instagramcustom

Categoria:

Depoimentos

Uma mãe, uma história!

Sou mãe de dois filhos com idades muito diferentes. Meu filho mais velho, Vincenzo, tem 13 anos e me deu de presente a graça da maternidade aos meus 18 anos. Meu filho mais novo, Juliano, acabou de fazer 1 ano.

A minha história tem um pouco de tudo. Ser mãe em épocas totalmente diferentes na vida, ter sido mãe de repente e ter me programado para ser mãe, aprender na marra e depois aprender tudo de novo sob uma nova perspectiva.Engordar muito nas duas gravidezes e entender a diferença de metabolismo de uma quase adolescente de 18 anos e uma balzaquiana! Minha primeira gravidez veio de repente, assustadora. Com ela vieram todos os medos que se pode imaginar da gravidez de uma menina que não sabe nada da vida. As descobertas vieram todas como surpresas indesejadas, foi muito difícil e engordei 32 Kg!

Não por isso o meu amor materno deixou de nascer junto com meu primogênito, é claro, mas naquela idade foi muito fácil para mim voltar ao meu corpo ideal. Eu tinha tempo, energia e metabolismo de sobra para isso. Dez anos após minha separação do meu ex-marido conheci meu marido atual e resolvemos preparar nossa vida para sermos pais. Eu já estava mais velha e experiente, já sentia no meu coração que era hora de ser mãe de novo. Ao contrário do que imaginei, mesmo aos 30 anos, não consegui engravidar rapidamente. Tomei hormônios durante quase um ano, o que me fez engordar 14 quilos. Quando engravidei do meu segundo filho, portanto, já estava bem acima do meu peso ideal.

No começo consegui manter a forma mas depois do 6o mês não consegui mais fechar a boca e me joguei de corpo e alma na gula que a gravidez traz. Comi de tudo e mais um pouco, fui irresponsável com meu corpo, achando que, assim como da primeira vez, tudo ia voltar ao seu lugar sem muito esforço. Acontece que aos 30 nosso organismo não é o mesmo do que aos 18 e eu tive que entender isso à força. Quando meu filho nasceu, 40 dias após o parto, estava pesando 102kg. Sou muito alta, tenho 1,77, mas isso não me tirou da zona de risco.

Meu médico estava preocupado e eu, desesperada. 4 meses após o parto ainda pesava 98kg e parecia que aquilo era uma situação que não ia mudar. Tinha vergonha de ficar nua na frente do meu marido, não queria sair de casa e entrei num casulo de auto mutilação. Tentei recomeçar, como sempre, fazendo meus regimes malucos, da própria cabeça. Entrei numa academia e fazia o que eu conseguia (o que era quase nada, devido ao despreparo físico e sobrepeso). 20 minutos de esteira num dia, 10 no outro, depois faltava. Como passava fome durante a semana, comia demais nos fins de semana e a dieta ia toda embora. Isso durou 2 meses e não trouxe benefício algum para minha saúde. Continuava pesando o mesmo.

Foi nessa época que comecei a seguir o Vida Pós Parto e aquele instagram, de uma amiga querida de faculdade, começou a me inspirar. Em princípio tentei fazer igual, treinar igual mas percebi que alguma coisa estava faltando. Foi então que liguei para a Letícia e desabafei. Disse a ela que queria desistir e assumir a nova forma de gordinha, que eu não iria conseguir jamais voltar ao meu corpo original, muito esguio e definido. Ela então me disse duas coisas que eu nunca vou esquecer. Primeiro, me disse para não desistir jamais porque ela mesma jamais desistiria de mim. E me indicou uma nutricionista. Quando fui à nutricionista, Janaína Goston, numa consulta que foi mais uma terapia, aprendi que eu nunca havia nutrido meu corpo de forma correta e havia passado toda a vida lutando contra a balança com regimes drásticos, remédios e muita fome! Ela me passou uma dieta elaborada especificamente para os meus gostos, sem suplementos (não gosto deles) e me disse que eu deveria investir num profissional particular para me ensinar a malhar de verdade. Letícia, sempre do meu lado, foi acompanhando tudo e sempre perguntava sobre as minhas conquistas.

Muitas vezes pensei em desistir, mesmo após tanto esforço, mas olhava o instagram do Vida Pós Parto e me enchia de energia!!! Apenas 6 meses se passaram e hoje, após a nova dieta e exercícios feitos com a ajuda de um personal trainer, consegui eliminar 26kg (ao todo 30kg) e fui de um percentual de gordura de 39% para 17%. Ainda não cheguei no meu ideal, que é 14% (muito drástico para algumas pessoas mas acredito que cada um deve ter o seu próprio ideal) mas estou muito mais perto de conseguir chegar lá do que antes. Com a nova dieta tudo na minha vida mudou, não apenas meu peso e aparência. Minha pele ficou mais bonita, meus cabelos começaram a crescer mais e mais rápido, eu agora tenho muito mais pique para o dia a dia e ainda tenho a alegria de começar a entrar de novo nas minhas antigas calças skinny!

Sou ainda um corpo em construção e, principalmente, uma mente em construção, mas agradeço todos os dias à Lelé por ter me dado um tempinho da vida dela e ajudado na minha vida toda! Aprendi a comer de verdade sem passar fome, parei de ter vergonha do meu marido e agora virei um arroz de festa (sem orgias alimentares, claro)!! Tenho a certeza de que ser mãe pela segunda vez foi a forma que Deus enviou para que eu me amasse mais.

Sem amor próprio não cuidaria da minha saúde e talvez não poderia cuidar da vida dos meus dois filhos, que são o maior motivo que existe para eu viver. Sou daquelas mães que vai em cada aula de natação e grava tudo, tira foto, brinca o dia todo, levo na academia comigo, busco e levo na aula e ainda ponho para dormir depois de fazer minhas marmitinhas! Consegui conciliar dois dos maiores amores do mundo, depois de Deus: Amor de mãe e amor próprio!

Obrigada Letícia, por ser essa coach perfeita que nasceu com essa habilidade de ajudar as pessoas. Eu te adoro por isso e muito mais, mas te devo para sempre por ter me ajudado a me amar. Ainda vou postar mais uma história daqui a um tempo, quando chegar ao meu ideal e provar que o metabolismo de 18 anos é bom mas a persistência da balzaquiana é ainda melhor!

Átala Cardoso

Uma mãe, uma história!

Sou mãe de sete. Sete anjos me foram enviados para que eu pudesse cuidar e amar acima de qualquer coisa.

Foi um grande caminho até entender que essa era a minha missão na vida.

Todo mundo me pergunta se eu sempre planejei ter uma família grande. Não. Não foi um planejamento. Na realidade planejo muito pouca coisa na minha vida. Elas acontecem e eu aceito. Sonho com muita coisa e acredito nelas e elas acontecem. Queria mesmo ser muito mais organizada, planejada. Quem sabe com o trabalho de coach que estou começando né?

Meu filho mais velho veio quando ainda namorava o pai dele. Não imaginava nunca engravidar. E ainda mais aos 17 anos, cidade nova, namoro novo, começando faculdade. Me apaixonei por aquele ser pequenininho dentro de mim na mesma hora, apesar do susto. Casei com o pai dele, mas nos separamos antes do Pedro fazer 2 anos.

Oito anos depois casei de novo. Tive Luís Felipe e depois Joao. Queria muito uma menina. Mas 4 filhos? Trabalhando do jeito que trabalhava? Na Empresa da família, o dia todo! Contei com minha mãe e minha tia e resolvi que tentaria. Quando coloco uma coisa na cabeça é assim que funciona. Acontece. Fui para São Paulo fazer, o que na época nao sabia que era crime, uma sexagem fetal. Mil coisas aconteceram, mas na segunda tentativa engravidei. Para minha surpresa engravidei de trigêmeas. Três Marias iriam colorir meu mundo de rosa! E assim foi! Minhas princesas que iluminam, junto com os meninos, a minha vida!

Depois se 12 anos de relacionamento nos separamos. Foi uma barra para todo mundo, mas Deus é tão bom, que mandou o papai Kleber para tomar conta da gente. Kleber adotou todos os meus 6 filhos, mas não tinha o dele. Resolvemos que teríamos um bebê. E veio então minha quarta Maria. A boneca das outras. O dengo dos meninos. Um amor.

Letícia me pediu que falasse sobre maternidade. Eu precisava contar primeiro como 7 anjos entraram na minha vida. São eles: Pedro Henrique, 20 anos. Luís Felipe, 12 anos. João Eduardo , 9 anos. Maria Carolina, Maria Eduarda e Maria Fernanda, 6 anos e Maria Beatriz, 1 mês.

Quando me separei do pai dos meninos eu resolvi que trabalharia pela manhã. E que a tarde seria deles. Isso vai fazer 4 anos. Desde então descobri uma maternidade diferente. Até esse época eu sempre fui uma mãe presente sim! Mas deleguei demais porque precisava de ajuda. Trabalhava muito e eles estavam na mão de quem mais confio no mundo; minha mãe. Fiz shantalla até 1 ano em todos, criei rotina para o sono. Acompanhei todas as etapas da escola, as reuniões, as apresentações. Final de semana e a noite nunca tive baba. Só quando as Marias nasceram. Até pela segurança delas. Mas trabalhava muito! Então hoje tenho consciência que assim perdi algumas coisas. Não por trabalhar tanto, mas por delegar demais. Hoje não faria mais isso.

Minha vida agora é assim: levo e pego na escola os cinco menores. Acompanho os deveres. A alimentação. Cuido da rotina. Sou a disciplinadora e as coisas acontecem do meu jeito. Nunca bati em nenhum filho meu.Sou completamente contra. E mesmo assim sou respeitada. Porque me imponho. Desde cedo. Sempre.

Ganhei demais estando dentro de casa. Trabalhei tanto, mas descobri que o que mais sei fazer, mais gosto de fazer é educar. Posso até trabalhar com isso no futuro, mas hoje tenho 7 para aplicar meus conceitos. Sou orientada sempre. Busco sempre ajuda. De pediatras, de psicólogos. E sigo o que mãe tem de mais importante : o sexto sentido.

Minha caçula nasceu há um mês. Estou aprendendo de novo. Tentando fazer o que não consegui fazer com os outros por mil motivos: amamentar exclusivamente. Para mim está sendo uma loucura. Porque nunca fiquei “presa” assim. Digo isso pq não tenho coragem de sair com filho nenhum de casa antes das vacinas. E como ela não pode sair e não tem mamadeira e é livre demanda eu não saio Tbm! (Risos) Mas está bom demais!

O que eu posso dizer é que ser mãe é benção. Mas temos que estar dispostas. Porque muitas e muitas vezes nos sentimos culpadas por tudo. É cansativo porque educar requer paciência e repetição.Não tiramos férias, nem dá para mudar de emprego. Não dá para começar do zero. E a gente erra. E sabe que errou. E não dá para voltar atrás. Temos que continuar. Com lágrimas nos olhos, coração doendo e fazendo de tudo para ajustar as coisas.
Isso para mim é ser mãe. É ser coragem. É ter coragem. De nunca desistir e de sempre fazer o melhor. O resto é consequência. O retorno é lindo, a recompensa é a melhor do mundo! Um sorriso, um abraço, um eu te amo, apaga tudo e a gente consegue fazer tudo de novo. Todo dia.

Amo ser mãe!

Por Julyana Mendes

Uma mãe, uma história

Eu sou Esther Bruno de Azevedo Ktenas, nasci em Belo Horizonte onde morei até os 23 anos.

Me casei e me mudei para São Paulo, capital, para morar com o marido que tinha sua vida feita por la. A decisão de nos casarmos foi tomada com muita rapidez e com um ano de namoro ja estávamos casados. A vida de viajar todos os finais de semana nos cansava muito e embora nunca ter curtido muito ter uma rotina, eu queria mesmo ficar mais perto e refazer minha vida sossegada ao lado dele.

Eu já estava em lua de mel quando me dei conta que havia largado trabalho, carreira (estava no nono período de direito e não me formei), família (todos moram em BH), amigos. Falávamos em ter filhos mesmo antes do casamento, ele por ser mais velho tinha muita pressa e eu… Ah, eu sempre fui aquela criança apaixonada por bebês e amava ser a Mamãe de todas! Se me perguntassem o que eu seria quando crescer eu seguramente respondia: Mãe!!

E desde a adolescência que eu amadurecia a ideia de me casar e ser mãe jovem. Talvez porque quisesse ter vários, talvez porque já me sentisse preparada desde sempre, ou talvez porque eu simplesmente seria… Então assim que nos casamos fui ao médico, parei com a pílula, iniciei o pré tratamento com ácido fólico e relaxei.
Muito mais rápido do que imaginávamos e praticamente de surpresa, quando descobri a gravidez, tinha apenas 3 meses de casada. Foi mágica a descoberta, uma alegria infinita, mas junto com ela as inseguranças, angústias, medo e muito mal estar físico.

Descobri a gravidez através de um enjoo terrível que se manteve até os 4 meses. Embora não vomitasse eu mal conseguia comer e por isso emagreci 3 kg chegando a pesar 49 kilos. Nos últimos anos eu já não praticava atividades físicas e me mantinha magra com dietas malucas e herança genética.
Com a preocupação da saúde do bebê e da minha, controlei a alimentação de forma mais saudável possível e fiz pilates da 12ª semana ate 37ª. Durante toda a gestação eu não trabalhei e tudo que fiz foi ler milhares de livros sobre a maternidade e me aperfeiçoar no assunto. Mas isso não era suficiente pra me deixar ocupada e eu passei grande parte da gestação me culpando e culpando o marido da minha falta do que fazer naquela cidade enorme.

Bom, ainda assim me senti muito disposta e saímos muito, shows, eventos, me lembro de ter ido aos dois dias de festival do lolla palooza com 37 semanas e meia. O marido sempre foi maravilhoso e muito companheiro, merecia um prêmio por ter sido tão paciente durante toda a gestação.
Alexandre, meu filho, nasceu de parto cesárea porque infelizmente estava sentado. Engordei apenas 7 kgs durante toda a gestação e somente com a amamentação e muita água eu voltei ao meu corpo pré gravidez com 21 dias de pós parto (claro, flácida, cheia de celulites e com quase nada de massa magra no corpo).

Assim que o Alexandre nasceu minha mãe e avó passaram 10 dias comigo em SP (foram pra passar 1 mês ), eu e o marido decidimos não contratar uma babá, e assumi como leoa toda a função de mãe, sem aceitar nenhuma ajuda nem mesmo da minha mãe para uma simples troca de fralda!! Sim, eu não precisava ter negado ajuda mas eu precisava provar pra mim que eu seria capaz sozinha quando estivesse sem ninguém. E assim foi, estabeleci uma rotina bem rígida ao bebê desde muito cedo, o que facilitou muito nossa vida.

Adaptado ao mundo desde os dois meses o Alexandre foi grande companheiro da mamãe e papai e nos acompanhavam em tudo, inclusive nos jantares românticos em que ja saíamos de casa com ele dormindo. Eu já estava preparada para o batente e me dediquei exclusivamente ao filhp ate os 9 meses que foi quando ele desmamou sozinho.

E foi neste momento que tomei um choque, talvez um pouco antes disso, de que eu precisava cuidar de mim. Percebi que passava 3 dias em casa e não descia para o play do prédio para levá-lo para tomar sol (morávamos em uma cobertura e eu dava o banho de sol lá mesmo). Minha vida se resumia a filho, supermercado, farmácia e quando sobrava tempo e ânimo,ao marido.

Minha obstetra maravilhosa diagnosticou a depressão pós parto tardia e eu comecei a me tratar. Junto com o tratamento passei ir mais vezes para Belo Horizonte, sair com as amigas me fazia bem. Reencontrar amigos, fazer novos programas e graças as redes sociais que me possibilitaram fazer grandes amizades eu tinha encontros em Sao Paulo, cine materna (sim, sessões de cinema que podemos levar os bebês ate 18 meses) e as coisas começaram a melhorar!!

Eu voltei a me exercitar , e me sentir muito melhor!Mais bonita e muito mais atraente. A vida pós parto é ao mesmo tempo difícil e maravilhosa! Aprendi que para termos um bebe feliz e saudável precisamos também estar feliz e saudável.

Tudo mudou mesmo ano passado com 1 ano e 3 meses do meu filhote e após um susto do marido (doença curada), decidimos que precisávamos fazer mais pela nossa família e nos mudamos para o Rio de Janeiro. Minha sogra já morava aqui no Rio há alguns meses e meu cunhado também, em seguida veio minha cunhada e hoje moramos todos no mesmo raio de 800 metros, na cidade maravilhosa que respira energia, saúde e bem estar. E aqui me encontrei, ou me reencontrei, porque não foi so a cidade maravilhosa que me fez mudar, foi a minha vontade de voltar a ter uma vida mais feliz e fazer o mesmo pelo meu filho.

Praia , parquinhos, encontros com outros bebes e mamães viraram rotina, eu voltei para o Ballet Fitness (fui bailarina por 17 anos e parei aos 20) que é uma modalidade mais funcional e hard core e descobri uma paixao pelas duas rodas da bicicleta. Mudei meu corpo, minha mente e abri meu coração!

Fiz amizades maravilhosas aqui e me sinto totalmente bem e adaptada, quase uma carioca -mineiroca porque amo Minas e continuo visitando BH , a família e os amigos pelo menos uma vez por mês com o filhote. Voltei a trabalhar mas agora com multi tarefas na empresa de mídia e marketing do marido. Faço meu horário e tenho tempo para cuidar de tudo, do filho, marido, casa e principalmente de mim!

Reconheço que sou uma mãe muito presente e esforçada, arrisco a dizer que SIM, eu vim ao mundo pra ser mãe. Sou elogiada pela educação e simpatia do meu filho e diariamente sou agraciada com um ”eu te amo mamãe”, muito carinho e o olhar mais doce e sincero do mundo que parece estar me agradecendo por eu ser quem sou o tempo todo.Dentre angustias, frustrações e medos digo que não existe amor maior e satisfação maior do que ser mãe.

Como a mulher que me tornei hoje, posso afirmar que a maternidade não é o fim da beleza, é a oportunidade de se tornar mais bela. Agora me garanto muito melhor como ser humano, como mãe e principalmente como mulher!
E como não posso parar por aqui, porque ainda tenho muito o que aprender nessa vida, ao acordar todos os dias, eu me olho no espelho e digo a mim mesma: “”Faça mais daquilo que te faz bem, Esther!
Acredite, faça isso, funciona!!!

Esther Ktenas

Uma mãe, uma história!

Estou amando estar grávida como nunca imaginei que amaria!

Sempre tive medo de como ficaria o meu corpo e por sempre cuidar muito dele e da minha alimentação, tinha receio de me achar feia e gorda! Sem contar o medo de perder a minha liberdade e da maternidade transformar minha vida completamente em algo que não me sentia preparada! Mas engravidar me trouxe um sentimento muito forte e agradável e todos os medos que eu tinha desapareceram quando fiz minha primeira ultra e vi aquele ser minúsculo, de 3 cm, se mexendo dentro da minha barriga.

Quando olho no espelho hoje, mesmo com uns quilinhos a mais, com a barriga enorme, me sinto muito feliz! Além de não ver a hora de pegar minha filha no colo e cuidar muito dela!

Comecei a gravidez muito bem até entrar na 8a semana, quando os enjôos começaram. Da 8a a 14a semana foi muito difícil, um enjoo terrível sem fim, o que me ajudava era comer muito carboidrato e gordura, queria comer uma pizza de queijo bem gorda, não aguentava nem pensar num brócolis que dava vontade de vomitar! Fruta nem pensar!!! Ou seja, minha alimentação ficou péssima durante esses dois meses e me fez ganhar 3kg.
Costumava antes da gravidez fazer atividade física todos os dias da semana, inclusive sábados e domingos. Nessa fase de enjôos conseguia fazer somente 2 ou no máximo 3 vezes por semana, fazendo um esforço enorme. Na 14a semana como mágica meu enjoo passou e voltei a ter uma alimentação saudável e a fazer atividades todos os dias. Faço em média 35 minutos de esteira e 20 de bike todos os dias mais musculação com menos da metade dos pesos que eu fazia anteriormente. A atividade me ajuda demais, sinto minha circulação melhor, me sinto mais feliz, me ajuda na função intestinal, motivo de sofrimento de muitas grávidas. Ela também ajuda a controlar meu peso, já que a fome é de leão!

Estou no 7º mês e engordei 5kg e pretendo não ganhar muito mais, apenas o suficiente até o final da gestação.

Me preocupo com a alimentação ser o mais natural possível, abandonei de vez os adoçantes e leio sempre os rótulos antes de comprar qualquer alimento. Evito produtos industrializados que contenham conservantes e corantes. Mas não sou de ferro, sou apaixonada por doces e chocolates, meu maior pecado, e nos finais de semana me permito comer algumas guloseimas, com equilíbrio, mesmo sabendo que não fazem bem!

Hoje temos tantas receitas saudáveis disponíveis de doces e bolos, muitas vezes utilizo delas para comer um doce que contenha bons ingredientes, mesmo com alto teor calórico.

Me sinto muito bem com a gravidez, continuo trabalhando diariamente e não mudei minha rotina em nada, com exceção das atividades físicas que estão mais moderadas.

Um Beijo a todas as gestantes e futuras mamães !!

Gabriela Dale

Uma mãe, uma história!

Todo mês uma MÃE vem aqui contar sua história!

Hoje vamos conversar com a ÉRICA NEVES JUSTE, que ganhou apenas 6 kilos em todo período gestacional e praticou atividades físicas e manteve uma alimentação saudável até o fim!
Sua idade: 31 anos
Onde nasceu: Belo Horizonte
Casada: Há 3 anos e meio
Período da gestação estava quando contou sua história: 8 mês

VPP: Como foi sua gestação?
ÉRICA: Tive uma gestação muito tranquila desde o início! Não senti nenhum enjoo, apenas muita fome até a 12ª semana.
VPP:Qual a fase da gestação que mais curtiu ?
ÉRICA: Exatamente por me sentir muito bem desde o início, curti todas as fases! Somente com 8 meses comecei a me sentir um pouco cansada no final do dia.
VPP: Como é sua rotina hoje no Oitavo mês de gestação?
ÉRICA: Minha rotina agora está sendo bem tranquila. Estou trabalhando somente na parte da manhã, horário que me sinto mais bem disposta! E a tarde, fico por conta de acabar de organizar as coisas da Carolina e faço caminhada e musculação.
VPP: Você se imaginou exatamente deste jeito quando sonhou em engravidar?
ÉRICA: De jeito nenhum! Morria de medo de passar mal, engordar muito, ficar indisposta… Mas graças a Deus, foi tudo exatamente ao contrário! Me sinto muito bem desde o início e engordei apenas 6 kg até hoje!
VPP: Sempre curtiu a ideia de ser mãe ou foi algo que teve que amadurecer com o tempo?
ÉRICA: Desde que eu casei tinha certeza que queria ser mãe! Ainda mais depois do nascimento da minha afilhada Bruna! Vi que uma criança muda para melhor a vida de qualquer pessoa!
VPP: Seu casamento mudou depois que você engravidou?
ÉRICA: Sim, mudou para melhor! São novos planos e novas descobertas todos os dias! A cada ultrassom uma ansiedade gostosa, uma vontade imensa de ver logo a carinha dela!
VPP: Como você espera que seja sua vida pessoal ( como mãe, trabalho, esposa, dona de casa, etc..) depois que o bebê nascer?
ÉRICA: Com certeza vai mudar muito! E espero que seja para melhor! Vou tentar dar o meu máximo, me esforçar para ser uma mãe bacana, dedicada, tentando conciliar marido, deveres de casa e mais pra frente a volta ao trabalho!
VPP: Fez algum tratamento estético durante a gravidez?
ÉRICA: Desde a 12ª semana faço drenagem linfática toda semana para evitar retenções de líquidos e inchaços futuros! Pretendo continuar após o parto, assim que tiver liberação médica!
VPP: Você sempre fez atividade física ? Como foi depois que descobriu que estava grávida? Continuou ou mudou sua rotina?
ÉRICA: Sempre! Atividade física faz parte da minha vida há anos! Não consigo viver sem praticá-la! Quando descobri que estava grávida, achei que tivesse que parar até completar os 3 primeiros meses. Mas para minha surpresa, exatamente por sempre ter praticado, não precisei parar! Mas é claro, faço com moderação! Musculação e caminhada fazem parte da minha rotina desde o início da gravidez, pelo menos 3x por semana.

OBRIGADA ÉRICA, por compartilhar um pouco da sua experiência e expectativas durante a gestação! Estamos ansiosas para saber como está a fase do Pós Parto! Venha contar pra gente depois!
SE VOCÊ É MÃE E TAMBÉM QUER CONTAR SUA HISTÓRIA, ME ENVIE UM EMAIL!
CONTATO: leticia@vidaposparto.com

Mel Cirello, nossa personal gestante!

Olá ,meu nome é Melissa, e sou Personal Gestante.
Antes de falar sobre meu trabalho, quero falar um pouquinho como conheci a Letícia. Responsável por esse site tão lindo que vocês terão oportunidade de aproveitar.

Como profissional da área, observo meus alunos, as conversas entre eles, observo o que eles gostam e o que necessitam. E por mais que eles saibam da importância da atividade, existe um ingrediente fundamental para o pontapé inicial para a mudança de comportamento e a regularidade na prática.: MOTIVAÇÃO.
E depois que criei meu IG, observei muitas coisas. Entre elas, o Instagram Vida Pos Parto da Letícia.
Me encantei com a maneira que lida com seu corpo, com a maneira que se expressa, e a maneira que incentiva outras mulheres de maneira tão responsável.

Por isso, me apresentei a ela, tentei entender brevemente sua história para fazer um repost no meu IG. Daí nasceu nosso contato e o convite para escrever no site dela, e que eu espero atender a expectativa de todas as mulheres, seja ela grávida ou não.

Um beijo e espero que gostem do meu primeiro post aqui para vocês!

  • Site desenvolvido por Agência Vetta