instagramcustom

O melhor presente para o Dia da Mulher: Autorresponsabilidade

março 8, 2018

Hoje é o Dia Internacional da Mulher. E foi no dia 8 de março de 1857, em Nova York, lutando pelos direitos salariais e condições melhores de trabalho e seguido de outros acontecimentos que o mundo todo começou a comemorar a data.

De lá pra cá conquistamos muito, mas ainda temos muito o que conquistar. E a conquista depende da nossa capacidade de realização. Pra realizar precisamos antes de tudo sonhar Mas eu conheço muita gente que não se permite sonhar, por achar que não merece, que não deve, que é pedir demais… Que sonhar é luxo em tempos de tanta necessidade.

Todo mundo reclama que não tem tempo, que não para, que “tá” cansado, que dorme pouco, trabalha muito, que ninguém ajuda… O hábito de reclamar já enraizou na nossa cultura. Parece que as pessoas acham bonito falar que não têm tempo.

Gente, vamos parar! Um minuto, que seja hoje, no “nosso” dia. Pra refletir sobre quem somos. O que temos feito por nós. Parar de viver no piloto automático. Dar uma pausa e gerar consciência. Ouvir você. Seus anseios, seus sonhos, sem desmerecer por achar que vai ser difícil alcançar. Depois que a gente para, tem coragem pra sonhar, o que fazer para realizar? Parece que nos sentimos paralisados muitas vezes, sem saber por onde começar.

Eu me lembro a primeira vez que eu ouvi a palavra Autorresponsabilidade. Fiquei confusa e ao mesmo tempo culpada. Uma culpa por colocar a responsabilidade de tudo que dava errado nos outros. Afinal de contas, ser coadjuvante da própria vida é bem mais fácil que ser protagonista. Gente, eu vivia reclamando e colocando a culpa no outro. Eu reclamava tanto que meu apelido era “ complaininggirl” quando eu morava no Canadá. Tive a oportunidade suada de estudar fora e ainda ganhei esse apelido. Voltei pro Brasil, consegui passar numa seleção de trainee de um banco em BH e eu continuava ouvindo “ lá vem a menina reclamona”

Por muitos anos isso não me incomodou. Hoje eu concluo que achava bonito reclamar. Talvez chamasse atenção das pessoas e isso se tornou um vício emocional pra mim. Porque nós somos viciados em emoções ruins. Inconscientemente, mas somos. Sabe aquela pessoa que entra no carro e começa a reclamar do carro da frente, do trânsito, buzina, grita, xinga a mãe de todo mundo? O coração dela dispara, ela arrepia, gera adrenalina. E isso vicia.

Eu perdi o vício de reclamar o dia que entendi o que era autorresponsabilidade. Ser autorresponsável é entender e acreditar que você é o único responsável pelo que acontece na sua vida, e só você e pode muda-lá. Neste dia, eu engoli pedra quando tentei reclamar. Não conseguia mais. O reclamar passou a ser conversar comigo mesma, ouvir minha voz interior, me conscientizar.

Taí o primeiro passo após sonhar. Parar de reclamar , apontar pro outro. E AGIR. Como tudo começa a clarear. Aí vem a hora de entender seu momento presente. Se questione. Tente responder quem você é. Para que você se levanta todos os dias e coloca o pé pra fora da cama. A capacidade de realização  só acontece quando nos  sentimos realmente responsáveis pela nossa vida. E não nossos pais, nosso companheiro, nossos funcionários, colegas de trabalho, chefe,…a política, economia, o país.

Realizar começa com autoconhecimento. E quando nos conhecemos melhor tudo flui, você faz acontecer. Para aquelas mulheres que empreendem ou desejam empreender, não vai dar certo sem antes empreenderem a si mesmas. Significa ter capacidade de administrar a própria vida. E para isso: autoconhecimento, autorresponsabilidade e realização. Tem poder quem age.

Que o dia da mulher não seja apenas hoje, que vocês possam sentir que é todo dia. Que se validem todo dia, num dia difícil, escolha 1 vírgula que deu certo. Se valide por isso. Se elogie. Faça isso com o próximo, com o garçom, com o lixeiro, com sua família. Abrace mais, libere o hormônio da ocitocina, a droga do amor. Isso tudo é um presente que só a gente pode dar pra gente mesma nesse dia da mulher.

Crédito da Foto: Weber Pádua.

Leave a Reply

  • Site desenvolvido por Agência Vetta