instagramcustom

Categoria:

Maternidade Saudável

Alimentação da criançada

Você costuma dar bala, bombom, chiclete, docinhos ou qualquer outra guloseima quando seu pequeno está chateado? Sem querer, você pode estar criando um problemão no futuro.
Sei o quanto dói quando a criançada está triste. E mais: também sei o quanto pode ser tentador oferecer o doce preferido dos nossos pequenos nessas horas. Só que precisamos ser fortes nessas horas. Segundo especialistas, crianças alimentadas com guloseimas têm muito mais chance de desenvolver distúrbios alimentares no futuro.
E sabe o que é pior? Quando nós, mamães, descontamos nossas emoções na comida, também passamos esse comportamento para nossos filhos. Lembre-se que nossos pequenos são como esponjinhas, imitando tudo o que a gente faz.
O melhor é ensinar os pequenos a aprenderem a lidar com as situações adversas da vida desde cedo. Um colo, um beijo ou um caloroso abraço pode ser muito mais saudável nessas horas.
O diálogo também é essencial. Ele ajuda a entender o que aconteceu e possibilita esclarecer à criança que momentos de tristeza e irritação são comuns em nossa vida. É preciso tentar ajudá-las a lidar com a situação. Estaremos, assim, criando seres humanos fortes, com autonomia para enfrentar as adversidades da vida.

Como evitar a queda de cabelos no período do Pós Parto

Hoje quem veio falar com a gente é a Dra Cristiane Câmara Alves , médica tricologista e especializada em transplante capilar.

Bom dia Dra Cristiane, tudo bem?

Conta pra gente, Porque os cabelos das gestantes que ficam lindos e sedosos durante a gestação caem após o parto?

Durante a gestação ocorre aumento nas das taxas de estrógeno e progesterona deixando as madeixas e a pele mais hidratada e bonita. Quando o bebê nasce, a placenta, que é a responsável pelo aumento de estrógeno, é retirada e acontece uma alteração abrupta hormonal, que pode alterar a fase de desenvolvimento do cabelo. O cabelo sai da fase anágena que é a de crescimento e vai para a fase telógena que é a fase de queda. Por isso, o cabelo cai, mesmo quando os fios estão no seu último ciclo de vida. Damos o nome para esse tipo de queda de eflúvio telógeno. Existem outras causas de eflúvio telógeno como estresse, anemia, dietas muito restritivas, febre, pós cirurgia bariátrica, hipotireoidismo entre outras causas.
Quais as Dicas para evitar a queda intensa no período do pós parto?

– Antes e depois da gravidez se certifique de comer alimentos ricos em proteínas e com diversidade nutricional.
– Não deixe o couro cabeludo oleoso. Lave se necessário todos os dias e use uma vez por semana shampoo antiresíduo.
– Após o parto inicie o uso de vitaminas específicas para os cabelos.
– É normal que a perda se inicie 60 dias após o parto e dure cerca de 3 meses. Caso a sua perda seja além do esperado procure o médico.
– Mulheres portadoras de alopecia androgenética devem fazer acompanhamento com o especialista para não comprometer os possíveis tratamentos futuros.

Dra Cristiane, muito obrigada por compartilhar suas dicas com a gente e quem quiser acompanhar o trabalho da dra Cristiane siga o instagram dela:  dra.cristianecamaraalves

O melhor ovo de Páscoa para as crianças

Ao leite, branco, amargo, recheado… São várias as opções de ovos de Páscoa no mercado! Uma mais deliciosa e tentadora que a outra tanto pra gente quanto pra criançada.

Precisamos ficar de olho qualidade do chocolate e no consumo, sobretudo, para os pequenos. Segundo especialistas, a moderação é importante para evitar os efeitos negativos do açúcar e gordura, como a cárie, obesidade e colesterol.

Felizmente alguns truques nos ajudam a levar para casa um ovo de qualidade, saudável e muito mais saboroso.

Tipo de chocolate

O ovo feito com chocolate meio amargo é o que traz mais benefícios. Ele é feito com mais cacau do que açúcar. Só que seu sabor mais forte pode não fazer muito sucesso entre a criançada. Então, aposte nos ovos com grande quantidade de leite, ricos em cálcio, e livres de açúcar e conservantes.

Consumo

Outra dica infalível é estabelecer porções e horários para comer o ovo com seu filhote. Nada de comer tudo de uma vez!

O excesso de chocolate pode causar diarreia e vômito e deixar a criança muito ansiosa.

Agora, se você quiser se aventurar na cozinha, convide a criançada pra fazer junto com você um ovo caseiro. Pode ser muito prazeroso criar uma receita do jeitinho que vocês mais gostam. Que tal?

VPP Entrevista: Ana Paula Garcia, do Mãe na Hora Certa

Hoje eu bati um papo com a Ana Paula Garcia, no Vida Pós Parto na CDL FM 102.9. Ela é Coach para gestantes e idealizadora do Mãe na Hora Certa. Pra quem perdeu a entrevista, segue na íntegra. Vale super a pena conferir.

Letícia Melo: Você idealizou o Mãe na Hora Certa após uma experiência de vida sua na maternidade?

Ana Paula Garcia: O Mãe na Hora Certa é um projeto de Planejamento Financeiro, Pessoal e Profissional para as tentantes e gestantes. Eu idealizei este projeto depois do nascimento dos meus filhos, pois entendi que nos preparamos para os nove meses de gestação e não para as mudanças que chegam com o nascimento dos nossos filhos.

Letícia Melo: Eu posso dizer que o projeto também é um gerador de conteúdo para as mães além do serviço de Coaching? Conta pra gente como funciona e quais os serviços do Mãe na Hora Certa.

Ana Paula Garcia: Sim, mantenho as redes sociais do Mãe na Hora Certa com conteúdos diferenciados sobre como se planejar para a chegada do bebê. Desenvolvi o Coach para Gestantes e Tentantes para orientar as futuras mamães a se planejarem para as mudanças que vão ocorrer na sua rotina com a chegada do seu filho. E a novidade deste ano é o Personal New Mom, um passo a passo de como organizar a casa da futura mamãe para receber seu bebê.

Letícia Melo: E o coaching para as gestantes apoia a mãe em quais etapas da maternidade?

Ana Paula Garcia: O processo de coaching permite apoiar a futura mamãe em todas as etapas: antes, durante e depois da gestação. Vamos atuar a partir do momento que a mamãe me procurar, depende da fase que ela estiver vivenciando. Quanto antes iniciarmos o processo mais tempo essa mãe terá para se planejar.

Letícia Melo: Se você pudesse dar uma única dica para as Mães, qual seria?

Ana Paula Garcia: Futuras mamães não deixem para tomar suas decisões pessoais, financeiras e profissionais no período da sua licença maternidade, este é um momento conturbado de emoções a flor da pele que podem influenciar negativamente suas escolhas. Façam seu planejamento materno além dos 9 meses da sua gestação, afinal filho é para a vida toda! Ana, obrigada por compartilhar seu conhecimento e projeto conosco. Para quem quiser saber mais, é só acessar o Mãe na Hora Certa no Facebook ou Instagram.

Animais de estimação para a criançada

Seu filhote tem ou já pediu um animalzinho de estimação? A dupla criança e pet pode ser uma parceria de sucesso.

Um dos benefícios mais conhecidos dessa dobradinha, certamente, é o companheirismo. O pequeno que convive com animais desde cedo desenvolve melhor a capacidade de se relacionar afetivamente. É que essa interação estimula a sensibilidade e os sentimentos de solidariedade, generosidade, afeto e, principalmente, o respeito.

Cuidar de um bichinho, segundo especialistas, também faz com que a criança seja mais responsável e tenha autonomia.

Os benefícios não param por aí. Com essa relação, o pequeno descobre temas naturais da vida, como o nascimento, a procriação e a morte. A criança aprende, assim, a lidar com a perda e a morte.

E, sim, os animais despertam a consciência ecológica e auxiliam na prática de atividade física, por meio de brincadeiras e passeios.

Apesar da relação positiva, é importante lembrar que os pais esperem a criança desenvolver melhor a habilidade motora para adotar um pet. A casa e a rotina também devem estar preparadas e organizadas para receber esse novo membro da família.

Júlia e eu tivemos uma experiência um pouquinho triste com animais de estimação. Tivemos uma Schnauzer chamada Flô. Ela faleceu aos três anos, quando Júlia completaria 1 ano de vida.

Eu era muito apegada a minha cachorrinha. Durante os 9 meses da gestação, ela me acompanhou de pertinho, deitava muito no meu barrigão de grávida. Depois do nascimento da Júlia, a Flô entrou em depressão, e e eu sofri muito por isso.

Cachorros são muito especiais e têm uma empatia enorme com quem eles escolhem como “donos”. Hoje a Flô está na lembrança da Júlia por meio das fotos. E, claro, como toda criança, ela também me pede um animalzinho de estimação. Na real, estou em dúvida se compro ou adoto, mas confesso que gostaria muito de ter uma novamente! Acho sensacional e são as únicas criaturas desse mundo que recebem a gente na porta de casa todo dia como se fosse a primeira vez. Amo!

VPP Entrevista: Julyana Mendes, do Mãe de Sete

A Julyana Mendes, do Mãe de Sete, foi convidada especial da primeira edição do #VPP Apresenta. Aproveitei para entrevistá-la no Vida Pós Parto na CDL FM 102.9. O bate-papo foi ao ar hoje. E a entrevista está disponível na íntegra para quem perdeu ou quer conferir de novo.

A Julyana Mendes é de Brasília, palestrante, influenciadora digital e mãe de sete filhos!

Letícia Melo: O que te motivou a criar o projeto Mãe de Sete?

Julyana Mendes: O Mãe de Sete nasceu quando a Bia, minha sétima filha, tinha seis meses. O projeto nasceu dessa oportunidade de trocar experiência e aprender. Eu pensei que eu poderia aprender muito com elas também. É um projeto que nasceu com essa missão de aprender e de compartilhar muito da minha experiência também.

Letícia Melo: Nas suas redes sociais, você falou recentemente sobre desnudar-se. Sobre falar na real para os seus filhos o que te incomoda profundamente. Como é o diálogo em casa com sete filhos e sete idades completamente diferentes?

Julyana Mendes: Eu acho que essa coisa da idade diferente é minha maior demanda. É a minha maior dificuldade! Mas desnudar-se que eu falei é a o auto-conhecer. É você precisar passar para os seus filhos que você não é perfeita, que você falha e erra. Que você conhece seus limites. Então se você passa isso pra eles… Você passa isso de acordo com a idade de cada um, com a demanda da vida de cada um. Mas é sempre dizer: “Olha, isso aqui eu não consigo fazer. Isso aqui eu errei, eu exagerei”. Isso que é muito importante: não passe a perfeição, porque eles não serão assim. Isso frustra, né?

Letícia Melo: Aproveitando que estamos no mês de março, mês da mulher, qual recado você deixa para nós, mulheres? Porque antes de sermos mamães, somos mulheres!

Julyana Mendes: Exatamente! Começa por aí, né? A família começa pelo marido e pela esposa. Não com o pai e mãe necessariamente. Eu falo que sou o exemplo para minhas quatro filhas não como mãe, mas como mulher. Eu quero que elas me olhem dessa maneira: de uma mulher que se cuida, que se ama, que tem seu tempo, que estuda, que tem amigas. A gente não é só mãe e não podemos esquecer esse lado. Até por que, quando eu casei com meu marido, eu casei com seis filhos. Eu já tinha seis filhos! Quando ele me olhou, ele não viu uma mãe, ele viu a mulher que está carregando tudo isso. Fortaleça a sua mulher, que ela te carrega no colo quando a mãe precisa.

Como foi a primeira edição do #VPPApresenta?

Aconteceu e foi um sucesso o #VPPApresenta: Julyana Mendes, do @mãedesete. Em sua primeira edição, o evento trouxe convidadas incríveis que compartilharam suas experiências com a maternidade, com destaque para a Primeira Infância.

vida_pos_parto_vpp_apresenta_03

A Julyana Mendes, do Mãe de Sete, falou sobre educar 7 filhos com perfis diferentes e gerar conexões com todos eles. Disse também da importância de gerar empatia com cada um e acolher com escuta ativa e nunca ignorar nossa intuição de mãe. O grande desafio de administrar a inter-relação entre os filhos e com os pais. E que temos que ter a consciência de que filhos vamos deixar pro mundo e de que mundo vamos deixar pros nossos filhos.

Já a Mariana Lacerda desmistificou vários paradigmas da educação. Ao falar de Disciplina Positiva, ela ressaltou a importância de darmos autonomia aos nossos filhos e envolvê-los na criação das regras da casa desde cedo. Levantou questionamentos como por exemplo, para que fazer a criança se sentir pior antes de validar seu comportamento? Falou também sobre elevar a autoestima dos nossos filhos e diferenciar o autoristarismo da autoridade. E, principalmente, que nós pais temos que estar preparados para o desafio de educar.

Por fim, a nossa parceria Letícia Oliveira, do Nutrininos, trouxe dicas super úteis sobre alimentação infantil. Como criar memória afetiva com os alimentos e deixar a hora das refeições mais divertidas e práticas. Levar diálogo com prazer pra mesa e reunir a família. Não ficar pedindo a criança para experimentar a todo o tempo mas deixar ela experimentar com curiosidade e autonomia.

vida_pos_parto_vpp_apresenta_02

Todas as fotos foram tiradas pela fotógrafa Mariana Meireles.

O melhor presente para o Dia da Mulher: Autorresponsabilidade

Hoje é o Dia Internacional da Mulher. E foi no dia 8 de março de 1857, em Nova York, lutando pelos direitos salariais e condições melhores de trabalho e seguido de outros acontecimentos que o mundo todo começou a comemorar a data.

De lá pra cá conquistamos muito, mas ainda temos muito o que conquistar. E a conquista depende da nossa capacidade de realização. Pra realizar precisamos antes de tudo sonhar Mas eu conheço muita gente que não se permite sonhar, por achar que não merece, que não deve, que é pedir demais… Que sonhar é luxo em tempos de tanta necessidade.

Todo mundo reclama que não tem tempo, que não para, que “tá” cansado, que dorme pouco, trabalha muito, que ninguém ajuda… O hábito de reclamar já enraizou na nossa cultura. Parece que as pessoas acham bonito falar que não têm tempo.

Gente, vamos parar! Um minuto, que seja hoje, no “nosso” dia. Pra refletir sobre quem somos. O que temos feito por nós. Parar de viver no piloto automático. Dar uma pausa e gerar consciência. Ouvir você. Seus anseios, seus sonhos, sem desmerecer por achar que vai ser difícil alcançar. Depois que a gente para, tem coragem pra sonhar, o que fazer para realizar? Parece que nos sentimos paralisados muitas vezes, sem saber por onde começar.

Eu me lembro a primeira vez que eu ouvi a palavra Autorresponsabilidade. Fiquei confusa e ao mesmo tempo culpada. Uma culpa por colocar a responsabilidade de tudo que dava errado nos outros. Afinal de contas, ser coadjuvante da própria vida é bem mais fácil que ser protagonista. Gente, eu vivia reclamando e colocando a culpa no outro. Eu reclamava tanto que meu apelido era “ complaininggirl” quando eu morava no Canadá. Tive a oportunidade suada de estudar fora e ainda ganhei esse apelido. Voltei pro Brasil, consegui passar numa seleção de trainee de um banco em BH e eu continuava ouvindo “ lá vem a menina reclamona”

Por muitos anos isso não me incomodou. Hoje eu concluo que achava bonito reclamar. Talvez chamasse atenção das pessoas e isso se tornou um vício emocional pra mim. Porque nós somos viciados em emoções ruins. Inconscientemente, mas somos. Sabe aquela pessoa que entra no carro e começa a reclamar do carro da frente, do trânsito, buzina, grita, xinga a mãe de todo mundo? O coração dela dispara, ela arrepia, gera adrenalina. E isso vicia.

Eu perdi o vício de reclamar o dia que entendi o que era autorresponsabilidade. Ser autorresponsável é entender e acreditar que você é o único responsável pelo que acontece na sua vida, e só você e pode muda-lá. Neste dia, eu engoli pedra quando tentei reclamar. Não conseguia mais. O reclamar passou a ser conversar comigo mesma, ouvir minha voz interior, me conscientizar.

Taí o primeiro passo após sonhar. Parar de reclamar , apontar pro outro. E AGIR. Como tudo começa a clarear. Aí vem a hora de entender seu momento presente. Se questione. Tente responder quem você é. Para que você se levanta todos os dias e coloca o pé pra fora da cama. A capacidade de realização  só acontece quando nos  sentimos realmente responsáveis pela nossa vida. E não nossos pais, nosso companheiro, nossos funcionários, colegas de trabalho, chefe,…a política, economia, o país.

Realizar começa com autoconhecimento. E quando nos conhecemos melhor tudo flui, você faz acontecer. Para aquelas mulheres que empreendem ou desejam empreender, não vai dar certo sem antes empreenderem a si mesmas. Significa ter capacidade de administrar a própria vida. E para isso: autoconhecimento, autorresponsabilidade e realização. Tem poder quem age.

Que o dia da mulher não seja apenas hoje, que vocês possam sentir que é todo dia. Que se validem todo dia, num dia difícil, escolha 1 vírgula que deu certo. Se valide por isso. Se elogie. Faça isso com o próximo, com o garçom, com o lixeiro, com sua família. Abrace mais, libere o hormônio da ocitocina, a droga do amor. Isso tudo é um presente que só a gente pode dar pra gente mesma nesse dia da mulher.

Crédito da Foto: Weber Pádua.

5 anos da Júlia

A festa de bailarina da Júlia foi inesquecível. Tanto pra ela, que sempre quis uma festa com essa temática, quanto pra mim que já fiz e amo balé. Por isso, abro espaço para a Aline Vale, proprietária do Aline Vale Ateliê, contar um pouco da experiência dela ao criar as bailarinas que conferiram charme e romantismo à festa.

“Estou aqui pra contar a história de uma celebração muito emocionante: os 5 anos de uma “menina-bailarina”. Tudo começou em novembro de 2017 quando minha amiga Letícia Melo perguntou se seria possível fazer “um bolinho” para comemorar os 5 anos da sua filha Júlia. O único pedido: que fosse muito especial!

Em uma situação em que tempo e recursos eram poucos, o que poderíamos fazer? A mamãe pensou até em um piquenique, mas dezembro é muito chuvoso e não dá pra confiar na previsão do tempo.

Foi aí que eu propus que fizéssemos uma comemoração da Júlia com as amigas. Para ser especial não bastava simplesmente estar com as amigas, tinha que ser algo que as envolvesse e as encantasse – palavras da Letícia.

Então veio pergunta principal: o que a Júlia gosta? O que ela curte fazer com paixão? A resposta imediata: Balé! Por esse tema também tenho paixão, afinal, desde 2014 desenvolvo peças decorativas para quartos e festas. As mais pedidas são as Bailarinas de Tule e de Plumas. São peças que desenvolvi com design longilíneo e com materiais que pudessem harmonicamente remeter à leveza e a elegância de uma Bailarina Clássica.

Dessa forma, cheguei a um produto que atendeu a uma demanda de decoradores, arquitetos e muitas mamães de meninas que buscavam uma peça com essa descrição para usar em seus projetos decorativos.

Para Letícia, as minhas Bailarinas seriam o ponto de partida para inspirar toda a criação da festa! Que honra! Me emociono e me motivo muito diante da admiração e encanto pelo meu trabalho que começou como hobby juntamente com a maternidade, e hoje é o meu “pequeno negócio”.

Nem só de Bailarina se faz uma festa com tema Balé e sim, de todo um contexto e ambientação românticos. Para isso contamos com profissionais que colaboraram muito para chegar a uma verdadeira atmosfera de encanto. Focar naquilo que poderia emocionar a Júlia é o que tornou possível celebrar tão lindamente os seus 5 anos. Lá estávamos ao lado dela vendo-a se divertir muito com as companhias perfeitas, magicamente encantadas com a decoração e o ambiente criados com o tema clássico que é o Balé.

Meu nome é Aline Vale. Sou mãe de dois, fisioterapeuta e atualmente (desde 2014) desenvolvo peças decorativas para quartos e festas a pedido de decoradores, arquitetos e mamães festeiras.

Preservar o meio ambiente também é coisa de criança

Despertar a consciência ecológica na criançada desde cedo, é fundamental para que tenhamos um futuro sustentável. É claro que nós, mamães e papais, somos peças fundamentais nesse processo. Afinal de contas, uma boa educação começa em casa, certo? De forma complementar, vem a escola.

Ensinar aos nossos filhotes a separar os lixos, a não desperdiçar e consumir de forma consciente são algumas das iniciativas que estão em nossas mãos para ajudá-los a construir um entendimento, desde cedo, sobre as temáticas ambientais. O mais legal é que tudo pode ser feito brincando.

Confira abaixo algumas dicas que busquei de especialistas lendo sobre o assunto:

Reciclagem

Coloque seu filhote no comando da coleta do lixo reciclável. Deixe que elas separem esses itens dos orgânicos. Uma coisa super lúdica que pode ser feita é aproveitar as caixas para construir novos objetos: casinhas, bonecas, árvores. Além de reciclar, você ainda está incentivando a criatividade da criança.

Games ecológicos

Existem diversos joguinhos online que despertam a criança para a importância de cuidar do meio ambiente. Incentive-a a jogá-los nos momentos de lazer. Outra atividade interessante é criar um quiz para testar e ensinar novos conhecimentos de sustentabilidade ao seu filhote.

Espalhe bilhetinhos

Coloque bilhetinhos, por escrito, em locais estratégicos lembrando da importância de cuidar do meio ambiente. No espelho do banheiro, você pode escrever pedindo para fechar a torneira enquanto eles escovam os dentes. Na lixeira, para separar os orgânicos dos recicláveis.

Doe um brinquedo e faça outra criança feliz

Periodicamente, sente com a criança para organizar o armário. Separe brinquedos e roupas que ela não usa mais, e explique que os mesmos podem ser aproveitados e fazer a alegria de outras crianças. Combata o desperdício Quando a criança pedir algo para comer, ressalte a importância de juntos analisar o tamanho da fome, a quantidade de comida que será servida. O objetivo é que seu filho coma para se sentir satisfeito, evitando, assim, desperdícios. Afinal de contas, tem muita gente passando fome no mundo.

  • Site desenvolvido por Agência Vetta