instagramcustom

Exercícios para incontinência urinária

agosto 2, 2016

A incontinência urinária é a perda incontrolável de urina causada por diversos fatores.
Ela pode ocorrer em qualquer idade, mas as causas tendem a ser diferentes entre as faixas etárias. A tendência a desenvolver o problema aumenta progressivamente com o avanço da idade. Aproximadamente um em cada três idosos apresenta algum problema com o controle da bexiga. As mulheres têm maior probabilidade que os homens de serem afetadas.

A incontinência urinária pode ser motivo de constrangimento em âmbito social, causar problemas de saúde e até depressão, pois acaba inibindo o convívio social dependendo do grau de perda urinaria.

Os rins produzem urina constantemente, a qual flui através de dois longos tubos (os ureteres) até a bexiga, onde ela é armazenada. A parte mais baixa da bexiga (o colo) está circundada por um músculo (o esfíncter urinário) que permanece contraído para manter fechado o canal que leva a urina para fora do corpo (a uretra), de modo que a urina fica retida no interior da bexiga até que ela encha. Quando a bexiga enche, estímulos são transmitidos ao longo de certos nervos que ligam a bexiga à medula espinhal e, em seguida, são enviados ao cérebro e o indivíduo toma consciência da necessidade de urinar. Ele pode então, de modo consciente e voluntário, decidir se irá urinar ou não. Quando a decisão tomada é a de urinar, o músculo do esfíncter relaxa, permitindo que a urina flua através da uretra ao mesmo tempo em que os músculos da bexiga contraem para empurrar a urina para fora. Esta força de expulsão pode ser aumentada com a contração dos músculos da parede abdominal e do assoalho pélvico para aumentar a pressão sobre a bexiga.

O processo completo de retenção e liberação da urina (micção) é complexo e a capacidade de controlar a micção pode ser comprometida em diferentes etapas do processo devido a várias anormalidades. O resultado dessas anormalidades é a incontinência urinária, ou perda de controle.

Os tipos de incontinência urinária são classificados de acordo com o modo e o momento do início da incontinência: incontinência com perda de urina súbita e repentina e incontinência com perda gradual e persistente. A incontinência urinária de início súbito freqüentemente indica um problema de bexiga. A cistite (infecção da bexiga) é a causa mais comum.
A incontinência urinária persistente (crônica) pode ser decorrente de alterações cerebrais, alterações vesicais ou uretrais ou problemas dos nervos que inervam a bexiga. Essas alterações são particularmente comuns em idosos e mulheres na pós-menopausa.

Tipos de incontinência e suas causas

1) Incontinência de urgência: Incapacidade de reter a urina por mais que alguns minutos após sentir a necessidade de urinar.
Causas: Infecção do trato urinário, bexiga hiperativa, bbstrução do fluxo urinário, bálculos e tumores na bexiga e medicamentos, especialmente os diuréticos

2) Incontinência por esforço: Escape de urina, habitualmente em pequenos jatos, causado pelo aumento da pressão abdominal, o qual ocorre quando o indivíduo tosse, ri, faz força, espirra ou levanta um objeto pesado
Causas: Fraqueza do esfíncter urinário (o músculo que controla o fluxo urinário da bexiga). Nas mulheres, diminuição da resistência ao fluxo urinário através da uretra comumente causada pela deficiência de estrogênio e alterações anatômicas causadas por múltiplos partos ou por uma cirurgia pélvica. Nos homens, remoção da próstata ou uma lesão da parte superior da uretra ou do colo da bexiga

3) Incontinência por transbordamento: Acúmulo de urina na bexiga que se torna muito grande para que o esfíncter urinário consiga reter e, conseqüentemente, a urina escapa gradualmente, freqüentemente sem sensação da bexiga cheia.

Causas: Obstrução do fluxo urinário, usualmente causada pelo aumento benigno ou pelo câncer de próstata nos homens e pela estenose uretral (defeito congênito) nas crianças, Musculatura da bexiga enfraquecida, disfunção nervosa e medicamentos

4) Incontinência total: Escape contínuo, pois o esfíncter urinário não fecha

Causas: Defeito congênito e lesão do colo da bexiga (p.ex., durante uma cirurgia)

5) Incontinência psicogênica: Perda de controle da micção por razões psicológicas

Causas: Distúrbios emocionais (p.ex., depressão)

6) Incontinência mista: Combinação dos problemas acima (p.ex., muitas mulheres apresentam incontinência mista, isto é, por esforço e de urgência)

Causas: Combinação das causas acima

A incontinência urinária também é classificada de acordo com a sintomatologia. Ela pode ser de urgência, de esforço, de transbordamento ou total.

A importância do períneo

É um grupo muscular que fica na base da pelve. Estes músculos são responsáveis pela sustentação dos órgãos pélvicos (bexiga, útero, reto, uretra, vagina e ânus) e pela continência urinária e fecal; sendo também muito importantes para a sexualidade e reprodução. Alterações na pelve podem levar à incontinência urinária, retenção urinária, incontinência fecal, obstipação, prolapsos dos órgãos pélvicos, dores pélvicas e disfunções sexuais.

A gravidez, o parto vaginal, a obesidade, a menopausa e o sedentarismo são as principais causas das alterações desses músculos, aumentando a chance do aparecimento de patologias. Nos homens, a cirurgia para a retirada da próstata é a maior causa da incontinência urinária e disfunção erétil.

Através do fortalecimento e da reabilitação do períneo é possível tratar e prevenir tais disfunções evitando uma possível intervenção cirúrgica. A reabilitação perineal capacita o individuo a vencer estas patologias melhorando bem-estar, qualidade de vida, prazer sexual e auto-estima.

Exercícios para fortalecer o períneo

Os exercícios para incontinência urinária mais conhecidos são os exercícios de Kegel ou os exercícios hipopressivos, que são uma excelente forma de fortalecer os músculos do assoalho pélvico, ajudando no tratamento e melhorando também a função dos esfíncteres da uretra. Através do pilates é possível realizar estes exercícios, pois o controle da respiração e a consciência dos músculos abdominais permitem que o indivíduo realize os exercícios sem gerar aumento de pressão abdominal. Dessa forma não existe uma sobrecarga de pressão sobre a bexiga e os músculos do períneo são fortalecidos de forma consciente e eficaz.

O sucesso do trabalho de recuperação e fortalecimento dessa musculatura depende de uma avaliação previa bem detalhada para elaboração de um plano de tratamento adequada para cada caso. Alem disso é preciso adesão do indivíduo ao tratamento e a execução regular dos exercícios. Isso quer dizer que os exercícios devem ser realizados de forma correta, várias vezes ao dia e todos os dias até à completa resolução do problema.

A prática do pilates para recuperação e controle da incontinência urinária pode ser realizada tanto no caso de incontinência feminina ou masculina.

Quanto tempo demora para o tratamento fazer efeito?

O tempo de resposta à reabilitação depende da gravidade do quadro, isto é, da quantidade de urina que se perde. Entretanto, nos casos mais graves, quando os exercícios são realizados corretamente os resultados podem ser percebidos após 3 meses e após cerca de 1 ano dá-se a resolução completa do caso.

Nos casos mais simples, onde a perda involuntária de urina é pouca, os resultados podem ser percebidos mais rapidamente.

É importante relatar qualquer sensação de perda urinaria para seu médico e outros profissionais que te acompanham para que seja realizada uma avaliação especifica e para que possa ser iniciado o tratamento através de exercícios ou medicações, caso necessário.

No Conceito Pilates oferecemos aulas elaboradas para o tratamento e recuperação da musculatura de períneo em casos de uma incontinência já estabelecida e aulas com exercícios preventivos para desenvolver a consciência corporal desse grupo de músculos tão importante do nosso corpo.

Uma prática de exercícios de pilates adequada e bem orientada pode tratar e curar a incontinência urinária e trazer qualidade de vida e bem estar novamente.

Por Thaís Gouthier, fisioterapeuta
Conceito pilates: Rua Antonio de Albuquerque 606, sala 204, Savassi / Contato: 32847476 – 997078188 – 988036329

Leave a Reply

  • Site desenvolvido por Agência Vetta