro, mas para o nosso organismo funcionar direitinho.

A lógica de comer menos à noite está em nosso relógio biológico

Ao final do dia, o nosso organismo começa a preparar os órgãos da digestão para o merecido período de descanso. O metabolismo tira o pé do acelerador, e também deixa de gastar energia como na parte da manhã. Afinal, é preciso poupar combustível para a noite de sono que vem por aí.

Reduza suas porções

Você não precisa cortar carboidratos e nem fazer jejum à noite, sobretudo se tem o hábito de se exercitar à noite. O ideal é optar por refeições mais leves, priorizando a comida de verdade. Eu não malho à noite, então, meu jantar é quase sempre salada com muitas folhas verdes e alguma proteína leve. Mas você pode optar por um sanduíche de pão integral ou sopas de legumes – uma delícia nesse inverno.

Coma pelo menos umas 3 horas antes de dormir

Dormir de barriga cheia obriga o nosso estômago e intestino a fazerem hora-extra, confundindo o organismo. O resultado: é azia, enjoo, mal estar. Tente organizar o seu jantar para algumas horinhas antes de dormir. Ah, os chás são ótimos digestivos e ainda ajudam a dar uma tranquilizada, sobretudo, se o seu dia tiver sido em ritmo alucinante.

Jantar em casa é mais saudável e ajuda a emagrecer

Uma pesquisa da Universidade Estadual do Oregon, nos Estados Unidos, feita com 400 pessoas mostrou que aquelas que jantam em casa seis vezes por semana têm hábitos mais saudáveis quando comparadas aos entrevistados que adoram comer fora. É que em casa a gente consegue regular a qualidade dos alimentos, além da quantidade de óleo e sal utilizadas. Ou seja, nosso corpo e mente agradecem.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta