instagramcustom

Educação sem machismo

agosto 15, 2016

A educação da criançada contra o machismo deve começar em casa, com nossos filhotes ainda pequeninos. Nós, mamães e papais, somos fundamentais para incentivar comportamentos saudáveis, livres de qualquer tipo de preconceito.

Quem disse que panelinhas e bonecas são para meninas e carros para meninos? Ou que azul é cor de homem e rosa de mulher? Essa divisão pode reproduzir um comportamento futuro de que lugar de mulher é só em casa – cuidando dos filhos – e dos homens no trabalho.

Recentemente em uma dinâmica da escolinha para as Olimpíadas, a Júlia quis ir vestida de jogadora de futebol. É claro que a ideia foi super bem-vinda, afinal de contas, as crianças são livres para usarem o que quiserem ou brincarem daquilo que mais curtirem, não é mesmo? Sem contar que o futebol feminino anda muito mais alta que o masculino nos últimos tempos.

Por falar em definição de papéis, penso que cuidar da casa também é responsabilidade de todos que dividem o mesmo lar. Seja menina ou menino, é importante ensiná-los a organizar seus objetos desde cedo. O mesmo vale para as regrinhas básicas que estabelecemos dentro de casa. As exigências e permissões devem ser iguais para todos os filhos, independente do gênero.

Aquela história de que “criança não tem maldade” pode até se encaixar em algumas situações, mas não deve ser justificativa para tudo. Nossos pequenos devem entender que limites existem para serem respeitados. Se uma brincadeira ou atitude não for bem aceita, é hora de dizer que só podemos tocar no outro se autorizados.

Lembre-se sempre que as crianças são como esponjinhas, absorvendo tudo o que fazemos ou o que acontece em casa. Pouco adianta ensiná-las que brinquedos não têm gênero ou que respeito é essencial, se nós não somos o melhor exemplo para elas, certo? Busque ser na frente do seu filho tudo aquilo que você ensina a ele.

Leave a Reply

  • Site desenvolvido por Agência Vetta