instagramcustom

A importância da educação financeira na infância

dezembro 14, 2015

Em um ano onde a economia brasileira enfrenta grandes desafios e o recomendado é controlar gastos, seja economizando o salário ou buscando novas fontes de renda, como ensinar às crianças o real valor do dinheiro? Neste cenário de oscilações do mercado, a família toda deve ser conscientizada sobre a situação financeira do lar.

Com o método certo, que varia de acordo com a idade, podemos orientar a criança sobre poupança e até investimentos. A partir dos cinco anos, já existe um leve entendimento sobre finanças e deve-se trabalhar o assunto de forma lúdica, porém ao mesmo tempo realista. É importante conduzir o assunto explicando para a criança o que é preciso ter e o que não é necessário, mostrando sempre o valor das coisas. Além disso, é fundamental inseri-la de maneira racional nesse contexto, exemplificando a importância dos itens básicos.

Mostrar as notas e as moedas, apontando as diferenças de cores e valores, auxilia no desenvolvimento desse aprendizado. Em uma loja de brinquedos, aconselhar sobre a quantia que pode ser gasta em um produto para não fugir do orçamento, explicando a origem de cada centavo, associando com outros fatores do cotidiano e aproveitando para comentar sobre o trabalho dos pais; tudo isso ajuda na educação financeira da criança. Outra dica é disponibilizar uma quantia aos pequenos, levá-los à feira ou ao supermercado, e pedir que comprem algo essencial à alimentação com o valor dado, e, assim, explicar na prática a formatação dos preços.

A mesada é outro bom exemplo para ensinar à criança o valor do dinheiro. Informar que se deve poupar para a aquisição de algo desejado e mostrar o quanto esse objeto se torna valioso quando comprado com nosso próprio dinheiro, faz o pequeno pensar na real significância do artigo em sua vida, auxiliando na educação sobre as finanças. Ajudar na condução desse dinheiro, separando uma parte para algo mais caro e a outra parte para a compra de alguma vontade momentânea, como balas, chicletes e salgadinhos. Tudo isso ajuda a desenvolver a economia na vida deles.

É importante solicitar a ajuda da criança em atividades domiciliares, como delegar a responsabilidade de monitorar as luzes da casa, explicando que esse movimento fará com que a família tenha uma economia em relação à conta, e até mesmo explicar em situações reais, como na ida a uma padaria, o que se economiza com as promoções, são situações que ajudam a educar, de maneira informal, para o que é prioridade no dia a dia orçamentário.

Bruno Ramos

Engenheiro Eletrônico graduado no Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA), possui

MBA em Empreendedorismo e desenvolvimento de novos negócios pela FGV – RJ e

Mestrado em Gestão Empresarial pela FGV – RJ. Atualmente, é Diretor do Colégio

Pitágoras Cidade Jardim, em Belo Horizonte (MG).

Leave a Reply

  • Site desenvolvido por Agência Vetta