instagramcustom

Blog Archives:

Alimentação saudável para evitar a compulsão por doces

Que o açúcar em excesso faz super mal à nossa saúde e à boa forma, a gente já está careca de saber. Que por causa disso, é preciso evitar o seu consumo, também. Mesmo sendo extremamente difícil. Triste realidade. Afinal, é inegável a sensação de prazer depois de comer aquela sobremesa preferida, não é mesmo?

A boa notícia para quem, assim como eu é ‘tarada’ por doce, é que dá para driblar a vontade incontrolável com uma alimentação saudável, sobretudo, naquelas horas super críticas, como depois do almoço ou jantar.

Na lista dos alimentos que combatem a compulsão estão os grãos integrais, queijos, a banana, o ovo, o espinafre e até a pimenta-vermelha (ótimo termogênico, para quem quer dar uma turbinada no metabolismo). Para a sobremesa, você pode comer uma porção de frutas secas com castanhas ou um iogurte desnatado com frutas vermelhas, como o morango, a amora e a framboesa.

O bom funcionamento do nosso intestino também ajuda muito nessas horas. É que a alteração da flora intestinal atrapalha a formação das substâncias químicas responsáveis pela fome e saciedade. Está sofrendo com a constipação? A dica dos nutricionistas é investir em cereais integrais, mel, chia, linhaça e peixes ricos em ômega 3, como a sardinha e o salmão.

Como já cansei de falar por aqui, não sou adepta do radicalismo e muito menos da privação. Um doce ocasionalmente não vai colocar tudo a perder se você segue uma alimentação saudável na maior parte do tempo.

Agora, se a vontade sempre bate forte, a dica é comer um quadradinho de chocolate 70% cacau após o almoço. Além de ser rico em antioxidantes, ele ainda libera uma substância precursora da serotonina, envolvida diretamente na sensação de bem-estar

Dica bônus: ao liberar endorfina, o exercício físico também produz a mesma sensação de prazer de quando comemos um comer doce. Escolha sua atividade preferida e movimente o corpo. É uma bela desculpa para acumular créditos, e comer sem culpa aquela sua sobremesa preferida no fim de semana.

Como descobrir se suas compras têm açúcar além da conta?

O maior segredo para evitar o açúcar, um dos principais vilões de nossa saúde, é optar sempre por comida de verdade: hortaliças, oleaginosas, carnes in natura, grãos e cereais integrais.

Com a correria do dia-a-dia, entretanto, nem sempre temos tempo suficiente para preparar todas as nossas refeições. Nessas horas, lanches, bebidas e congelados aparecem como uma alternativa mais rápida e prática. Felizmente, são várias as opções fit, light e diet à nossa disposição.

É preciso, entretanto, ler os rótulos para conferir se determinado alimento tem açúcar além da conta.

O ideal é escolher alimentos que não contenham adição de açúcar em sua composição. Mais vai uma dica: ele pode vir escondido sob diversos nomes: Edulcorantes, xarope de malte ou de milho, suco de cana evaporado, dextrose e maltodextrina. O ideal é que o rótulo tenha a menor quantidade possível de ingredientes.

O pão integral, por exemplo, tem que ter farinha, fermento, água, sal e, no máximo, açúcar mascavo.

No caso do iogurte, prefira aqueles naturais, sem adição de mel ou sabor de fruta. Vale lembrar que o iogurte desnatado têm em sua composição edulcorantes ou açúcar para compensar a ausência de gordura. Fique de olho no rótulo, hein?

Já os sucos de frutas em caixinha são os campeões em açúcar. Prefira sempre comer a fruta. De preferência: acompanhada de uma castanha de sua preferência para diminuir o índice glicêmico.

E, sim, se não tiver como fugir do açúcar, como no caso do molho de tomate, prefira as versões com até 2 gramas por porção, que é o máximo recomendado pela Organização Mundial de Saúde.

Evite ao máximo massas congeladas, barrinhas de cereais, molhos pra saladas e sopas instantâneas. Todos esses produtos, além de açúcar sob suas diversas formas, ainda contém uma série de ingredientes nocivos ao nosso bem estar.

Lembre-se: quanto mais natural melhor.

Dilema: devo ou não deixar meu filho comer doce?

Dúvida de muitas mamães, hoje falo se podemos ou não deixar nossos pequenos se lambuzarem de doces.

Segundo pediatras especialistas, o açúcar deve ficar longe de crianças até os dois anos de idade. Relaxa: nem é preciso muito esforço. Afinal de contas, se trata de uma faixa etária que as crianças não estão tão suscetíveis a isso.

O mais difícil é que quando começam as influência externas, sobretudo da TV e da Internet. A boa notícia é que os doces podem fazer parte da alimentação da criançada. Desde que com moderação.

Eles devem ser oferecidos como sobremesa e jamais como substitutos de uma refeição.

Lembre-se, entretanto, de nunca condicionar o doce a uma recompensa pela criança almoçar e comer alimentos saudáveis.

É fundamental que ela entenda aquilo como um complemento da refeição principal. E sim: ocasionalmente. Não precisa oferecer todos os dias. e muito menos deixá-la comer excessivamente.

Vale a pena se atentar também para a qualidade do doce escolhido. O chocolate, o bolo e doces caseiros são opções bem mais saudáveis que balas, chicletes e outros produtos açucarados comprados no supermercado.

Uma dica ótima e super saudável é o Muffin de Cranberries, um dos bolinhos preferidos da Júlia. Super fácil de fazer, ele pode ser uma opção para a merenda de sexta-feira de seu pequeno.

Açúcar faz mal e vicia

Que o açúcar faz mal à saúde, você já deve estar cansada de saber. Não é segredo para ninguém que o ingrediente, repleto de calorias vazias, engorda, estraga os dentes, causa diabetes, câncer e inflama órgãos e tecidos.

A mais recente descoberta da Ciência tem a ver com o vício. O açúcar causa dependência. Pior: muito mais que o cigarro.

A afirmação de que o açúcar vicia foi feita por profissionais da saúde durante um encontro no Parlamento do Reino Unido. Essa seria a causa do aumento da obesidade, do diabetes e das doenças do coração ao redor do mundo.

O cardiologista britânico Aseem Malhorta sugere cortá-lo de vez da dieta. Já a OMS (Organização Mundial da Saúde) é menos radical, estabelecendo o consumo máximo de 50 gramas por dia. Isso é a metade da dose que o brasileiro costuma usar. Pasme!

Detalhe: a cota não é só para bebidas ou doces. Nesse limite também entra aquele açúcar que você não vê, como os ingredientes de produtos industrializados.

Óbvio que eu jamais diria para você nunca mais comer aquele doce que tanto ama. Entretanto, vale muito a pena reduzir o consumo do açúcar e até fazer trocas inteligentes, utilizando versões menos prejudiciais para adoçar sucos, chás e cafés: açúcar de coco, mel, demerara e outros.

E, sim, fique atenta à composição dos produtos. Prefira aqueles industrializados sem adição de açúcar ou que o item não aparece nas primeiras posições da lista de ingredientes.

Alimentos que você deve evitar ou abolir de vez da sua vida

Quem já me acompanha há um tempo sabe que eu não acredito e nem incentivo ninguém a fazer dietas radicais.

Por outro lado, defendo uma mudança de hábitos que priorize a busca por uma alimentação saudável, recheada de comida de verdade, acompanhada de atividade física regular.

Com planejamento e moderação, um chocolate meio amargo e até mesmo algumas tacinhas de vinho (ou de seu drink preferido) podem fazer parte de sua dieta sem problema – e neura!

Segundo especialistas em nutrição da Universidade da Califórnia, Mount Sinai, NYU Langone e do hospital de Massachusetts, alguns alimentos, entretanto, são tão nocivos que vale a pena serem abolidos – ou pelo menos evitados.

O açúcar é um deles: causa diabetes, acumula gordura, estraga os dentes e é responsável por alguns tipos de câncer. Para adoçar bebidas e preparar receitas de bolos e muffins, eu utilizo a stevia, mel ou açúcar de coco.

Os sucos de caixinha e refrigerantes, então, nem se fala! Ele são ricos em açúcar e outras substâncias vilãs do nosso corpo. Foi difícil, mas eu aboli completamente da minha vida.

Quanto mais processada for a comida, mais ingredientes químicos nocivos e gordura trans ela tem. Se eles são inimigos da boa forma, imagina só o mal que fazem para a saúde. Evite bolachas, bolos industrializados, congelados ou batatas fritas.

Lembra da máxima “Desembrulhe menos e descasque mais”? Invista nela. Seu organismo vai agradecer!

  • Site desenvolvido por Agência Vetta