instagramcustom

Abdominal no pós-parto? Sim você pode!

dezembro 2, 2015

É um imenso prazer estar aqui pra falar um pouquinho da fisioterapia pós parto com vocês. São vários os benefícios que a fisioterapia pode trazer nesse período da vida da mulher que já é tão complicado e muitas mulheres ainda não conhecem a atuação e nem a importância da fisioterapia durante esse período.

Hoje em dia, as mulheres estão cada vez mais em busca de uma vida saudável. Já se sabe os inúmeros benefícios da atividade física, principalmente no período da gestação, e felizmente muitas mulheres entram de cabeça nessa rotina fitness. Uma mulher treinada, que possui um tônus muscular considerável, terá uma recuperação mais rápida que a mulher não treinada. Por isso a importância da atividade física antes e durante a gestação.

Mas aí vem o parto, e essa mulher que estava em plena sintonia com suas atividades físicas se vê impedida de continuá-las, e vive a ansiedade de perder aquela indesejável barriguinha sem poder fazer muita coisa. Primeiro por causa do período de resguardo que pode variar de 45 a 90 dias dependendo de cada mulher; segundo porque a nova rotina com o bebê é uma demanda muito grande e a mulher não consegue ter tempo e nem cabeça para sair de casa.

E é para atender essa demanda de mamães que querem  continuar cuidando de seus filhotes em casa e cuidar um pouco delas também, é que eu venho falar da Fisioterapia pós-parto domiciliar.

O tratamento é feito no conforto do seu lar, e visa o retorno da musculatura abdominal, e do assoalho pélvico para o seus estado de força e tônus normal. É uma forma diferente de se fortalecer o abdomen e pode ser inciada a partir do primeiro dia de pós-parto! Ela diminui a distenção abdominal e ajuda no retorno do útero para cavidade pélvica diminuindo  aquela sensação de que está tudo solto dentro da barriga. Além disso, previne o aparecimento de incontinência urinária e disfunções sexuais muito comuns nesse período.

Durante a gestação os músculos abdominais se encontram em posição alongada, e aquela musculatura que já se encontrava flácida pode se distender em excesso e acabar separando o músuculo reto abdominal: a famosa diástase. Com isso, os órgãos pélvicos avançam devido à falta de conteção dessa parede muscular e a impressão que fica é de que a barriga é ainda maior.

Acredita-se que cerca de 35 % das mulheres apresentam diástase após a gestação.

O melhor período para se tratar a diástase é no período do pós-parto imediato pois é o momento em que o corpo da mulher está em plena recuperação. O momento certo para gerar o estímulo certo.

O tratamento é realizado através de técnicas de ativação e fortalecimento muscular incluindo a ginástica hipopressiva, uma técnica pouco conhecida e muito eficiente para a recuperação pós-parto. Ela trabalha a musculutura abdominal e o assoalho pélvico ao mesmo tempo, e gera uma diminuição na pressão abdominal fazendo com que o útero volte à sua posição de origem com mais rapidez. E o resultado é sensacional!

A hipopressiva não pode ser realizada em todas as fases do tratamento, por isso procure um profissional especializado para orientar a realização dos exercícios com segurança.
Além do tratamento de retorno abdominal, a fisioterapia ainda pode atuar em outras várias situações como em casos de edema, incontinência urinária e fecal, disfunções sexuais (muito comum no pós-parto!) e no rejuvenescimento da área genital (novidade!). Espero em breve poder falar de cada uma delas com mais detalhes!

TEXTO ESCRITO POR NATÁLIA BARROS, ESPECIALISTA EM FISIOTERAPIA PÉLVICA
CONTATO: barrosnatalia@hotmail.com

Leave a Reply

  • Site desenvolvido por Agência Vetta